Category: Sem categoria

Membership Plugin -ARMember WordPress

Membership Plugin -ARMember WordPress

Hoje em dia, à medida que mais e mais pessoas procuram coisas online, seja um curso de aprendizagem online, download de e-books, downloads de PDF, cursos em vídeo ou downloads digitais, um site de associação é a melhor maneira de oferecer o seu conteúdo premium para os membros que pagam pelo seu site.

Se você estiver executando um site WordPress específico para o compartilhamento de conhecimento e expertise, você provavelmente precisará criar um site de associação de sucesso.

Isso pode ajudá-lo a gerar uma receita recorrente e a obter mais lucro de forma consistente.

Dito isso, o plugin ARMember WordPress Membership pode ser uma aposta certa para você. Este incrível plugin oferece todos os recursos avançados que um robusto plugin de assinatura do WordPress deve ter.

Ao contrário de muitos outros plug-ins de associação do WordPress, ARMember é uma escolha de plug-in definitiva que oferece implementação de recursos avançados sem a necessidade de habilidades de codificação.

Isso significa que você não precisa ser um hacker, apenas ter habilidades tecnológicas!

Além dos pacotes de recursos superpoderosos, há alguns conjuntos exclusivos de recursos e disponibilidade de complementos que tornam o ARMember um destaque.

Resumindo, o ARMember tem recursos que permitem incorporar muitos recursos que permitem criar e construir um site de associação WordPress de sucesso.

Aqui, neste artigo, iremos conduzi-lo através da revisão final do plugin ARMember WordPress Membership.

Além disso, analisaremos alguns dos recursos poderosos que os plug-ins de associação do ARMember WordPress oferecem.

Vamos dar uma olhada!

Recursos do ARMember WordPress Membership Plugin

Restrição de Conteúdo

O recurso de restrição de conteúdo funciona muito bem quando você tem vários níveis de associação e deseja fornecer acesso para um conteúdo específico aos membros de diferentes níveis.

Você pode definir a restrição de conteúdo para as páginas, postagens, categorias, marcas, taxonomias e muito mais para os planos de associação selecionados.

Se você deseja restringir apenas uma parte do conteúdo, então, nesse caso, o ARMember permite que você proteja apenas uma parte específica do conteúdo. Além disso, se você deseja bloquear partes do seu conteúdo no seu site, você pode bloquear essa parte definindo condições.

Gotejamento de Conteúdo

ARMember oferece o recurso Dripping Content (Gotejamento de Conteúdo) que é usado para atrasar a liberação do seu conteúdo para os membros de diferentes níveis do site.

O gotejamento de conteúdo permitirá que você agende um conteúdo específico para que os membros do seu site possam visualizar apenas o conteúdo acessado que você definir.

O gotejamento de conteúdo é ideal para cursos online – ele é útil para que os seus membros aprendam sobre o módulo. Você pode agendar conteúdo para a disponibilidade do módulo e revelar o conteúdo periodicamente. Por exemplo, digamos que você apresente um curso online, você pode agendar o seu gotejamento de conteúdo e mostrá-lo aos membros do seu site após 10 dias ou após a conclusão de determinado módulo.

Uma regra de gotejamento pode ser baseada no tipo de conteúdo, como uma página ou postagem, ou para o plano de associação. Você também pode gotejar o conteúdo imediatamente, após um determinado período de assinatura ou em uma data futura específica.

Esse recurso é ideal para empresas que oferecem cursos para membros com módulos semanais em que desejam atrasar o lançamento do conteúdo.

Membership Setup Wizard (Assistente de Configuração de Associação)

Um dos recursos interessantes e exclusivos do site de associação do ARMember WordPress é o assistente de configuração de associação, onde em poucos minutos você pode integrar facilmente os seus planos, formulário de registro, gateways de pagamento e cupons.

Vários Ciclos de Pagamento

Os membros podem se interessar se você tiver a oferta de uma opção de pagamento conveniente, onde podem escolher entre anual, trimestral, mensal, semanal ou outras opções de pagamento personalizadas de acordo com a escolha deles.

Você pode construir vários ciclos de pagamento para planos recorrentes, já que o ARMember facilita o gerenciamento de membros com vários níveis de planos de assinatura.

