Category: Freelancer e Empreendedorismo

Como conseguir freela em design de interiores?

Como conseguir freela em design de interiores?

Monte seu portfólio e ofereça seu trabalho / Autor: Sidekix Media / Fonte: Unsplash

Eae, tudo bele?

Você já deve ter percebido que a pandemia causada pelo Covid-19 transformou muita coisa no mundo, especialmente quando falamos em trabalho remoto. A comodidade de trabalhar de casa vem conquistando corações e muitas pessoas estão migrando para o mercado freelancer. Algumas por falta de opção, já que o desemprego serviu como empurrão para tirar aquele projeto antigo da gaveta e oferecer na web. Mas como conseguir oportunidades na área de design de interiores?

Primeiro passo > Escolha seu estilo!

Um design de interiores pode montar projetos nos mais variados estilos. Decorar salas com móveis clássicos, usar de recursos rústicos, optar por ambientes minimalistas ou ainda ter uma pegada mais contemporânea. Embora ter a capacidade de abraçar vários estilos te traga mais oportunidades no começo, escolher os estilos que você mais gosta e focar naquilo vai te tornar mais especialista.

“Dessa forma, você consegue se concentrar em estudar técnicas e buscar tendências dentro dos estilos que escolheu”, reforça Juliana Perin, designer de interiores e redatora do SweetestHome. Definir o estilo do seu trabalho é como construir uma identidade no aspecto profissional.

Legenda: Construa sua identidade profissional definindo seu estilo / Autor: Jon’Nathon Stebbe / Fonte: Unsplash

Segundo passo > Construa um portfólio irresistível!

Definido seu(s) estilo(s) é hora de montar um portfólio irresistível. Montar um portfólio todo freelancer monta, em qualquer área. Mas como você pode se destacar no meio da multidão? É hora de ser autêntico e mostrar o diferencial do seu trabalho. Faz incríveis esboços à mão? Inclua-os nesse arquivo.

Dentro de um bom portfólio, especialmente de um designer, cada detalhe importa. Comece colocando tudo que for mais importante nas primeiras páginas, são elas que vão fisgar a pessoa para continuar vendo seu trabalho.

E por favor, esqueça do Power Point. Um designer de interiores precisa montar seu portfólio em ferramentas como Adobe InDesign. Afinal, você é um designer. E nesse caso, até mesmo a fonte importa, Arial é sempre uma boa opção.

Terceiro passo > Joga na rede!

Existem plataformas que servem como uma boa vitrine do seu trabalho. Você encontra dezenas de sites para freelancers onde você pode começar divulgando seu portfólio e oferecendo seu serviço. Dá uma conferida no UpWork, Workana, 99Freelas e Freelancer.

O site archsplace.com.br também é uma plataforma para pessoas que procuram fazer projeto on-line. Lá, o cliente encontra arquitetos e designers de diferentes estilos. É uma plataforma específica para freelancers da área. Você pode se cadastrar e tentar uma oportunidade.

Estar nas redes sociais com uma conta profissional também pode fazer diferença, invista no Pinterest e Instagram. Porém, vale lembrar que as possibilidades não terminam aí. Até porque depender de plataformas de terceiros pode ser perigoso. Que tal construir seu próprio site para oferecer seu trabalho freelancer?

Mãos à obra!

Não deixe para começar a construir amanhã o projeto que pode garantir um trabalho hoje. Quanto antes você começar a preparar o terreno, mais rápido terá seu projeto erguido dentro do mundo freela.

E se você quiser saber sobre Cores para Design de Interiores, temos uma live com o canal Reambientando do seu Jeito. Assita abaixo essa live sobre psicologia das cores.

Boa sorte nessas etapas. Até mais!

Abraços!
The post Como conseguir freela em design de interiores? appeared first on Chief of Design.

Como conseguir freela em design de interiores?
Fonte: Chef of Design

3 maneiras de dar um up na sua produtividade

3 maneiras de dar um up na sua produtividade

Eae, tudo bele?

Manter a produtividade é um dos maiores desafios para o designer freelancer, ainda mais em tempos de pandemia, quando a rotina está de cabeça para baixo. O trabalho remoto também possui uma série de particularidades, o que exige que o profissional faça uma série de adequações em seu cotidiano para se dar bem. Veja as nossas dicas para mudar alguns hábitos e dar um up em sua produtividade:

Torne o seu ambiente de trabalho confortável e agradável

O ambiente onde trabalhamos interfere diretamente na qualidade do que fazemos. Inicialmente, é preciso adequar os móveis ergonomicamente. Caso contrário, os dias de serviço se transformarão em dores nas costas e será cada vez mais difícil se concentrar.

O silêncio no ambiente também é essencial, pois o barulho compromete a criatividade – essencial para os designers. Assim, uma das melhores maneiras de reforçar a produtividade é utilizar um fone de cancelamento de ruído. Em pouco tempo você sentirá a diferença.

Até a decoração do cômodo de trabalho tem poder sobre nossa produtividade. Deixar o escritório com a sua cara pode ajudar a transmitir boas sensações e evitar estresse. Uma ótima dica é a utilização de plantas.

Cuide da sua alimentação

A disposição, o foco e a concentração passam diretamente pelos nutrientes que ingerimos em nossas refeições. Portanto, a sua dieta tem um enorme poder de aumentar a produtividade no trabalho. Segundo Romina Cerutti, nutricionista e consultora do Saudável&Forte, são vários os nutrientes que podem interferir positivamente na produtividade, como o magnésio, o manganês, a vitamina A e o ferro.

Reforçando a alimentação, não precisamos recorrer apenas ao café para ganhar energia, evitando os perigos da cafeína em excesso.

Se você é daqueles que não sabe nada de culinária, uma boa alternativa é a adoção de uma suplementação energética. Isso ajuda muitos designers na manutenção do equilíbrio do organismo. Evidentemente, isso deve ser discutido com um profissional da saúde antes.

Administre seu tempo

As pausas são essenciais para manter a produtividade. Afinal, nossa mente se cansa da mesma maneira que nosso corpo. E nós não conseguimos passar três horas seguidas praticando exercícios. Então, mesmo que o prazo esteja apertado, se controle para não trabalhar por muito tempo sem intervalos. A paralisação ajuda a limpar a mente, promove reflexões e pode até trazer novas ideias para destravar o projeto.

Os horários também são importantes para a produtividade. Cada pessoa possui momentos do dia de maior disposição, então saiba usar isso a seu favor. Não fique preso ao horário convencional comercial, caso você perceba que trabalha melhor à noite, por exemplo. Porém, respeite os horários fixos que você estabelece, para não se sobrecarregar e conseguir conciliar as obrigações com a vida pessoal.
The post 3 maneiras de dar um up na sua produtividade appeared first on Chief of Design.

3 maneiras de dar um up na sua produtividade
Fonte: Chef of Design

Maneiras criativas de deixar seu home office com a sua cara

Maneiras criativas de deixar seu home office com a sua cara

Eae, tudo bele?

Para quem trabalha na área criativa, ter um ambiente de trabalho que inspire suas ideias e ajude na concentração é essencial, não é mesmo? A pandemia de coronavírus fez muitas pessoas aderirem ao home office por opção ou necessidade. 

Para os que estão acostumados a trabalhar como freelancer, a rotina pode não ter causado tanto impacto, já para quem não costumava levar o trabalho para casa a mudança exigiu um pouco mais de adaptação. Mas como transformar desafios em oportunidades é algo muito interessante, separei algumas dicas de maneiras criativas para deixar o home office com a sua cara. Bora conferir! 

Escolha um espaço que você goste 

Essa é uma dica que parece simples, mas muito valiosa. Você vai passar boa parte do seu dia no espaço, então é essencial que seja um ambiente arejado, que entre luz e que você se sinta confortável nele. A partir daí você começa a pensar como deixar ele com a sua cara. 

Além disso, delimitar um espaço na casa é interessante para que você entenda que aquele é um ambiente de trabalho. Se tiver um cômodo específico para ele, ótimo! Já se for no quarto, sala ou outro lugar da casa, é interessante ter um espaço definido, físico e mental. Um espaço da mesa delimitado, móvel de outra cor e até um tapete podem cumprir esse papel. 

Comece a decorar! 

Pensar em objetos e elementos que você goste pode trazer muita personalidade e vida para o seu home office. Se você tem uma ilustração ou imagem que gosta muito, ela pode ser protagonista de uma composição de quadros na parede ou na sua estante. 

Seus livros preferidos podem fazer parte da decoração. Em um momento que estamos tão apegados a lembranças, fazer uma composição de fotos e imagens que registraram momentos legais que você viveu também irão trazer muita personalidade para o espaço. 

Do it Yourself

Se você quiser se arriscar um pouco mais, pode aderir ao faça-você-mesmo para montar o seu home office. Pintar uma parede, montar a estante ou reformar e adaptar uma mesa são algumas opções para deixar o local com a sua cara. Dá mais trabalho, mas o resultado de montar algo do próprio espaço pode ser muito gratificante. 

Vá além do espaço físico 

Deixar o ambiente com a sua cara vai além da decoração. A iluminação exerce uma grande influência no nosso dia a dia, por isso permitir que a luz entre ou ter um abajur ou uma luminária podem dar a maior graça ao espaço. 

Outra dica legal são os aromas. Além de um espaço sempre limpo e arejado, os aromas ajudam a compor o clima do ambiente. Os óleos essenciais, por exemplo, possuem propriedades terapêuticas, com diferentes funções como acalmar, diminuir a ansiedade e até auxiliar na concentração. 

Vale lembrar também que menos é mais e o espaço precisa ser, antes de tudo, funcional. 

Curtiu as dicas? Um abraço!
The post Maneiras criativas de deixar seu home office com a sua cara appeared first on Chief of Design.

Maneiras criativas de deixar seu home office com a sua cara
Fonte: Chef of Design

Aprenda a se adaptar ao trabalho remoto e deslanchar como freelancer

Aprenda a se adaptar ao trabalho remoto e deslanchar como freelancer

 Trabalhar de casa exige disciplina e organização / Autor: Burst / Fonte: Pexels.com

Eae, tudo bele?

O trabalho remoto se torna cada dia mais comum. Enquanto os funcionários percebem os benefícios de trabalhar de casa, empresas enxergam como isso pode reduzir drasticamente os custos. 