Construtor de Formulários Integrado

O ARMember membership plugin para WordPress oferece a você o Form Builder (Construtor de Formulários) integrado que é usado para criar formulários de inscrição ou Login em WordPress atraentes e impressionantes.

A beleza desse recurso é que ele fornece algumas das amostras predefinidas prontas para usar, que você pode personalizar facilmente com diferentes estilos de formulário, como material e outros tipos de estilos de campo modernos.

Modelos de Perfil de Membros e Modelos de Diretório

Gerenciar o perfil de membro acaba de ficar mais fácil com o uso de modelos e diretórios de perfil ARMember.

Você pode editar e personalizar facilmente esses modelos onde você pode adicionar vários campos de perfil como (nome de usuário, endereço de e-mail, nome, sobrenome), adicionar campos de perfil social, selecionar planos de associação e outras configurações, como exibição de crachás de membro, data de adesão e mais.

Período de carência por atraso de pagamento

Curiosamente, o plugin de associação do ARMember WordPress tem esse recurso incrível que pode provar ser uma verdadeira joia, ele facilita o Período de Carência para os pagadores atrasados.

Pode haver alguns casos em que, às vezes, os seus membros podem deixar de pagar o valor da assinatura. Nesses casos, você pode conceder aos seus membros um período de carência de alguns dias para que eles possam fazer o pagamento de sua assinatura durante o período de carência. Dessa forma, você pode permanecer intacto com a assinatura do site de associação.

Restrição relacionada ao endereço IP

Algumas pessoas tentam acessar a senha de login com o método de tentativa e erro conhecido como força bruta.

Portanto, para manter o seu site de associação longe dessas pessoas, você pode bloquear os endereços IP dessas pessoas e impedir que entrem no seu site.

Com acesso a esse recurso, você também pode restringir as pessoas de um país / local específico de entrar no seu site de associação.

Integração de Opt-In, Integração de Email Marketing Platform

Quando um membro se inscreve em uma conta, adicione-o à sua lista de mala direta e envie campanhas por e-mail.

Portanto, você pode integrar o seu site de associação diretamente com os formulários de opt-in e conectá-lo a algumas campanhas populares de marketing por e-mail como Aweber, MailChimp, Constant Contact e muito mais.

Envio de notificações personalizadas por e-mail

Quando você tem recursos como Opt-In, com ferramentas populares de marketing por e-mail, a próxima coisa que você vai querer é enviar notificações personalizadas por e-mail. Você pode facilmente personalizar as notificações por email na guia Notificações por Email.

O que é ainda mais surpreendente é que, com o uso dos Modelos de Tags, você pode facilmente se dirigir aos assinantes pelo nome, sobrenome, nome de usuário, endereço de e-mail do usuário e muitas outras opções.

Conecte-se Por Meio De Login Social

Você sabe, nem todos os membros querem digitar o nome, e-mail, número de telefone e outros detalhes para fazer o login.

Assim, ao habilitar a opção de conexão social no ARMember, os membros do seu site podem fazer o login diretamente clicando no botão do Facebook, LinkedIn, Twitter e muito mais.

O Que Mais?

O plugin ARMember WordPress tem muito mais do que isso!

Há suporte embutido para integração de terceiros para (BuddyPress, bbPress, WooCommerce, WPBakery Page Builder, ARPrice, myCRED).

Ainda mais, o plugin ARMember WordPress membership oferece mais de 21 integrações de complementos

Outros recursos que chamarão a sua atenção para o ARMember:

Fatura automatizada e imposto sobre vendas para os membros inscritos mediante a inscrição paga.Verificação de login em duas etapas para ficar protegido contra hackers.Restrição de conteúdo WooCommerceEmblemas e Conquistas para vários níveis de associação para criar e configurar etapas para obter emblemas.

Resumindo

Finalmente, com tudo isso dito e feito, ARMember tem muitos recursos impressionantes. Acabamos de destacar alguns dos principais recursos do ARMember WordPress membership plugin.

Com um conjunto robusto de recursos e a facilidade de acesso, mesmo sem a necessidade de habilidades de programação, este incrível plugin do WordPress é um destaque!

Esperamos que este artigo tenha atraído você para um entendimento profundo dos recursos do ARMember WordPress membership plugin.

Se você gostou de ler este artigo, não se intimide em compartilhá-lo na rede social para que possa ajudar cada vez mais empresas que buscam construir uma solução completa para o site de associação do WordPress.
The post Membership Plugin -ARMember WordPress appeared first on Chief of Design.

Membership Plugin -ARMember WordPress
Fonte: Chef of Design

A importância dos menus, cabeçalhos e rodapés para o SEO do seu site

A importância dos menus, cabeçalhos e rodapés para o SEO do seu site

Em um momento em que a presença virtual é fundamental para a existência dos negócios, o Search Engine Optimization (SEO) surge como uma possível  esperança para as empresas. É através das boas técnicas de SEO que as pessoas encontrarão sua página na internet.

Stephen Phillips – Hostreviews.co.uk – unsplash.com

Um artigo escrito pelo especialista em eletrônicos Ricardo Fernandes e publicado no MagoDaTecnologia explica bem o tamanho da importância dessas práticas: “Depois da pandemia, praticamente todas as empresas tiveram que migrar para o virtual para se salvar. O ambiente que já era concorrido se tornou ainda mais. Por isso, quem conseguir estabelecer as melhores ações para otimizar o desempenho nos buscadores estará sempre um passo à frente. Por isso, lembrar de todos os elementos da página pode ajudar muito.”

O que Fernandes quis dizer é que muitas empresas e lojas virtuais se atentam apenas aos textos, usando as palavras chave e esperando bons resultados. No entanto, a estrutura do site também pesa muito para o desempenho nas buscas. Por isso, é importantíssimo que o Web Designer tenha noções de SEO, para dar a atenção necessária aos menus, cabeçalhos e rodapés.

Cabeçalhos

Existem seis níveis de hierarquia para os cabeçalhos do site, que vão do H1 até o H6. Para que não haja problemas, o ideal é utilizar esses seis níveis de maneira ordenada. Muita gente utiliza os cabeçalhos apenas para destacar informações ou utilizar algo com uma fonte maior. Porém, eles são importantíssimos para a detecção do seu site nos buscadores. Então, tente encaixar suas palavras chave de maneira orgânica nos cabeçalhos, de modo que sirvam tanto para auxiliar os visitantes da página na navegação, quanto para que o SEO seja valorizado.

Evite utilizar dois H1 na mesma página, pois isso poderá afetar o desempenho do site. Também não coloque frases vagas apenas para funcionar como palavras-chave, pois isso prejudicará a navegação. Encontrar o equilíbrio é o grande desafio.

Rodapé

O rodapé da página é um elemento muito importante para valorizar o seu site através da implementação de links com palavras âncoras. Por isso, o ideal é organizar o seu rodapé com links de acesso às principais páginas do seu site (aquelas que você deseja atrair visitantes). Além de ajudar no SEO, isso também poderá colaborar para a navegação do usuário, que terá fácil acesso às informações importantes em qualquer página do site. Entretanto, evite exageros. A recomendação é colocar no máximo 10 links no rodapé.

Menus

Os menus são os elementos mais importantes para facilitar a navegação dos usuários em seu site. Além disso, você pode aproveitar o espaço para melhorar o seu SEO. Por isso, tente encontrar um equilíbrio entre experiência do usuário e palavras chave. Por exemplo: em vez de criar um menu com palavras genéricas, como “Conheça nossa loja”, aproveite esse espaço para definir a sua loja em poucas palavras, implementando as palavras chaves pesquisadas que levarão até o seu site. Para não prejudicar o desempenho, evite colocar um número exagerado de links nos menus, sendo direto e objetivo.
The post A importância dos menus, cabeçalhos e rodapés para o SEO do seu site appeared first on Chief of Design.

A importância dos menus, cabeçalhos e rodapés para o SEO do seu site
Fonte: Chef of Design

Curso de UI Design – Tudo o que você precisa saber para escolher o melhor treinamento

Curso de UI Design – Tudo o que você precisa saber para escolher o melhor treinamento

E ae? Tudo bele?

Se você chegou até aqui a procura de informações sobre Curso de UI Design é porque já deve ter percebido que as pessoas estão interagindo em interfaces que vão além dos tradicionais websites.