As oportunidades para freelancers crescem a cada ano. Em 2019 o número de empresas cadastradas na plataforma Workana cresceu 50%, isso antes da pandemia. Desde o começo do isolamento, o site também registrou um aumento de 32% para novos profissionais cadastrados no Brasil. 

Mas não pense que basta ligar o computador para fazer seu trabalho de casa. Algumas mudanças são necessárias para você ter sucesso na carreira de freelancer. Quer ganhar dinheiro do conforto do seu lar? Aprenda a se adaptar com as cinco dicas da equipe GuiaDeBemEstar que trabalha 100% remotamente:

1 – ORGANIZE SEU AMBIENTE (E EQUIPAMENTOS) DE TRABALHO REMOTO

Se na empresa tem alguém para limpar sua mesa e remover o copinho de café, em casa é você quem precisa lidar com sua bagunça. Ambiente bagunçado é inimigo da produtividade, e imagina só que prejudicial é ser improdutivo no home office. 

Uma boa dica é preparar um local onde você sente para trabalhar todo dia, de preferência um cômodo só para isso, livre de interrupções. Caso não tenha um espaço exclusivo da casa, prepare um “cantinho office” no seu quarto. Nada de ficar com o computador na cama debaixo das cobertas. 

Decore de acordo com seu estilo e personalidade, deixe o local agradável. E essa regra simples, mas de ouro, serve para seus equipamentos. Antes mesmo de pensar em começar o trabalho remoto, organize também o seu computador. 

2 – APRENDA A DIZER NÃO (ESPECIALMENTE PARA OS MEMBROS DA SUA CASA)

Mãe não poder ver o filho em casa que adora pedir para ele dar uma saidinha rápida e resolver algo no mercado, no banco, no posto de saúde, na casa da vizinha ou em qualquer lugar. Saiba dizer não para qualquer pessoa que tente interromper seu trabalho. 

Trabalhar em casa requer disciplina. E não é apenas a mãe que atrapalha. Todas as pessoas com quem você divide o lar precisam saber que durante seu horário de trabalho – sim, você deve ter um “horário de trabalho” – você não está disponível para mais nada.

Ah, e não esqueça de dizer não para a maior distração de todas: as redes sociais.

3 – ESTABELEÇA (E CUMPRA) HORÁRIOS 

É normal que a cama quentinha te convide para acordar só 30 minutos mais tarde nos dias frios, mas não caia nessa um dia sequer. Se você tivesse que sair para trabalhar teria que cumprir horários (e acordar bem mais cedo) e em casa não é diferente. Ter uma rotina, com horários para começar, almoçar e terminar de trabalhar vai te tornar mais produtivo e adaptável a realidade remota. 

4 – ORGANIZE SEU DIA

Ser organizado com sua agenda é fundamental. Você não terá um chefe fiscalizando seu trabalho quando passa atrás do seu computador. A empresa só vai querer seu resultado. Para entregar um bom trabalho, defina as tarefas que precisa realizar naquele dia, ou mesmo na sua semana, estabeleça as prioridades e sempre respeite os prazos.

Parece óbvio, mas é fundamental reforçar que freelancer produtivo, focado, preocupado com o resultado que entrega e que respeite os prazos estabelecidos terá maiores chances de se adaptar – e ter sucesso – nesse mercado. 

5 – SAIBA SE COMUNICAR DE FORMA CLARA E EFETIVA 

No trabalho remoto é comum que a comunicação aconteça quase que 100% através de mensagens escritas. Seja por e-mail, chat ou aplicativos, seja c-l-a-r-o. Uma das inimigas da boa comunicação é não respeitar as pontuações em uma frase. Lembre-se: as vírgulas importam muito. 

Outro ponto que você precisa se atentar é em relação aos horários das mensagens, especialmente se você faz trabalhos para empresas de outros países. E também se a comunicação acontecer via WhatsApp. 

CONCLUSÃO

Se adaptar à realidade de uma empresa remota é muito simples, não tem nada de muito complexo. Basta continuar executando seu bom trabalho no conforto do seu lar.

É obvío que algumas pessoas se adaptarão de forma mais rápida outras demorarão mais um pouco e talvez outras nunca se adaptem por completo…E tudo bem se for assim, não existe certo ou errado. Conheça o seu perfil e o seu ofício para realmente validar a possibilidade de trabalhar de forma remoto de forma definitiva.

Para isso, disciplina e organização são características fundamentais. Colocando esses pontos em prática, não tenho dúvidas que você pode alcançar seus objetivos com sucesso. 

E você já trabalha de forma remoto? Se sim, a quanto tempo? Deixe o seu comentário abaixo.

Forte abraço Até mais.
The post Aprenda a se adaptar ao trabalho remoto e deslanchar como freelancer appeared first on Chief of Design.

Aprenda a se adaptar ao trabalho remoto e deslanchar como freelancer
Fonte: Chef of Design

Trabalho Remoto: 7 Pontos Fundamentais que Você Precisa Saber Sobre

Trabalho Remoto: 7 Pontos Fundamentais que Você Precisa Saber Sobre

Eae, td bele?
Hoje irei falar sobre o trabalho remoto. Eu atualmente trabalho desse jeito. Já trabalhei em agência, empresa de tecnologia, startup, estúdio e até banco, mas confesso que prefiro, sempre que posso escolher, trabalhar de forma de remoto por certos motivos que irei mostrar para você neste artigo. Porém trabalhar a distância ou em casa também tem certos pontos fracos. Esse tipo de trabalho com certeza não é para qualquer um. A cada dia que passa tenho mais certeza disso.
E praticamente todo mundo que trabalha com design/comunicação/criatividade/tecnologia sabe o que é trabalhar assim, seja atuando em um freela ou trabalhando para uma empresa.
Portanto, neste artigo tentarei te passar o máximo, e de forma verdadeira, o que sei sobre trabalhar desse jeito. Eu adquiri conhecimento trabalhando desse modo e tenho quase 3 anos de experiência (juntando o tempo de duas oportunidades que tive ao longo da minha jornada) sobre essa modalidade de emprego.
Ok? Então, vamos nessa!
Neste artigo você vai saber sobre:

O que é o trabalho remoto
As empresas e o trabalho remoto
Para quem é o trabalho remoto
Para quem NÃO é o trabalho remoto
Pontos fortes do trabalho remoto
Pontos fracos do trabalho remoto
Dicas para  quem quer trabalhar a distância/homeoffice

O que é o Trabalho Remoto
O trabalho remoto nada mais é do que o trabalho a distância. Você trabalhar de casa ou de qualquer lugar do País e quiçá do mundo (aí deve-se levar em conta o fuso horário). Trabalhar desse jeito não tem nada de demais e é como qualquer outro trabalho: você pode ter metas, tarefas e horários à cumprir, mas o diferencial e que você não precisa ir para a empresa todo dia. Você pode trabalhar do seu quarto ou de um coworking, por exemplo. Você só precisa apenas de um PC, ou Notebook, e uma conexão estável com a internet.

Usa-se muito o termo home office, ou escritório/trabalho em casa, para o trabalho remoto. Todavia, como já disse anteriormente, trabalhar de forma remoto não significa somente trabalhar de casa. Claro que na maior parte do tempo você estará em casa, mas você tem a opção em um dia que tem visitas na sua casa e você não terá silêncio, ir até uma cafeteria e trabalhar de lá, por exemplo.
E o trabalho remoto pode servir para quem é funcionário (o cara com carteira registrada, por exemplo), para o freelancer e até mesmo para quem é empresário. Existe muita gente por aí que tem a sua própria empresa trabalhando apenas de casa e o melhor: faturando milhões.
O mercado e o trabalho remoto
As possibilidades que temos hoje em dia de se comunicar através de voz, mensagem e vídeo facilitam demais essa modalidade de emprego.
Cada dia mais softwares de gestão evoluem e ficam mais acessíveis para todos.
A velocidade e o acesso a internet que, apesar de ser muito lenta e cara aqui no Brasil, vem melhorando evoluindo a cada dia.

A aquisição de tecnologia como tablets, smartphones e computadores em geral também a cada dia está mais fácil.
Com tudo isso que temos hoje fica mais fácil poder trabalhar e/ou gerenciar o trabalho da sua empresa de casa.
Cada vez mais as empresas vem compreendendo que o trabalho remoto para certas funções pode ser muito vantajoso e lucrativo:

As empresas muitas vezes pagam menos encargos (podem não pagar vale transporte e alimentação, por exemplo);
O número de faltas por questões médicas diminui;
A produtividade dos funcionários na maioria dos casos aumenta;
A satisfação e o prazer de trabalhar dos colaboradores também aumentam;
Pode trazer uma grande redução de custos operacionais.

Existem muito mais vantagens para as empresas sobre o trabalho remoto. É claro que nem toda profissão pode se dar ao luxo de trabalhar assim, mas na área criativa e de tecnologia isso não é problema e as empresas desses segmentos estão entendendo isso.
Em países de primeiro mundo, por exemplo, o trabalho remoto já é muito mais desenvolvido e é uma tendência global. No Brasil o trabalho a distância só cresce. Cada vez mais está mais comum, apesar de toda a burocracia da nossa legislação e também do nosso “jeitinho brasileiro de ser”, trabalhar a distância. 😀
Para quem NÃO é o trabalho remoto

Pode parecer brincadeira, mas o que vou dizer agora é a pura verdade: trabalhar em casa não é para qualquer um. E não ter o perfil para trabalhar em casa não significa que isso seja algo ruim. Todo mundo tem um jeito e perfil diferente.
“Ah David, mas eu fico o dia todo em frente ao PC no Facebook. Para mim isso é moleza!”
Aí que você se engana, Galucho. Trabalhar em casa precisa de muito mais foco e responsabilidade. E ficar em casa o dia todo no Facebook é muito diferente do que trabalhar em casa.
Portanto ao invés de começar falando para quem é o trabalho remoto, irei falar para quem não é o trabalho remoto. O trabalho remoto NÃO é para quem:

Necessita de pessoas por perto no trabalho;
Perde o foco fácil;
Necessita de um chefe em cima para cumprir o determinado;
Precisa de um chefe para dizer tudo o que você deve fazer;
Tem dificuldades com a vida social;
É desorganizado;
Mora em um ambiente muito agitado;
Não sabe dizer “NÃO”.