E possivelmente concluiu que aí reside oportunidades para profissionais qualificados a criar interfaces para os diferentes dispositivos existentes. Dispositivos estes que são objetos de desejo de grande parte do público interessado em tecnologias modernas. Não é mesmo?

Então esse artigo visa orientar você que quer se qualificar e está a procura de um bom Curso de UI, que poderá te ajudar a ingressar na área com maior confiança.

Neste artigo você saberá:

O que faz um UI Designer;Tipos de Cursos de UI Design;O que devo avaliar na hora de escolher um curso de UI Design.

Então vamos ao conteúdo!

O que faz um UI Designer?

Caso você já saiba o que faz um UI Designer você já pode passar para o próximo tópico.

UI Design significa User Interface Design (Design de Interface do Usuário).

O profissional UI Designer elabora, cria e planeja a interface pela qual uma pessoa (chamado normalmente de usuário) interaja e controle um determinado dispositivo. Esse dispositivo pode ser um sistema, software, produto, serviço, aplicativo, etc.

Durante o processo de planejamento e criação da interface o UI Designer vai utilizar de conhecimentos de diversas disciplinas.

Este profissional trabalha bastante com a parte visual de um projeto, entretanto o resultado das ações vão além da estética/aparência. O foco principal, sobretudo, sempre deve ser como será realizada a interação entre o usuário e a interface para garantir uma boa experiência de uso.

Imagem ilustrativa de um UI Designer prototipando um projeto.Por MIND AND I /Shutterstock

Caso você queira saber mais sobre o que faz um UI Designer e sobre o mercado de trabalho para este profissional dê uma conferida neste artigo.

Tipos de Cursos de UI Designer

Cursos são uma ótima forma de você adquirir um conhecimento específico. E dependo do tipo, ele pode ter um conteúdo que vai direto ao ponto e atualizado para as necessidades do mercado.

Mas uma coisa você sempre deve ter em mente, principalmente em áreas relacionadas a Design. Um curso será muito importante quando ao final, ou no decorrer dele, você conseguir demonstrar o que aprendeu na prática. Ou seja, a qualificação depende muito de seu esforço e partir daí o curso terá valor em seu currículo.

Faculdade

Para aqueles que procuram um curso superior, não existe uma faculdade específica de UI Designer, nem mesmo curso técnico. 

Um caminho normal seria fazer a Faculdade de Design Gráfico, ou atuar mesmo sem curso superior como Designer Gráfico, e daí procurar por treinamentos na área de UI Design.

Então os tipos que encontramos são os cursos livres e especializações. 

Cursos livres e especializações

Começando pelas especializações, elas são destinadas a pessoas que já concluíram a graduação e que buscam obter conhecimentos aprofundados em uma área profissional.

Entretanto os cursos disponíveis para formação de UI Designers são cursos de UX Design que inclui na grade conhecimentos de UI Design.

A seguir deixo um vídeo que explica as diferenças e semelhanças entre as áreas de UI e UX Design.

Então para você que quer uma formação mais objetiva e específica em UI Design os cursos livres, sejam online ou presencial, são os mais indicados.

O que devo avaliar na hora de escolher um curso de UI Design?

Uma coisa muito importante que você deve ter em mente; nenhum curso vai te ensinar tudo sobre a área e a profissão.

É sua missão sempre se manter atualizado através de cursos, livros, conteúdos na internet, eventos, contatos com outros profissionais e principalmente vivenciando na prática.

Mas algumas coisas podem sim ser levadas em consideração no momento em que você estiver pesquisando sobre um Curso de UI Design que possa atender suas necessidades. Vou passar agora alguns itens para você avaliar na hora da escolha.

O curso oferece conteúdos de Fundamentos de Design?

Pode ser que você conheça bem esses fundamentos e não faria diferença a presença de conteúdos sobre eles em um curso. Porém ele sendo oferecido, mostra que o treinamento se preocupa com o público que nunca teve acesso ao básico para entender a área, e essa empatia com o usuário é um bom sinal. Isso porque é um pensamento que vai de encontro com o UI Design.

Sem contar que a presença destes conteúdos serve para você pode reforçar seus conhecimentos se quiser.

O curso oferece conteúdos de conceitos referentes a Interação Homem-computador?