O trabalho a distância é um trabalho como qualquer um, porém exige muito mais responsabilidade do colaborador já que não tem ninguém para “vigiá-lo”.
E desses itens que citei o principal é o saber dizer não.
Quando você trabalha em casa muitas vezes as pessoas entendem de forma errada que você está disponível a todo momento.
Por isso pessoas que não sabem dizer “não” para tais situações, mesmo que seja para pessoas da família e amigos, não são indicadas para trabalhar de forma remoto.
Outro ponto a se destacar é que não são todas as profissões que podem atuar desta maneira. Isso é meio óbvio, mas é bom salientar. Entretanto para a área criativa e de tecnologia o trabalho remoto é uma alternativa muito bem-vinda e que pode proporcionar inúmeros benefícios.
Para quem é o trabalho remoto

Exceto os perfis citados no tópico anterior, o trabalho remoto serve praticamente para qualquer profissional, principalmente para os criativos. Então se você é:

Organizado e responsável;
Cumpre datas sem precisar de alguém em cima te cobrando;
Não necessita de gente ao seu lado para trabalhar, na verdade prefere um fone de ouvido;
Não é depressivo, carente e é bem resolvido pessoalmente;
Mora em um ambiente tranquilo ou não muito agitado;
Sabe dizer “NÃO” quando precisa;

Agora que você já sabe para qual tipo de perfil serve o trabalho a distância, vamos falar das vantagens e desvantagens. Vamos começar pelas vantagens!
Pontos fortes do trabalho remoto
Como qualquer tipo de trabalho, o trabalho remoto tem seus pontos fortes e fracos. Abaixo vou começar pelos pontos fortes, bele? Vamos lá!
Qualidade de vida

Com certeza o maior ponto forte de se trabalhar à distância é a melhora na qualidade de vida.  Irei listar algumas coisas que influenciam nessa melhora:

Você não tem estresse com trânsito e/ou transporte público;
Você consegue, muitas vezes, dormir mais e melhor;
Você come mais comida caseira e menos condimentada e de fast-food (se você não for preguiçoso e quiser cozinha, claro kkkkk);
Você não tem chefe atrás do seu computador como um cão de guarda olhando tudo o que você faz;
Você não tem que lidar com pessoas chatas e inconvenientes que praticamente toda empresa tem;
Você tem mais tempo para sua família;
Você tem mais tempo para fazer o que gosta;
Você tem mais liberdade para trabalhar e, no caso dos criativos, para criar;
Você não precisa ir trabalhar com roupa social e ficar sofrendo com ar condicionados super gelados ou que não funcionam;
Você não fica triste quando chega segunda feira.

Existem muito mais coisas que poderia citar, mas acho que essas já são suficientes. Trabalhando em casa você tem muito menos estresse. Claro que estresse sempre tem, não tem como, todo trabalho é assim, mas só de você não ter tudo isso ( de pegar trânsito, aguentar gente chata,etc) já diminui muito o seu estresse e melhora automaticamente a sua qualidade de vida.
Mais Liberdade

Um ponto importante a se destacar é a liberdade. Para quem trabalha com criação sabe o quão é ruim trabalhar sobre fortíssima pressão (não que não exista pressão trabalhando a distância, porém ela é menor) e sem poder buscar referências na net porque a “empresa” bloqueia todos os sites onde você busca referências.
No caso da liberdade é importante não confundi-la com libertinagem. É preciso não se deixar levar por redes sociais e afins.Sabendo fazer as coisas esse fator ajuda muito nós criativos.
Flexibilidade no horário

Por mais que você possa ter um horário a cumprir no trabalho remoto, você tem sim mais flexibilidade nesse quesito. Você consegue encaixar compromissos pessoais, se preciso, de forma muito mais fácil. Comumente o mais importante mesmo é você cumprir o prazo estabelecido e com qualidade.  Então você pode eventualmente ir resolver algo de dia e terminar o trabalho mais a noite, principalmente se você for freelancer.
Mais produtividade

Segundo um estudo patrocinado pela Dell, O Global Evolving Workforce, 54% dos brasileiros se consideram mais produtivos ao trabalhar em casa. E isso é uma verdade, principalmente para quem trabalha com tecnologia e criação.
Todos os fatores que já citei neste artigo contribuem para isso, porém podemos adicionar mais um que é o maior tempo de trabalho efeito, ou seja, tempo em que você realmente trabalha.
Existem vários estudos que apontam que em um trabalho de 8 horas em uma empresa normalmente trabalhamos apenas 6 ou 5 horas. No trabalho remoto com certeza as horas trabalhadas aumentam. Isso porquê você tem menos interrupções (se você souber dizer não e estiver em um ambiente tranquilo, como já citei a cima) e mais concentração no trabalho.
Na verdade o trabalho em casa tem muito menos o famoso “migué”.
Por mais que você pare um pouco “para respirar”, você não perderá tanto tempo como, por exemplo, quando vai ir tomar um café com o pessoal da empresa e perde vários minutos falando da vida alheia, mulher, futebol, da rotina da empresa, etc.
E mesmo que você perca o mesmo tempo, quando você volta normalmente você se concentra muito mais rápido na tarefa.
Você não fica contando as horas para chegar logo às “18h” para sair correndo. E nem fica enrolando das 17:30 até as 18h quando já está cheio daquele ambiente de escritório.
Bom para você, para a empresa e para o meio ambiente

Como já falei a empresa também pode ganhar com tal modalidade de trabalho, mas além dela e de você, o meio ambiente e a sociedade também podem ganhar.
Por mais que você gaste mais energia elétrica em casa, etc, você gasta muito menos do que na empresa.  Você também não sai com seu carro na rua (você é menos um em cidade cada vez mais cheia), você não vai ficar ilhado na avenida alagada, não vai brigar com um passageiro do metrô, entre outros.
Se o seu trabalho pode ser executado a distância, com certeza todos ganham e inclusive o mundo.
Possibilidade de morar em cidades mais distantes

Como o trabalho é a distância você pode morar na capital ou lá no meio do mato, sem problemas. Desde que você tenha uma conexão estável com a internet, tá valendo.
Dependendo do caso você pode morar até em outro país sem problema.
E isso também é muito bom porque pode te possibilitar viajar mesmo que não esteja de férias.
Pontos fracos do trabalho remoto
Agora irei listar os possíveis “calcanhares de Aquiles” do trabalho remoto. Alguns nem considero defeitos, mas é bom citar. Vamos conferir?
Isolamento/ solidão
Trabalhar a distância significa que você não terá um monte de gente ao seu lado todo dia. Você não verá todo dia o seu chefe, o seu amigo de time ou a moça da copa. Em praticamente todo o tempo você estará sozinho. E por mais que você possa ir trabalhar onde tem gente, em coworks, por exemplo, mesmo assim ainda você estará sozinho no seu trabalho. Você não tem com quem falar sobre “aquela task que passaram para você”.

Por mais que hoje tenhamos Skype, hangout, whatsapp, etc; nada se compara a interação pessoal.
Existem pessoas que podem não se adaptar a essa situação, pois gostam de falar, de interagir com pessoas, de ir na mesa do colega ao lado, de ir no barzinho na sexta a noite entre outros.
Portanto se você é desse tipo de pessoa que precisa de tal convívio, o trabalho remoto não é indicado para você.
Comunicação

Nada substitui a comunicação pessoal, nada. No trabalho a distância a gente depende de ferramentas e principalmente se a outra pessoa está online, ou se está afim de te responder.
Isso é muito diferente, por exemplo, quando temos um problema no trabalho e para agilizar vamos na mesa do colega e perguntamos como podemos resolver aquilo na hora.
Apesar disso cada dia mais está mais fácil de se comunicar a distância, tanto por vídeo, áudio ou texto, então essa não chega a ser uma questão tão grave assim principalmente se você tiver pessoas trabalhando com você que estão comprometidas com o trabalho e na mesma sincronia.
Possíveis mais custos domésticos

Como você ficará na maior parte do tempo em casa, você muito provavelmente não terá vale transporte, vale refeição e etc. Além disso você provavelmente consumirá mais energia elétrica, água, gás, internet, equipamentos, etc.
Se você mora com sua família talvez nem sinta diferença, mas se mora sozinho talvez sinta. Mesmo valendo o custo benefício é importante saber que tais gastos podem aumentar.
Falta de entendimento da sociedade
O trabalho a distância no Brasil ainda é bem novo e mal compreendido. Quando você fala que trabalha a distância não é raro você ver aquele “sorriso” sarcástico no rosto das pessoas do tipo: “ah é moleza, que mamata”.
Normalmente associam o trabalho remoto como “o não faz nada o dia todo” ou “isso não é trabalho de verdade” e por aí vai.
E isso aumenta, por incrível que pareça, se você for do sexo masculino e dependendo da região em que você mora.

E eu sei bem o que é isso. Na verdade, muitas vezes até evito falar que trabalho assim. Não porquê tenho vergonha e etc, mas simplesmente só para evitar perguntas e comentários imbecis. E sobre esse tipo de comentários e perguntas o ideal é que você não dê bola.Apenas ignore!
O trabalho remoto cresce cada vez mais no Brasil e no mundo inteiro. As coisas estão mudando e com certeza esses pensamentos toscos cada dia mais irão se dissipar.
Mais horas de trabalho
Isso vale principalmente se você trabalhar por conta própria. No trabalho em casa é normal você não fazer 1 hora de almoço. Você vai parar pouco (ou quase não para no trabalho), você vai trabalhar até mais tarde, quiçá até de madrugada, e também poderá trabalhar mais aos finais de semana.