Nãos sei se todos cursos se atentam a estes conceitos. Mas como a área UI Design entende-se como Design de Interface do Usuário, podemos entender que conhecimentos da área de IHC são bem-vindos porque relacionam o usuário e a interface, que são protagonistas da interação.

O curso abrange os conceitos que vão além de criar telas com visual bonito?

Os conceitos apresentados no curso devem focar principalmente nas interações e usabilidade de uma interface.

O curso ensina a mexer com as principais ferramentas de edição aplicada a UI Design?

Quando o foco é a construção de interfaces digitais é interessante o curso oferecer conteúdos sobre ferramentas como Sketch app, Adobe XD, Figma, entre outros, mesmo que de forma introdutória.

Outros pontos a considerar antes de adquirir um curso de UI Design

Principalmente se o curso que você está pesquisando for online (a maioria é) é interessante verificar alguns requisitos que beneficiam seu aprendizado. Entre eles destaco:

Se o acesso é ilimitado, e você pode ver e rever as aulas quantas vezes achar necessário pelo prazo contratado.Se os conteúdos são disponibilizados em uma plataforma 24 horas no ar, e que você possa assistir às aulas a qualquer hora e qualquer lugar que tenha um dispositivo com acesso a internet. Se o curso tem certificação.Se o curso dispõe de um prazo de garantia mínima para que você possa avaliar o conteúdo para saber se é isso mesmo que você quer, e se ele atende às suas necessidades. Se o curso oferece um plus que beneficie seu aprendizado como conteúdos bônus que complementam o conteúdo principal do curso, ou alguma comunidade para interação entre alunos e suporte.

Conclusão

Então é isso, Galucho! Essas são considerações que acreditamos ser importantes na hora de pesquisar sobre Cursos de UI Design. E gostaríamos que você relatasse o que você acha importante na hora de escolher um curso.

Compartilhe a sua opinião, dúvida e/ou experiência deixando o seu comentário abaixo, bele? 😀

Se você gostou desse post compartilhe com seus amigos que tiverem interesse em UI Design. 😀

Caso tenha mais dúvidas eu vou deixar abaixo alguns links com mais conteúdos esclarecedores sobre a área de UI Design.

https://www.chiefofdesign.com.br/ui-design/

https://www.chiefofdesign.com.br/o-que-faz-um-ui-designer/

https://www.chiefofdesign.com.br/ux-design-e-ui-design/

https://www.chiefofdesign.com.br/migrar-para-ui-design/

https://www.chiefofdesign.com.br/web-design-ou-ui-design/
The post Curso de UI Design – Tudo o que você precisa saber para escolher o melhor treinamento appeared first on Chief of Design.

Curso de UI Design – Tudo o que você precisa saber para escolher o melhor treinamento
Fonte: Chef of Design

O que é Visual Design?

O que é Visual Design?

Eae, tudo bele?Neste artigo você vai saber o que é Visual Design. Esse termo ganhou força recentemente entre designers e não é raro você encontrar vagas e profissionais se categorizando com esse nome.

Fora do Brasil, também vejo muitos conteúdos que utilizam o termo Visual Design para se referir a uma parte específica do design, apesar de sabermos que design não se limita apenas a parte estética e visual.

Então vamos entender nesse conteúdo o que é Design Visual, de onde ele vem e a relação com outras áreas do design.

Neste artigo você vai aprender:

O que é o Visual Design?De onde vem o termo o Design Visual?Fundamentos do Design VisualImportância do Visual Design para empresasFormação em Design Visual

O que é o Visual Design?

O Design Visual ou Visual Design é um ramo do design que se debruça ao estudo da comunicação visual. Para tanto, um bom profissional da área precisará ter expertise no manuseio dos softwares gráficos (como Adobe Photoshop, Adobe Ilustrator, Figma, entre várias outros) mas também, e principalmente, deverá conhecer os fundamentos do Design Visual, como tipografia, cores, gestalt, grid, semiótica, entre outros.

Vale ressaltar que não existe um consenso normativo sobre essa área ou termo, na verdade, se pararmos para analisar, o termo em si diz respeito ao trato da programação visual, portanto, um profissional de outras áreas do design, tais como o design gráfico, poderiam se enquadrar nesse como Visual Designer.Isso porque ambas as áreas dizem respeito a comunicação visual e utilizam de elementos visuais, tais como signos,imagens, gráficos, dentre outros recursos, que juntos, compõem um projeto de comunicar uma ideia e conceito

Apesar disso, trata-se sim de uma criação sistematizada, onde é possível observar um projeto de design com as etapas de planejamento, a pesquisa, as soluções, as prototipações, etc.