Quando você trabalha em casa não tem aquela coisa de “bateu 18h partiu casa, dane-se a task, amanhã eu termino”. Como o trabalho tá ali para você todo dia a toda hora, se você tiver terminando algo e ver que não vai conseguir até as 18h você vai continuar até às 19h,20h,21h…
Do mesmo modo, não tem aquela coisa “ ah tenho que terminar até as 18h de hoje para entregar amanhã às 10h”. Caso você não consiga até as 18h, você pode parar descansar, respirar, ver tv, etc, e voltar par aa tarefa às 21h, por exemplo.
É importante que você saiba dosar a sua vida pessoal e descanso com o trabalho. Por mais que você trabalhe um pouco a mais, você não pode ficar somente nele. Tudo tem seu tempo e você precisará de um tempo para descansar e curtir a vida também. Você não quer ficar que nem o personagem principal do filme “ O Click”, né?
Trabalha sempre e o máximo que puder
Quando você está atuando em uma empresa e você acorda mal, indisposto, com gripe e etc, mesmo que dê para você ir, você pode preferir ir no médico, ver o que tem, e no outro dia dar a declaração médica, para justificar a falta, para o seu chefe.
No trabalho remoto não tem isso e principalmente se você trabalhar para si.
Como você trabalha na maior parte do tempo em casa, você provavelmente ficará menos doente. E mesmo que fique doente, uma gripe por exemplo, você vai trabalhar do mesmo jeito. Você pode até ir no médico pegar declaração e apresentar para sua empresa, mas quando voltar do médico você vai acabar trabalhando um pouco.
Você só vai parar de trabalhar se realmente ficar muito ruim, tiver que operar e etc.
A declaração médica é só um exemplo, pois na verdade isso vale para qualquer tipo de “migué” ou desculpa.
Falta de legislação específica
Ainda não temos uma legislação específica para o trabalho remoto no Brasil. Então, tanto empresas quanto funcionários podem estar perdendo benefícios e sendo prejudicados por isso.
Com o crescimento desse tipo de trabalho com certeza daqui há alguns anos teremos leis específicas sobre ele (tomará!). Por momento nos basta esperar.
Dicas para você que quer trabalhar à distância.
Depois de tudo isso que falei, vou dar algumas dicas me baseando em tudo o que vi, li e principalmente no meu conhecimento empírico da coisa. Seguem as dicas:

Procure manter uma rotina. Tente acordar e começar a trabalhar sempre no mesmo horário. Crie um espaço confortável para você. Isto vai te ajudar na organização e no seu bem-estar;
Leve seu trabalho a sério. Não perca muito tempo com redes sociais e etc. Não se deixe levar pelas distrações da sua casa e da internet;
Mantenha o espaço de trabalho limpo e o mais organizado possível;
Não esqueça da sua vida particular. A vida não é só trabalho. Organize seus horários e tenha horas de folgas. Saía, divirta-se, faça o que gosta;
Participe de cursos presenciais, eventos, trabalhe algumas vezes em lugares diferentes. Faça contatos e não se isole;
No final do ano passado li uma frase muito interessante: “Quem não tem agenda acaba virando agenda dos outros. ” Portanto, diga não quando precisar! Tenha sua agenda definida e não vire agenda dos outros;
Seja responsável e cumpra sua palavra. Sua palavra vale muito mais no trabalho a distância. Se definiu uma data cumpra o prazo e caso não consiga seja honesto e relate o que aconteceu. Não perca a confiança do seu time;
Mantenha tudo o que for necessário para trabalhar perto de você;
Não ligue para opiniões alheias;
Procure ao máximo estar acessível (pelo menos no horário comercial ou horário de trabalho) quando o chefe e/ou cliente ligar e de preferência em um ambiente silencioso;

Home Office – Como ser produtivo trabalhando em casa?
Para complementar o conteúdo passado neste artigo, deixo abaixo um vídeo onde falo sobre o trabalho remoto e home office.
Nesse vídeo sobre o tema, eu passo dicas valiosas da minha experiência atuando como home office há anos a bastante tempo, de forma contínua.
Confira abaixo, e se gostar deixe um like no vídeo:

Conclusão
Muitas empresas já estão adotando o sistema para que seus funcionários trabalhem no mínimo alguns dias da semana em casa. Outras já tem departamentos inteiros totalmente remotos.
O trabalho a distância só cresce no Brasil e isso vale principalmente para as pessoas que atuam com tecnologia e criatividade. É um novo caminho que está ficando cada vez mais forte. Essa nova opção pode beneficiar muitas pessoas e empresas. Vejo que as vantagens são muito maiores que as desvantagens.
Talvez uma das maiores pedras que temos seja o entendimento das pessoas e a falta de legislação específica.
Me lembro uma vez que quando estava no ambiente acadêmico, eu comentei, por lapso meu, que tinha voltado a trabalhar em casa. Muitos dos meus colegas tinham ideias toscas (como já citei neste artigo) e por isso de vez em quando sempre soltavam alguma piadinha sobre. E por mais que falassem “na brincadeira” você sabe que sempre tem um ponta de verdade.
Eu sempre levei de boa (entra por um ouvido e sai por outro) e enquanto eles falavam tais coisas eu pensava:
Vai nessa… Enquanto você está se sacrificando todo dia para ir trabalhar, pegando condução lotada eu to em casa ganhando 2 ou 3 vezes mais que você. Fica fazendo piada aí mesmo!
E inclusive essa é uma questão que pega neste tópico: dinheiro.
Então por mais que as pessoas tenham esse pensamento, enquanto você estiver com dinheiro, pagando as coisas para elas e etc; está tudo bem e elas te respeitarão. Agora se você estiver trabalhando em casa e na pendura aí vão querer criticá-lo. É assim que as coisas funcionam no mundo.
Galucho, tanto na bonança quanto na pendura é importante você sempre se lembrar dos seus objetivos, dos seus sonhos e da sua verdade. Mantenha o foco nisso e visualize o seu futuro e bem-estar. Isto é o que deve importar para você. Se trabalhar a distância é uma boa para você, pessoalmente, financeiramente e profissionalmente, então siga em frente.
E antes de começar a trabalhar em casa analise muito bem se você tem o perfil para trabalhar em casa/remoto. E em caso de dúvidas faça um teste, bele?
Espero que esse artigo tenha sido útil para você 😀
Até mais.
Forte abraço!
Referências:

Home office: o futuro das relações profissionais reside no trabalho remoto


The post Trabalho Remoto: 7 Pontos Fundamentais que Você Precisa Saber Sobre appeared first on Chief of Design.

Trabalho Remoto: 7 Pontos Fundamentais que Você Precisa Saber Sobre
Fonte: Chef of Design

Curso de SEO Online [Completo] Do básico ao avançado

Curso de SEO Online [Completo] Do básico ao avançado

Eae, tudo bele?
Você sabe o que é SEO? Sabe da importância dele para a visibilidade do seu negócio? Você pensou em aprender sobre o tema e até mesmo cogitou fazer um Curso de SEO?
Se sim, ou se não, fica comigo porque eu vou apresentar para você pontos importantíssimo que talvez estejam fora do seu radar sobre SEO, além de mostrar o melhor Curso de SEO, tanto em relação custo benefício quanto de material didático, que você poderá encontrar na internet.
Se não também fica comigo, pois eu vou te mostrar a importância do SEO e como ele pode ser fundamental para o seu negócio, pois tráfego pago (aquele que investe dinheiro em propaganda) é útil sim, mas não é escalável e ainda te deixa refém das redes sociais que cada dia mais cobram mais caro  para receberem simples anúncios.
O que é SEO?
SEO significa Search Engine Optimization, e se baseia em métodos e estudos para fazer o seu site visível para os motores de busca.
Quando trabalhamos pensando em SEO queremos que nossas páginas atinjam os melhores posicionamentos nos resultados dos motores de busca, como Google e Bing, quando as pessoas pesquisam por palavras chaves relevantes nestes sites. E principalmente pensamos em estar mais bem posicionados do que a concorrência.
Entenda-se como “Palavras Chaves” as palavras e/ou frases que os usuários digitam na caixa de pesquisa de sites buscadores,como Google e Bing, para encontrar o que desejam.
Estrategicamente você pode posicionar estas palavras dentro de seu documento HTML de forma que os buscadores possam medir e encontrar relevância e similaridade entre os termos pesquisados na consultas e o documento HTML.

Os resultados que se almeja através de SEO são denominados orgânicos e são representados na imagem acima na área demarcada com cor. Os resultados que você vê nas outras áreas são decorrentes de anúncios pagos
Por que é importante aprender sobre SEO?
Aprender e aplicar as técnicas e táticas de SEO é simplesmente MEGA IMPORTANTE, se você tem um negócio online, um site ou simplesmente deseja melhorar a sua presença na internet.
Sabe aquele ditado que diz: “Quem não é visto não é lembrado?”
Isso também vale para a internet.  Eu não sei se você sabe, mas de acordo com Hubspot, 75% dos usuários não passam da primeira página de resultados a segunda página de pesquisa do Google e apenas 1% acessam a terceira página.
O Google é responsável por uma parcela GIGANTE do volume de pesquisas na web. Segundo levantamentos, do próprio Google, por ano ele recebe mais de  2 trilhões de buscas são realizadas.
E eu não sei se você sabe sobre como funil de vendas, ou se pelo menos já ouviu algo parecido, mas melhorar o SEO do seu site pode interferir diretamente no seu faturamento.
Para entender mais sobre SEO, você pode conferir esse vídeo abaixo onde o Daniel Imamura fala sobre SEO. Confira:

A importância do SEO dentro de um Funil de Vendas.
O funil de vendas é um modelo estratégico que mostra o caminho que o cliente faz a partir do primeiro contato com a sua empresa, ou produto,  até a concretização da venda, ou seja, você fechar uma venda. Sabendo disso, você pode criar ações para conduzir ou acompanhar a jornada do seu cliente desde o primeiro momento de contato, com a sua empresa ou produto, onde descobre o que você oferecer, até a conclusão do negócio, que seria a concretização de uma venda.
Existem várias coisas a se falar sobre o tema e sabemos que o processo de compra nem sempre é algo linear, muito pelo contrário. Todavia, a fins de explicação para esse artigo sobre a importância de um curso de SEO, saiba que existem 3 etapas básicas dentro do funil, que são:

Topo do funil:
Essa é a parte onde o cliente descobre o seu produto. Ele pode estar ou não buscando pelo assunto quando ele entra em contato pela primeira vez com o seu produto.
Meio do funil:
No meio do funil o cliente já entendeu a necessidade e como a sua solução pode resolver a questão dele, e aí ele começa a considerar uma possível compra.
Fundo do funil:
Após toda essa jornada, aqui é onde acontece a decisão de compra do cliente e, consequentemente, a concretização do negócio.
Só que nem todos os potenciais clientes que chegam no funil de vendas, realmente se tornaram clientes. Veja um exemplo que o Daniel Imamura, responsável pelo curso de SEO – Everest de Visitas, sobre essa relação do funil de vendas:

Na imagem acima podemos perceber o número de visitas no topo do funil. São 10mil visitantes, porém apenas 0,9% desse total se tornaram efetivamente clientes, totalizando 90 vendas.
Portanto, podemos concluir que quanto mais visitantes você tem, maior será o seu faturamento. E levando em consideração que, segundo pesquisas,  68% de todos os cliques da busca orgânica vão para os primeiros três resultados, você deve fazer tudo para estar no topo do SEO.
E ainda temos um abismo entre o número de visitas do primeiro colocado para o terceiro. Veja só esse print sobre o Chief of Design. O nosso artigo está em primeiro no Google para o termo ” o que é design”. Note a diferença de visitas que temos em comparação com o terceiro colocado, eu tenho quase 3x mais visitas que o terceiro colocado.

E você até pode utilizar de anúncios par ase manter em primeiro, o problema é que o investimentos em anúncios, para se manter no topo, nunca diminui, pelo contrário, só fica mais caro a médio e longo prazo.  Em contrapartida o investimento em SEO é mais baixo e com o tempo ele diminui enquanto o tráfego só aumenta.

E além da questão de investimentos, existe ainda a qualidade da visita. QUando o visitante está procurando por algo e encontra você, ele já é qualificado, pois ele realmente está procurando uma solução para o problema que ele tem. Você não precisa mostrar para ele, pois ele já sabe.
No caso de links patrocinados e outras opções de tráfego pago, em grande parte você precisa apresentar para o usuário a oportunidade e como o seu produto ou serviço é bom e que pode ajudá-lo. Você tem mais esforço e também acaba gastando mais dinheiro com pessoas que não tem nada a vê, que não compraram o seu produto.
Por isso  o melhor caminho para equilibrar tráfego e investimento, performando cada vez melhor ao passar do tempo é justamente aprender! Você precisa obter conhecimentos de SEO e gerar visitas orgânicas para o seu negócio e para isso pode iniciar fazendo um curso de SEO online.
A seguir eu vou te mostrar o caminho das pedras para você aprender SEO e gerar visitas para o seu site.
Curso de SEO – Everest de Visitas
Como vimos, SEO é algo fundamental para a vida digital do seu negócio. Todo mundo está na internet e você não pode perder visitas e principalmente fechamento de negócios e oportunidades por causa de tráfego.
Investir em SEO é investir na saúde do seu negócio. E como você sabe, conhecimento é poder, por isso que indico o Curso de SEO – Everest de Visitas.
Aprenda com quem realmente faz SEO e gera resultados reais todos os dias. Procure no Google por ‘Otimização de Sites’ ou ‘Consultoria SEO’ e veja que a empresa, a CONSULTORIA DIGITAL, é a primeira nos resultados de pesquisa. Daniel Imamura é professor de SEO na escola Digital House, além de CEO da agência CONSULTORIA DIGITAL, que é especialista em SEO.

Neste curso de SEO, Daniel Imamura, especialista em SEO há mais de 9 anos e CEO da agência CONSULTORIA DIGITAL, vai lhe ensinar a sua metodologia que já foi aplicada e testada em sites como Pontofrio, Casas Bahia, Extra, InfoMoney, Portal Solar e centenas de outros sites, gerando resultados orgânicos reais.
Você aprenderá um passo a passo completo desde o planejamento do seu projeto de SEO, levantamento de palavras-chave, modelos de análises e relatórios e muito mais. São aulas práticas para que você possa começar a aplicar desde a primeira aula. Atualmente, Daniel Imamura é professor de SEO na escola Digital House.
Para quem é indicado o Curso de SEO  – Everest de Visitas?
O curso de SEO – Everest de Visitas, é indicado para pessoas que:

desejam aumentar as visitas orgânicas em seu site;
almejam aumentar o tráfego do site para vender mais;
desejam aprender, mesmo que estejam no absoluto zero, sobre a área de SEO;
buscam para trazer tráfego orgânico e qualificado para o seu site;
que já tiveram algum contato inicial, mas que desejam e necessitam aprender
mais sobre SEO para alcançar seus objetivos online;
que estudaram  ou conhecem ´técnicas de SEO , mas que necessitam se
atualizar para não ficar atrás da concorrência.

Vantagens do Curso de SEO Online – Everest de Visitas.

Curso feito por quem sabe e faz – O Daniel Imamura é grande especialista de SEO e tem vários cases de sucesso trabalhando com otimização para buscadores.
Curso Online – Você faz as aulas no conforto de sua casa, nos horários e dias que você quiser. Você não precisa se locomover ou ficar preso a um horário para aprender.
Suporte  – Você pode tirar dúvidas e aprender com outros alunos que estão fazendo o Curso de SEO, além do auxilio de um Instrutor Experiente
Exercícios – Após as aulas você poderá aplicar os conhecimentos aprendidos em exercícios mais a ajuda de checklists para lhe ajudar no aprendizado e na prática dos  conceitos e boas práticas de SEO.
Instrutor Experiente – O instrutor do Curso de SEO Online Grátis, Ludy Amano, possui mais de 10 anos de experiência em Marketing Digital
Certificado de Conclusão – Ao término do curso você receberá o certificado de conclusão. Essa é a prova que você completou toda a grade do curso, sendo uma excelente habilidade para você adicionar no seu currículo ou perfil do Linkedin.

O que eu vou aprender no Curso de SEO Online – Everest de Visitas.
O Curso é formado pela matriz curricular:

 Introdução – Entendendo a estrutura do curso e Nivelando conhecimentos
 Análise e Planejamento
Análise do Cenário Atual
Definição de metas de um projeto de SEO
Checklist do Planejamento
Plano de Ação
Checklist de Validação de Problemas Graves para SEO
Pesquisa de Palavras-chave e Estratégias de Priorização
Checklist – Revisão do Planejamento e Plano de Ação
Análise de SEO Completa – Passo a Passo
Validação do Estado Atua
Análise da Oferta
Otimização On-Page
Otimização de Conteúdo
Planejamento do ConteúdoLinkagem InternaLink Building – IntroduçãoLink Building – Estratégias para ganhar backlinks de qualidade
Orientações Finais da Análise + Dicas de Gestão da Implementação das Melhorias
Mensuração de Resultados
Conta de Demonstração do Google Analytics Relatórios sobre Público-Alvo
Relatórios sobre Aquisição
Relatórios sobre Comportamento
Relatórios sobre Conversões
Resolução de Problemas
Introdução a Resolução de Problemas
Migração de Sites e Trocas de Plataforma
Sitemap.xml
Estratégias AvançadasMVP
Mindset de SEO
Comandos Avançados de Pesquisa no Google
Como melhorar a Usabilidade da Página – UX
Revisão Geral do Curso

Garantia incondicional do Curso de SEO  – Everest de Visitas?
O Curso de SEO conta com uma garantia de 30 dias para te deixar seguro sobre o que está adquirindo.
O Prazo de Garantia é o período que você tem para solicitar a devolução integral do valor pago pela sua compra, caso você ache que o curso de SEO não é para você.

Para isso basta mandar um e-mail para a equipe do curso que eles tomaram as ações necessárias. Sem ressentimento e sem burocracia.
Depois disso, o seu reembolso será processado automaticamente pela plataforma de pagamentos Hotmart.
Considerações Finais: vale a pena adquirir o Curso de SEO – Everest de Visitas?
O Chief of Design só tem os acessos que tem, a reputação e autoridade em seu segmento graças ao nosso trabalho em SEO. Mais de 70% das visitas do nosso site vem através de SEO.
O tráfego orgânico é o melhor que existe para o seu negócio, pois ele
Não existe formula mágica e nem receita de bolo matadora para isso, mas existe sim a possibildade de adquirir conhecimento e fazer um ótimo trabalho para que o seu site e negócio recebam mais tráfego, gerando assim mais oportunidades.
O Curso de SEO  – Everest de Visitas é ministrado pelo Daniel Imamura, meu amigo que ministra aulas na Digital House, escola de inovação cujo o diretor é o famoso Interney, junto comigo. E é raro você achar cursos de pessoas do calibre dele, que atuam efetivamente no mercado e que tem resultados efetivos para mostrar.
Por isso eu super indico o curso de SEO online – Everest de Visitas.
E antes de terminar, claro, não esqueça de conhecer o curso de SEO online – Everest de Visitas.  Acesse o site e tire todas as sua dúvidas referentes ao curso.
Deixe também o seu comentário abaixo sobre a sua experiência SEO.
Forte abraço.
Até mais.
The post Curso de SEO Online [Completo] Do básico ao avançado appeared first on Chief of Design.

Curso de SEO Online [Completo] Do básico ao avançado
Fonte: Chef of Design

Max Denvir – Entrevista🎙 Na mesa do Chief

Max Denvir – Entrevista🎙 Na mesa do Chief

Eae, tudo bele?
Mais um bate-papo para você. Hoje a troca de ideias é com o Max Denvir.
O Max é publicitário formado pela PUC do RJ e atua com a criação de conteúdo. Ele também faz parte da organização de comunidades como o WordCamp. E junto comigo, ele está organizando o meetup sobre design, criatividade, conteúdo e tecnologia que é o Insights.
Caso você não saiba, meetup são reuniões e encontros de uma comunidade para compartilhar conteúdo e trocar experiências. Normalmente são gratuitos e nasceram lá no Vale do Silício.
Meetups são algo comum em comunidades de tecnologia, mas quando se trata de design ou outra área criativa, ainda é bem raro encontrar algo.
Por isso decidimos criar esse meetup. E além de gratuito, qualquer um pode participar do Insights, seja palestrando, organizando ou assistindo.
Se você quiser participar do nosso meetup, basta a acessar o link a seguir e se cadastrar: https://www.meetup.com/pt-BR/insights-meetup/
Mas nesse entrevista com o Max Denvir não foi somente sobre meetups. Conversamos sobre vários assuntos referente a design, conteúdo, marketing e publicidade e propaganda.
Falamos sobre posicionamento no mercado criativo, sobre criação de conteúdo, sobre oportunidades, clientes, faculdade e outros tópicos relacionados.
Sugiro que você assista o vídeo até o final.
Entrevista com Max Denvir Na mesa do Chief

Conheça o publicitário Max Denvir
Max Denvir é estrategista de conteúdo e trabalha com conteúdo e planejamento na Aza.ag. Na área criativa desde 2009, possui experiência em branding, design, marketing digital e tecnologias para comunicação. Formado em comunicação na PUC-Rio e pós-graduando em cultura alimentar, trabalha em projetos de gastronomia social e pequenos negócios alimentares na Taperebá.
Instagram: https://instagram.com/maxdenvir
LinkedIn: https://linkedin.com/in/maxdenvir
O que você achou do vídeo?
Se  gostou do vídeo deixe o seu comentário abaixo! Isso é muito importante para continuarmos com o nosso trabalho e melhorarmos cada vez mais.
Ajude nosso canal curtindo e compartilhando com seus amigos o vídeo.
CLIQUEI AQUI e se inscreva no Canal do Chief e fique por dentro das novidades.
Forte abraço.
Até Mais.
The post Max Denvir – Entrevista🎙 Na mesa do Chief appeared first on Chief of Design.