De onde vem o termo o Design Visual?

Diferentemente de outras áreas e termos do design, o Visual Design é uma terminologia que não se tem muitos estudos sobre como e onde surgiu, porém, sabe-se que se trata de uma nova terminologia que começou a ganhar força na mesma época que o UX e UI design, talvez, justamente para diferenciar e segmentar as camadas do design dentro de um projeto de um produto digital.

Basicamente o termo em si diz respeito ao design gráfico, só que voltado a produtos digitais. Ele seria mais uma etapa dentro de um projeto de digital, onde temos várias etapas no processo.

Desse modo, de forma resumida e prática, esse novo termo foi,ou é, uma alternativa para Designers gráfico se realocarem ou prospectarem novas oportunidades no mercado criativo, principalmente no digital.

É importante ressaltar que além desses sentidos associados ao termo, a expressão em si pode ganhar novos sentidos a partir do uso e de quem usa, por exemplo:

Existem designers que utilizam o termo com o objetivo de mostrarem que são designers especializados em design visual e estética, enquanto outros utilizam para se referir a uma forma mais abrangente, ou seja, que podem fazer design gráfico, mas também web design, ui design e outras coisas dentro do campo do design visual.

Pelo que vi, li e pesquisei, vejo que não existe um consenso e cada um acaba utilizando com um significado diferente.

Fundamentos do Design Visual

Os Fundamentos do Design Visual são um conjunto de conhecimentos essenciais para quem trabalha com comunicação visual e que podem ser utilizados em qualquer segmentação do design, como por exemplo, na web, etc.

Entendendo isso, você precisará aprender sobre várias coisas, já que trata-se de uma área multidisciplinar. Podemos listar algumas mais técnicas como por exemplo:

formas;imagens;texturas;composição;cores;tipografia;gestalt;grids, entre outros.

Para aprender sobre esses assunto e aprimorar a sua parte conceitual, nós temos o curso Fundamentos do Design Visual. Nesse curso você terá aulas que te proporcionaram uma base essencial para atuar com Design Visual. CLIQUE AQUI PARA SABER MAIS.

Importância do Visual Design para empresas

O Visual Design é um segmento do design que pode ser aplicado em diversas áreas. Sendo assim, pensando no uso para empresas, a sua principal contribuição é uma melhor composição visual de produtos, serviços e da identidade da empresa.

Para isso é preciso ter um profissional que ajude a sistematizar, concatenar e ajustar os elementos visuais com os propósitos da marca ou produto.

Manter uma estética agradável, uma identidade visual, e coerência visual é de extrema importância para qualquer negócio. Isso porque você consegue comunicar a ideia principal de uma empresa, e conectar, de forma natural, o público a sua marca.

Formação em Design Visual?

Se você ficou interessado no Design Visual, e está querendo seguir profissionalmente essa área, você tem duas opções: a primeira é realizar uma graduação na área, e a segunda é se especializar nesse seguimento por meio de cursos oferecidos on-line e offline.

São poucas as graduações que utilizam o termo de Visual Design. Por isso um caminho é fazer uma faculdade de design ou curso de design gráfico.

Já o outro caminho, de cursos livres, pode ser feito tanto com ou sem faculdade. Aqui você tem as opções de cursos mais curtos e diretos, porém sem o mesmo peso acadêmico do que o anterior. Você também pode fazer uma faculdade e depois tentar fazer um curso focado em Design Visual para se especializar.

É válido ressaltar que optando por essa alternativa, a experiência será sua principal aliada.

Vídeo – O que é Design Visual?

Para complementar o conteúdo deste artigo e explicar com mais detalhes determinadas partes, segue o vídeo que gravei para o meu canal no youtube sobre Visual Design. Assista abaixo:

Considerações Finais

Como vimos ao longo do conteúdo, Design Visual nada mais é que comunicação visual e essa matéria já era tratada por outras áreas do design muito antes do surgimento ou fortalecimento desse termo.