Max Denvir – Entrevista🎙 Na mesa do Chief
Fonte: Chef of Design

WordPress como Ferramenta de Marketing Digital

WordPress como Ferramenta de Marketing Digital

Eae, tudo bele?
No dia 13/10/2018 eu palestrei no WordCamp2018. O tema da minha palestra foi: WordPress como Ferramenta de Marketing Digital: Como o WordPress pode te ajudar a alavancar o seu negócio?
O WordPress é uma ótima ferramenta para quem é empreendedor e nessa palestra eu mostrei como nós utilizamos esse CMS aqui no Chief of Design e também em outros projetos.
E a oportunidade de palestrar no WordCamp foi incrível. A comunidade aqui do Brasil, e principal a de São Paulo, é uma das maiores do mundo.
Assista abaixo a palestra que ministrei e veja como foi esse super evento de tecnologia. E caso queira os slides da palestra, você pode conferir aqui.
WordPress como ferramenta de marketing digital – Palestra WordCamp 2018

E já que falei tanto sobre WordPress na palestra, vou complementar este artigo com mais conteúdo, para você entender por completo entender como o WordPress pode ser uma ótima ferramenta de marketing digital ajudando a melhorar o seu negócio, vamos entender um pouco do que se trata esse CMS.
O que é o WordPress?

Caso você nunca tenha ouvido falar em WordPress saiba que ele é uma plataforma de Gerenciamento de conteúdo, ou para muitos o CMS (que tem na prática o mesmo significado). Esta a é a plataforma para publicação de conteúdo mais usada no mundo e engloba quase 70% do mercado que trabalham com CMSs.
O que você poderá fazer caso domine este CMS?

Depende do objetivo. Se você pretende apenas trabalhar com conteúdo você poderá administrar todas as publicações do site através da construção de páginas, galeria de imagens, páginas de produtos, posts de blogs, entre outro tipos de conteúdo, e também executar agendamento e exclusão dos mesmos.
Também poderá instalar funcionalidades através de instalação de plugins e gerenciar comentários, se ativada esta função no projeto, e até gerenciamento de contas de colaboradores do projeto.
Caso seu objetivo seja a construção de um site, você poderá usar de recursos próprios do WordPress para agilizar seu trabalho e até ativar funcionalidades interessantes na própria interface desta plataforma sem muitas dificuldades. Entretanto você potencializará os seus layouts caso possua conhecimentos em linguagens de marcação, estilização [** Dica: To falando do HTML & CSS  e o melhor é que temos um ebook pra isso, viu! é  clicar no banner que está aí algum lugar desta página :P]  e/ou programação.
Quais recursos o WordPress oferece?

Além das inúmeras funcionalidades que esta plataforma disponibiliza, através de seus temas e plugins, também possui suporte em uma das comunidades mais engajadas que podemos encontrar na web, o que possibilita a você encontrar muitas variedades de soluções para problemas diversos.
Porque você deve aprender a mexer nesta plataforma?
O aprendizado deste CMS é imprescindível nos dias de hoje porquê:

pelo fato do mercado exigir cada vez mais profissionais habilitados nesta plataforma, pela possibilidade de oferecer aos criativos que não lidam com programação uma forma de aplicar funcionalidades através de configurações intuitivas em seu painel de controle;
porque possibilita a profissionais de front-end personalizar temas já existentes através de HTML e CSS e a desenvolvedores criarem temas do zero bastando ter acesso à documentação do WP;
E o principal: como esse sistema possibilita o gerenciamento, seus clientes poderão realizar a atualização dos conteúdos dos sites sem depender de você, bastando que ele seja orientado com as ferramentas de publicação que o WordPress oferece.

Não confunda WordPress.ORG com WordPress.COM

É importante ressaltar que tudo que foi dito até agora foi sobre o WordPress.ORG.
O WordPress.ORG é um projeto que oferece um aplicativo gratuito cujos arquivos você tem a total liberdade para modificá-los. Para que este aplicativo funcione, e você possa mexer na plataforma para construir seu site, você precisa hospedá-lo em um servidor.
Em relação ao WordPress.COM se trata de uma plataforma online, isso quer dizer que você não precisa baixar arquivos de forma alguma para instalar em uma hospedagem. Todos os recursos já vem prontos em uma hospedagem própria da plataforma. Mas possui muitas limitações. Exemplo: para que você ative funcionalidades extras você é obrigado a adquirir planos pagos para isso. Para você ter uma ideia para apenas adicionar um domínio é precisa pagar um plano.
Já com o WordPress.ORG. não existem estas limitações em relação as customizações, e grande parte das funcionalidades que você instala através de plugins é gratuita.
Na palestra eu falo sobre motivos para você utilizar o WordPress e como você pode utilizar o WordPress para a criação de:

Blogs;
Landingpages;
Testes A/B;
Para conseguir tráfego via SEO;
Entre outros.

Além de todas essas possibilidades de criação, deixarei alguns desses motivos aqui em texto para você conferir.
WordPress é fácil para instalar, configurar, gerenciar e manter
Umas das questões que tenho que lidar é administração de tempo. Ah , como é complicado, viu!
Então lidar com uma ferramenta que traga facilidades é um dos pré-requisitos para escolha de um CMS.
Já naquele tempo, quando comecei a rascunhar as primeiras ideias sobre o Chief, ganhar tempo era uma prioridade, afinal só poderia mexer no projeto nos momentos de folga e dedicar o maior tempo com criação de conteúdo e o mínimo com gerenciamento.
Para quem for instalar o WordPress pela primeira vez pode se surpreender se espera por uma instalação complexa. Porque é simples e rápido.
Em questão de configuração e gerenciamento a curva de aprendizagem é curta. E o CMS avisa sobre a necessidade de atualizações que podem ser feitas a um clique.
Caso você queira saber como instalar o WordPress veja este artigo.
E dependendo da hospedagem que utilizar essa ação pode até ser mais simples com instaladores automáticos. Como a Hostnet, por exemplo que tem o seu próprio sistema de instalação focado em WordPress.
É de código aberto

Vista que o Chief era um projeto que estava começando, umas das premissas era atingir os primeiros objetivos com o mínimo de recursos possíveis, ou seja, com pouca audiência prevista nos primeiros meses não se justificava investir em ferramentas caras, servidor dedicado e no que se refere a gerenciador, logicamente, soluções pagas estavam fora de cogitação. Uma solução open source era o que eu buscava.
Pois bem. O WordPress é open source e livre de restrições comerciais e limitações. Você pode baixá-lo e subi-lo no servidor de hospedagem que você escolher e usar da forma que você bem entender.
Possui uma comunidade enorme

Esse lado positivo do WordPress eu enxerguei muito antes mesmo de passar em minha mente em construir um blog sobre conteúdos para Web. Foi quando tive a necessidade de construir um site dinâmico e não sabia por onde começar, que encontrei soluções práticas na grande comunidade que cria conteúdos sobre WordPress, e soube que a partir daí teria respostas para grande parte das minhas dúvidas.
Essa comunidade enorme é consequência de um enorme número de seguidores sedentos por conteúdo. Daí o resultado foi “zilhões” de sites que falam sobre o assunto, um fórum feito especialmente para dar suporte, diversos eventos presenciais sobre o tema pelo mundo e desenvolvedores que criam temas e plugins para o WordPress.
Sabendo disso antecipadamente tive a certeza que o Chief estaria bem amparado.
Lógico que tem muita coisa espalhada na web e que você tem que angariar com paciência, ou optar por treinamentos como o meu curso Web Designer Pro, que possui módulos organizados sobre esse assunto.
Além da comunidade Web, também existem eventos presenciais da comunidade como palestras, workshops e meetups. Inclusive o meu primeiro WordCamp foi o de 2016 aqui em São Paulo. Duvido você me encontrar na foto abaixo

E
Ele é amigável para os mecanismos de buscas
Ter um site “encontrável” é objetivo para qualquer projeto, independente da ferramenta que você desenvolve. Você pode criar um site estático somente com HTML e CSS, mas sua preocupação com SEO deve estar presente.
De nada adiantaria escolher um CMS para o Chief, por melhor que ele seja, que não fosse amigável aos mecanismos de buscas. E WordPress é bem-conceituado neste quesito.
Nada mais, nada menos que Matt Cutts, engenheiro de software e ex-chefe da equipe de spam da web no Google declarou que o WordPress cuida de 80 a 90% de SEO.

Sem contar que você pode instalar uma funcionalidade através de um plugin gratuito chamado Yoast SEO que facilita e muito sua vida, provendo vários aspectos de SEO em seus sites.
Não abro mão deste plugin no Chief. Se você quiser saber mais sobre plugins importantes para o seu site em WordPress, sugiro que leia este outro artigo do aqui do blog.
WordPress é muito mais que um gerenciador para blogs
Já passou da época em que o Worpdress era um ótimo gerenciador de blog. Na verdade, ele é um CMS completo para todos tipos de sites. Basta a instalação de alguns plugins e você já tem uma loja virtual ou uma rede social.
Enquanto projetava o Chief of Design, vislumbrava o que mais um gerenciador de conteúdo poderia prover se eu quisesse oferecer de forma diferente os meus conteúdos. De repente poderia me ver com a necessidade de fornecer aos meus seguidores uma área de membros, poderia necessitar de algum recurso que me ajudasse a conquistar leads, etc.
Hoje em dia, boa parte destes recursos são realidades mesmo que através de plugins premium (pagos). O que faz que eu tenha uma melhor interação com meus seguidores além da interface do blog.
O WordPress possibilita a integração, desde que você adquira ferramentas corretas,desde criados de landingpages, áreas de membros até com ferramentas de e-mail marketing, por exemplo.
Interface de administração intuitiva

Está aí uma coisa que gosto muito no WordPress. A interface administrativa deste CMS é muito boa. O que faz que em pouco tempo usuários comuns possam gerenciar seus projetos.
A interface é intuitiva, fácil de usar e de acessar dados.
Acredito que esse é um os diferenciais do WordPress que você pode levar em consideração na hora de escolher um CMS.
Afinal, grande parte (ou praticamente tudo) das ações que um cliente realizará em um site dinâmico, construído por você, será na área administrativa. E o WordPress manda bem no que se refere ao Design de interface de usuário.
O WordPress possui ótimos temas modernos e responsivos