Apesar de não ser errado utilizar o termo Visual Design, você como Designer deve saber que trata-se apenas mais de um termo que é usado para categorizar e até mesmo uma tentativa de valorizar o trabalho de um designer que trabalha com programação visual.

Independente de termos, nomes e novas definições que possam surgir, penso que o mais importante é você pensar em design de forma mais ampla e nunca resuma design apanas ao visual, apesar de ser uma parte intrínseca e importante dentro de um projeto.Seja designer sempre se mantendo atualizado e aberto a novos conhecimentos, você sempre terá que estudar bastante sobre vários assuntos, já que é uma área multidisciplinar.

E você já sabia o que era Visual Design? Tem algum comentário ou susgestão?Deixe abaixo o seu comentário ou dúvida.

Forte abraço.

Até mais.
The post O que é Visual Design? appeared first on Chief of Design.

O que é Visual Design?
Fonte: Chef of Design

UX DESIGN: Guia definitivo com as melhores praticas de UX

UX DESIGN: Guia definitivo com as melhores praticas de UX

Eae, tudo bele?
Se você estuda ou trabalha com UX, independente se você atua a bastante tempo ou se está engatinhando na área,sabe que o estudo é algo constante e infindável, principalmente quanto estamos lidando com tal assunto.
Por isso hoje trago um review sobre o livro UX DESIGN: Guia definitivo com as melhores praticas de UX da editora Novatec.
O livro é uma obra conta com dicas, óticas casos de uso,  importantes sobre UX Design. Ele é indicado para todos que trabalham com experiência e principalmente design de apps e softwares. A linguagem do livro é bem simples e acessível, com isso ele consegue atingir até mesmo pessoas menos assíduas como assunto
Ele, o livro,foca a leitura e aprendizagem em como criar interfaces mais amígaiveis, pensando na experiência de uso que aquela interface pode proporcionar, em conjunto com um visual agradável do projeto.
Ele de maneira nenhum direciona  a leitura para termos muito rebuscados, focando em programação, métricas minuciosas ou regras de design.
O principal objetivo é fazer com o que o leitor pense. Pense, na hora de projetar suas interfaces, em experiência do usuário, em usabilidade e em projetar soluções amigáveis e agradáveis visualmente. Isso independente da plataforma,  as dicas vale desde de sites web até aplicativos nativos.
Gostei muito do livro. A leitura é muito tranquila, rápida e sucinta. Super indico o livro, principalmente, apesar do título, para você que é UI Designer.
Se você se interessou pelo livro e quer um para você, acesse o site da Editora Novatec  e garanta o seu. Não vai se arrepender.
Forte Abraço
Até mais.
__________
Descrição do livro:
Queremos que nossa UX seja genial. Queremos criar ótimas experiências de usuário. Queremos que a UX conduza o sucesso de nosso negócio com produtos de software proveitosos e usáveis. Este livro é baseado no conhecimento e treinamento de Jakob Nielsen e Don Norman para nos ajudar a construir corretamente nossa UX – de 101 formas!

UX Design mostra as 101 práticas mais importantes que você precisa saber sobre usabilidade e design. É uma referência prática para profissionais de UX e um atalho para a realização de qualquer pessoa que precise de uma seleção clara e inteligente de princípios para guiar seu sucesso na área de UX. Aprenda os princípios-chave que conduzem a um design de UX genial.

Conheça as melhores práticas, entre elas ‘Uma boa UX tem começo, meio e fim’, ‘Faça seus links parecerem links’, ‘Não use ícones obsoletos’, ‘Decida se uma interação deve ser óbvia, fácil ou possível’, ‘Teste com usuários reais’, ‘Aproveitando ao máximo as fontes’, ‘Uma boa UX para resultados de pesquisa’ e ‘Mostre ao usuário – em vez de falar para ele’!

Sobre o autor:
Will Grant, que é um especialista britânico em UI/UX e um designer de produtos digitais. É empreendedor da área de tecnologias web com mais de 20 anos de experiência na liderança de equipes (e criação de produtos) atuando na interseção entre tecnologia e usabilidade. Após conquistar seu diploma em Ciência da Computação, Will foi aluno de Jakob Nielsen e Bruce Tognazzini no Nielsen Norman Group – líderes mundiais em design usável. Desde então, supervisionou o design da experiência e interação do usuário de vários aplicativos e sites web de larga escala, abrangendo mais de um bilhão de usuários nesse processo. Will é um “purista do design” e é obcecado pela construção de produtos de boa aparência, convincentes e amigáveis que os clientes sabem intuitivamente como usar.
__________
Adquira o seu em: https://novatec.com.br
The post UX DESIGN: Guia definitivo com as melhores praticas de UX appeared first on Chief of Design.