Existe uma gama de desenvolvedores que constroem sites adaptados para diferentes resoluções de telas. Isso já esperado quando comecei a descobrir o WordPress, tanto que quando comecei o Chief sabia que encontrar um bom tema responsivo não seria problema.
Claro que tendo conhecimentos em CSS, você poderá trabalhar ainda mais a responsividade de seus sites (sobre personalização vou falar mais à frente). Foi o que eu fiz no tema que o Chief usa atualmente.
O WordPress possui uma ferramenta de busca que possibilita encontrar diversos temas. Possui até filtro por características. Mas caso não encontre nos gratuitos o tema o ideal para  você, pode optar por temas pagos como os do site themeforest.
O WordPress possui plugins que são uma mão na roda

O WordPress foi criado para ser estendido. E esta forma de extensão é gerada pelos chamados plugins. A comunidade web aderiu a esta possibilidade e por isso que desenvolvedores em todo mundo criam funcionalidades extras, a todo tempo, que são adicionadas ao núcleo do gerenciador.
Pensou em uma funcionalidade para seu site? A chances de Worpdress ter um plugin que supre essa necessidade é grande.
Reconheço que outros CMSs, como o Drupal e o Joomla, dispõem de extensões como os plugin do Worpdress, mas a disponibilidade e variedade do WordPress é impressionante.
Existem alguns plugins que são tão bem classificados que dificilmente imagino o Chief sem alguns deles.
São plugins para SEO, segurança, performance, redes sociais, formulários, entre tantas funcionalidades que fico pensando o que seria de mim se tivesse que desenvolver tudo isso. Com poucos cliques você instala e ativa e, se precisar, realizar algumas configurações.
Obs.: Só não abuse no uso de plugins para não diminuir a performance de seus sites.
Altamente personalizável
A minha preocupação na hora de construir os meus projetos era se com apenas o domínio de HTML e CSS e fuçando na documentação do WordPress, seria possível personalizar um tema, que baixei na web, a partir do código inserindo campos e seções e personalizando o layout. E a resposta foi sim, tanto que visualmente o blog do Chief é muito diferente do tema original.
Esta personalização é feita através de temas filhos, assunto que poderemos abordar no futuro.
Se você manja de PHP você poderá ter um domínio ainda maior da personalização, pois grande porcentagem da parte funcional de um tema WordPress é formada por arquivos com extensão .php.
É possível também que você faça uma personalização mais abrangente se você dominar a criação de temas raiz ou a partir de um framework para ganhar mais tempo, como por exemplo o framework Odin, desenvolvido pela comunidade brasileira de WordPress.
Temas a partir do zero, temas a partir de frameworks e temas filhos são as formas que possibilitam um projeto altamente personalizável. Todavia ainda existe uma forma que possibilita uma menor de customização, que é através da customização do tema. Essa personalização varia de tema para tema e não mexe de forma efetiva com códigos.
Dependendo do tema é possível alterar a cor de fundo, a imagem de cabeçalho, inserir logo, inserir widgets e até mexer na tipografia.
Em comparação com os outros métodos citados anteriormente ele é bem inferior, porque não permite mexer de forma efetiva e profunda no layout.
 Por que você deveria usar WordPress em seus sites?
Acredito que você já tenha percebido o potencial do wordpress e que utilizá-lo é uma ótima escolha se precisas de sites dinâmicos.
O WordPress pode trazer boas vantagens como: facilidade de instalação e gerenciamento, uma comunidade disposta a oferecer os melhores conteúdos de suporte, um site otimizado para os mecanismos de buscas, funcionalidades extras e temas diversos e a possibilidade de customização. Tudo isso já seria suficiente para aderir a este CMS.
Considerações Finais
Como apresentei na palestra no WordCamp SP 2018, o WordPress pode ser uma ótima ferramenta em suas estratégias de marketing digital.
Se você trabalha com marketing e conteúdo, pode testar esse CMS, você não vai se arrepender. E quem sabe a gente se encontra em algum WordCamp, né?
Deixe o seu comentário ou dúvida abaixo. Fique à vontade!
Forte abraço.
Até Mais.
The post WordPress como Ferramenta de Marketing Digital appeared first on Chief of Design.

WordPress como Ferramenta de Marketing Digital
Fonte: Chef of Design

Barbara Lasci – Entrevista🎙Na mesa do Chief

Barbara Lasci – Entrevista🎙Na mesa do Chief

Eae, tudo bele?
Continuando com nossa série no canal onde chamo profissionais de áreas co-relacionadas para bater um papo que lhe traga conteúdo e informação, temos mais uma entrevista. Hoje trago uma entrevista com a Social Media Barbara Lasci, da página La Social.
A Barbara Lasci é a autora do La Social. La Social é o novo canal para falar de boas práticas em mídias sociais baseado em experiências reais de quem atua ativamente no mercado.
Nesse bate-papo conversamos sobre o universo das redes sociais e o profissional de mídia social. E esse conteúdo é muito válido principalmente para você que deseja atuar nessa área de social media. Mas não somente isso, falamos também sobre design, ferramentas, público-alvo, trabalho em agência, entre outros assuntos.
Abaixo você pode assistir agora essa super entrevista. Confira.
Entrevista: David Arty e Barbara Lasci

Conheça a Social Media Barbara Lasci
Barbara Lasci atua com mídias sociais há 8 anos, já atendeu grandes clientes como Hellmann’s, Knorr, L’Oréal, Mondelez, Marisa, Heineken em agências de renome, como Ogilvy & Mather, em projetos nacionais e internacionais. Seu trabalho já foi destaque em veículos como Adnews, Catraca Livre, O Globo, Tv Globo, Tv Cultura, Brainstorm 9 e diversos outros.
Siga a Barbara Lasci:
Facebook:
https://www.facebook.com/sigalasocial/
Instagram:
https://www.instagram.com/sigalasocial/
Gostou do vídeo? Eu gostei
Espero que o vídeo tenha sido útil para você, que você tenha gostado e que te ajude de alguma maneira, agregando conhecimento e informação para você seguir a sua trajetória profissional.
Aproveite que está aqui e deixe o seu comentário abaixo!
E não esqueça de ajudar o nosso canal curtindo e compartilhando com seus amigos o vídeo.
CLIQUEI AQUI e se inscreva no Canal do Chief e fique por dentro das novidades.
Forte abraço.
Até Mais.
The post Barbara Lasci – Entrevista🎙Na mesa do Chief appeared first on Chief of Design.

Barbara Lasci – Entrevista🎙Na mesa do Chief
Fonte: Chef of Design

Como um Designer faz para registrar uma marca e garantir o seu direito autoral?

Como um Designer faz para registrar uma marca e garantir o seu direito autoral?

Eae, tudo bele?
Com certeza uma das principais dúvidas que pairam sobre a cabeça de um designer é: como um designer faz para registrar uma marca? E como senão bastasse essa dúvida ainda surge uma outra que é: como garantir meus direitos autorais de designer diante de um projeto??
Isso porque você designer pode registrar uma marca de um cliente, por exemplo, mas mesmo assim não garantir os seus direitos autorais diante do projeto. O registro de marca garantirá o lado do cliente, mas e o seu lado?
Então, para tirar dúvidas sobre esse assunto, veremos a seguir como você pode fazer as duas coisas: registar marca do seu cliente e garantir os seus direitos intelectuais do projeto.
E você verá como garantir o seu direito de designer sobre arte, em poucos minutos e investindo somente R$19,90 através do sistema internacional de registro de direitos autorais da Avctoris.

A seguir vamos entender quais procedimentos você pode tomar para evitar problemas no futuro, tanto no registro da marca quanto no direito autoral. Vamos nessa?
Por que o Designer de registrar uma marca?
Registrar uma marca não é luxo e sim uma necessidade.
Fazer o registro de marca é proteger a identidade da sua empresa, ou a do seu cliente, de pessoas e empresas de má fé, de concorrentes que possam querer utilizar a sua ideia e de novas empresas que por ventura possam ter e utilizar, por vezes sem conhecimento da existência da sua empresa, a mesma ideia.
Isso porque se a sua marca não estiver registrada e regularizada dentro da legislação vigente, outras pessoas ou empresas poderão registrar a sua marca ou os elementos que compõem a identidade da sua marca como, por exemplo: símbolos, logos, slogans, nomes, cores, mascotes e até jingles.
E não importa se você já utiliza tais elementos na comunicação da sua empresa há anos. Até você correr atrás e tentar provar, através de processos na justiça, você já terá perdido tempo, dinheiro e sem a certeza de que terá ganho de causa.
Sem falar que tal atitude pode prejudicar a relação com seu público ou cliente. No primeiro caso, pode confundi-los, pois outra empresa estará utilizando os elementos que eles estão acostumados. E já pensou se eles utilizam o serviço do concorrente e gostam?
E em segundo, passará no mínimo uma imagem de desleixo por sua parte. Afinal, se você não cuida nem da sua marca, imagina do seu cliente. Não é mesmo?
Apenas por não registrar uma marca você designer pode perder credibilidade, alcance, público e dinheiro.
Por tudo isso, e outros prejuízos incontáveis, que não registrar uma marca design pode lhe dar muita dor de cabeça no futuro.
Quem deve fazer o registro de marca?
Se você for designer ou criativo que criou a marca para um cliente, o registro deve ser feito por ele. Você pode orientá-lo, mas ele que deve arcar com os custos.
Portanto, você Designer, é responsável por criar o logotipo, a identidade visual, por desenvolver um manual de marca, entre outras tarefas. O registro é com seu cliente, claro que sempre possível com o seu auxílio por perto.
Mas o seu dever, como profissional astuto que és, Galucho, é com o direito autoral (que falaremos a seguir). Esse sim você deve registrar logo que o projeto ganhe forma. E para isso você pode utilizar o serviço da Avctoris.
Como registrar uma marca design?
No Brasil, para registrar uma marca você deve utilizar o serviço do INPI- Instituto Nacional da Propriedade Industrial. Esse registro protege que protege a sua identidade visual e o fonema de da marca dentro do seu segmento de atuação, ou seja, nenhuma outra empresa do mesmo segmento poderá fazer uso dos elementos que compõem a sua marca.
Como funciona o INPI
Empresas e pessoas (pessoa jurídica ou física) podem solicitar o registro de uma marca no INPI.
O registro é válido somente no Brasil e tem a duração de 10 anos a partir da data de registro, sendo renovável por mais períodos de 10 anos, com custos para renovar.
Como fazer o registro de marca?

Primeiro você deve se cadastrar no site do INPI, realizar uma pesquisa para verificar se já existe uma marca registrada com nome que você deseja.
Após a checagem sobre outras marcas, você deve saber qual tipo de classificação de marca, segundo os parâmetros do INPI, a sua identidade pertence. Se é uma Marca Nominativa, Marca Figurativa, Marca Mista, etc. Você pode saber mais sobre os tipos de marca neste link.
Você precisa saber qual a natureza da sua marca e se ela se encaixa: marca de produto, de serviço, marca coletiva ou de certificação. E não somente o segmento, mas você deve saber também qual o segmento de mercado da sua marca, pois você precisará escolher uma classe para ela (marca de produto do segmento de roupas, por exemplo).Você ver mais sobre aqui neste link

Após checar todas essas informações, você deverá preencher um formulário de cadastro. E como citei, você designer pode registrar uma marca tanto como pessoa física quanto como pessoa física.
Feito o cadastro você usará essa conta criada para acessar o sistema do INPI durante todo o processo. Você pode ter apenas uma conta por CNPJ ou CPF.
Após o cadastro você poderá emitir uma GRU (guia de recolhimento da união) correspondente ao serviço de registro de marca.
Todas aquelas informações citadas no passo anterior, você utilizará aqui.
Os valores podem variar dependendo do tipo de titular da conta, sendo que o INPI oferece desconto para empresas do tipo ME, MEI, EPP, Cooperativas, Associações sem fins lucrativos, Instituições de pesquisa e ensino e também para pessoa física.
Para pessoa física, por exemplo, fica na média de R$150. O valor também pode mudar se o recolhimento seja presencialmente. A seguir veja um infográfico feito pelo próprio INPI.

AGORA ATENÇÃO!!!
Você deve guardar o número do documento, que fica localizado no próprio boleto. É com esse número que você dará prosseguimento ao registro.
Após pagar a GRU, você deve voltar ao site do INPI e escolher a opção e-marcas. Após logar com seu login e senha (feito no passo anterior), você utilizará o número do documento da GRU para continuar.
Feito isso você terá acesso a um formulário de registro de marca. Lá você terminará de preencher os dados dependendo do tipo da marca, como por exemplo, subindo a imagem da marca, de acordo com o padrão solicitado no site, e também escolhendo uma classe para ela.
Concluída toda essa operação, você poderá conferir o pedido antes de protocolar o envio. Se estiver tudo certo, você confirma o envio e o sistema gerará uma tela para você baixar o comprovante em PDF, onde constatará o número do processo para acompanhamento.
A sua marca passará por um processo da validação e caso ela seja aprova você deverá pagar outra taxa referente ao decenio que tem um preço na média entre R$200 à R$400.
Deixarei um vídeo abaixo onde explica sobre todo esse processo.

Quanto tempo demora para registrar uma marca design?
Um processo de registro de marca pode demorar mais de 2 anos até ser analisado pelo INPI. Com certeza mais de 1 ano e meio dura, pode apostar.
Concluída a análise o Instituto pode deferir ou indeferir o processo. Caso seja deferido, ou seja, aprovado,  o titular do registro tem até 60 dias para pagar as taxas e realizar todos os transmitis para que marca  enfim seja registrada pelos próximos 10 anos.
Caso o titular não realize os pagamentos para concessão o processo é arquivado por falta de pagamento. Nesse caso a marca não é registrada e ficará disponível novamente para qualquer pessoa.
É muito importante ficar atento ao site do INPI para não perder o prazo. O resultado do processo sai na revista eletrônica do INPI e você recebe um e-mail avisando sobre, porém esse e-mail sempre cai no spam ou lixeira, quando não, nem chega.
Recomendo verificar o processo do registro da marca  no site do INPI em tempos em tempos para não perder o prazo.
Preciso contratar uma empresa para registrar uma marca no INPI? (CUIDADO COM A FRAUDE)
Não precisa. Mas parecem que fazem de tudo para você contratar.
É chato e até certo ponto difícil registrar uma marca no Brasil. Parece que dificultam justamente para termos que pagar R$1000, R$2000, R$3000, R$4000, R$5000 aos escritórios especializados. Um absurdo em pleno século XXI termos tanta dificuldade para registrar uma marca.
E fique esperto sobre boletos que chegam na sua casa. Algumas empresas do ramo ao identificarem no sistema do INPI que você registrou o pedido de marca, emitem um boleto e enviam para você como se fosse o INPI. Isso é realmente um absurdo, pois alguém desatento acaba pagando o boleto pensando que é do INPI.
O INPI não envia boletos para você.
Claro que se você quiser, pode contratar uma empresa especializada, mas não é requisito para registrar uma marca design.
Fique também atento ao seu e-mail, pois o golpe pode vir também por ele. INPI até envia e-mail, mas somente quando a marca foi liberada para o pagamento do deceino.
A seguir vou falar sobre uma medida que você designer, freelancer e criativo deve tomar independente do registro da marca no INPI. Garanta o seu direito autoral.
O que é direito autoral?
Direito autoral é um conjunto de leis criadas voltado à criação artística, musical, literária, científica, logotipos, layouts, etc; com o objetivo de proteger tais obras, bem como o direito de exclusividade do autor se beneficiar de direitos morais e econômicos da obra ou de cede-los para a exploração de terceiros.
O Direito Autoral no Brasil está presente desde a constituição de 1891 e existem vários tipos de direitos relacionados à exploração das obras, sejam pelo autor ou por terceiros.
Qual a diferença entre registro de direito autoral e registro de marca?
O direito autoral é algo inerente ao autor, já o registro de marca é uma licença perante o governo para quem ninguém utilize comercialmente a mesma ideia que a sua. Sobre isso deixarei um vídeo sobre o Dono da Avctoris. Nele ele esclarece essas dúvidas.

Por que garantir o meu direito autoral de designer?
É muito importante que você registre o direito autoral de designer em uma marca. Independente do registro no INPI, esse registro garante para você que criou a marca o direito sobre a criação.
Apesar de não ser obrigatório, essa é uma atitude que pode lhe livrar de dores de cabeça e de pessoas de má fé.
Existem outros arquivos que podem comprovar o seu direito autoral de designer, mas grande parte deles podem ser contestados perante a lei.
Veja a seguir um trecho tirado do site da Avctoris.
O Direito Autoral (copyright) é declaratório, ou seja, não é necessário ou obrigatório solicitar o registro em lugar algum, os direitos do autor (copyright) nascem junto com a obra, porém, para facilitar o exercício destes direitos o autor (copyright) deverá ter algum tipo de PROVA DE ANTERIORIDADE através da qual ele se declare autor da mesma e que possa servir de prova em caso de disputa futura;
Este tipo de “registro” pode ser solicitado pelo AUTOR visto que naturalmente à ele pertence desde o “nascimento” da obra e só depois ele poderá ser cedido à terceiros, portanto é uma forma legítima do designer/ilustrador/publicitário proteger-se dos “maus clientes”, mas muito além disso, é uma forma de proteger os “bons clientes” pois ele já entrega ao cliente um trabalho com algum nível de proteção, amplo o suficiente para ser considerado um VALOR AGREGADO importante.
A obra protegida pelo Direito Autoral (copyright) é automaticamente válida nos 164 países membros da CONVENÇÃO DE BERNA, que regulamenta internacionalmente o Direito Autoral (copyright), todas as legislações dos países membros do tratado são subordinadas à suas regras gerais;
Um logotipo protegido por Direito Autoral (copyright) não se limita a um segmento, produto ou serviço. O uso não autorizado de um logotipo, mesmo com inscrições diferentes *(nome) é considerado plágio, independente do segmento. Podem ser coisas completamente diferentes como biscoitos e pneus, serviços de turismo e restaurantes, tanto faz, o uso sem autorização é sempre plágio.
O Direito Autoral divide-se em 2: Direitos Morais, que são sempre do Autor (pessoa física, exclusivamente) e referem-se à paternidade (ou maternidade) da obra, direito de incluí-la em seu portfólio, de ser citado e reconhecido como autor, etc… e Direitos Patrimoniais, que são os relacionados ao direito de uso, execução pública, transações financeiras, etc… Estes são do Titular, que pode ser o Autor ou podem ser cedidos temporariamente (licença) ou definitivamente (transferência) a terceiros, inclusive pessoas jurídicas.
Quando da proteção de um logotipo podem ser incluídas todas as suas apresentações, variações e até slogans/assinaturas.
Quanto custa para registar o meu Direito Autoral? Quanto tempo demora par registrar?
Diferente do registro de marca no INPI, o de direito autoral você só paga R$ 19,97. Só isso! E apenas uma vez na vida.
Em normalmente em menos de 24 horas o seu direito autoral estará protegido em 173 países,pois o sistema é baseado em tratados internacionais. E as tecnologias utilizadas são reconhecidas pelo judiciário no Brasil e no exterior, formando prova sólida e indiscutível!
Como registrar o meu Direito Autoral?
Para garantir o seu direito autoral, basta acessar este link (CLIQUE AQUI)
Depois descer a tela e clicar no botão “registre agora”.

A seguir basta clicar no botão “Li, compreendo e aceito os termos acima descritos”.

E continuar o cadastro de forma simples e fácil até finalizar o pedido.
Assim você terá acesse a um certificado de direito autoral válido em 173 países em menos de 24 horas e por apenas R$19,90.

Conclusão
Independente do registro de marca, a primeira coisa que você deve fazer é garantir o seu direito autoral. A Avctoris é uma empresa segura e que garante isso para você.
O valor do registro é muio barato e vale a pena investir R$19,90 para evitar dores de cabeça. Registre o seu direito autoral antes mesmo do seu cliente registar a marca no INPI. Proteja-se. Clique neste link e registre o direito autoral do seu projeto.
E sobre o INPI a conclusão que tenho é que registar uma marca no Brasil é cansativo e demora, infelizmente. O sistema é ruim e o atendimento é lento. Mas é um mal necessário. Sempre que puder registre a marca.
Se tiver oportunidade, converse com um advogado especializado na área sobre essas questões.
E você já registou uma marca?Já garantiu o seu direito autoral?
Forte abraço.
Até mais.
The post Como um Designer faz para registrar uma marca e garantir o seu direito autoral? appeared first on Chief of Design.

Como um Designer faz para registrar uma marca e garantir o seu direito autoral?
Fonte: Chef of Design