UX DESIGN: Guia definitivo com as melhores praticas de UX
Fonte: Chef of Design

Como adicionar ícones e imagens SVG no Elementor

Como adicionar ícones e imagens SVG no Elementor

Hoje, neste artigo, você vai aprender a adicionar arquivos SVG no WordPress especificamente usando Elementor.

O que você acha de utilizar imagens que podem ser redimensionadas infinitamente sem perder qualidade ou nitidez? Você consegue imaginar como isso é útil para o design responsivo? Isso é o que o SVG tem de melhor podemos implementar este recurso dentro do WordPress.

Olá! Ed Francisco aqui e mostrarei a você como utilizar a biblioteca de arquivos SVG do Elementor para inserir ícones e gráficos SVG no WordPress contrapondo ao uso das tradicionais imagens bitmap na web.

Mais antes de qualquer coisa vamos entender o que é SVG.

O que é SVG?

O Scalable Vector Graphics (SVG) é um formato de imagem vetorial baseado em XML para gráficos bidimensionais formados através de expressões matemáticas cuja as instruções inseridas produzem formas preenchidas e que oferece suporte para interatividade e animação.

Se você trabalha com Adobe Illustrator, Inkscape ou Corel Draw você sabe que eles geram arquivos do tipo vetor e o SVG é um deles.

Diferentemente dos arquivos de imagens bitmap (como JPG, PNG, GIF, etc) os vetores não são formados por pixels. O pixel, como tem dimensão física, perde a nitidez quando redimensionado. Coisa que não acontece com o SVG e arquivos vetoriais. Você pode aumentar ou diminuir o tamanho sem perda de resolução ou desfocagem. Eles são extremamente leves e mantêm suas páginas enxutas.

Diferença entre imagem Bitmap e Vetor – Por Wikipédia

As imagens SVG poder ser usadas em logotipos, como ícones até como background e podem ser modificados através de CSS e Javascript.

Inserindo gráficos SVG através do Controles do Widgets de ícones do Elementor

A partir da versão 2.6 do Elementor se tornou nativo o suporte para inserção de gráficos vetoriais sem a necessidade da utilização de plugins para isso.

Com isso você pode usar qualquer widget para inserção de ícones que através de seus controles você poderá inserir em seu site Elementor dois tipos de recursos SVG:

ícones;imagens SVG.

Vou mostrar como proceder começando com as imagens.

Inserindo imagens SVG no Elementor

Para inserir uma imagem SVG no Elementor você pode utilizar qualquer dos widgets nativos de ícones da plataforma (ícones, lista de ícones, ícones sociais), mas se for a primeira que você for inserir será necessário habilitar o upload. Veja como proceder.

1 – No campo de busca de widget digite “ícone” depois escolha qual widget você quer escolher arrastando-o para a interface da página.

2 – Depois coloque o Mouse em cima do símbolo do ícone na área de edição do ícone e clique na opção “Upload SVG”.

3 – Aparecerá uma mensagem de alerta sobre os riscos de usar arquivos SVG mesmo o Elementor executando processos para eliminação de códigos maliciosos (falarei mais sobre segurança mais a frente). Você deve clicar em Ativar.

4 – Você será redirecionado para a biblioteca de mídia, onde poderá escolher entre as imagens que estão lá presente ou fazer upload de uma imagem em seu computador.

5 – A imagem então será inserida no bloco que você arrastou o widget.

Estilizando imagem inserida

Depois que você insere a imagem o widget oferece, na aba conteúdo, de inserção de link, alinhamento e modo de visualização (default, empilhado e emoldurado) e na aba de estilização opções onde você pode definir a cor do elemento, e com controles deslizantes, o tamanho, se deseja rotacioná-la e efeitos hover.

Questões de segurança envolvendo arquivos SVG

Você já sabe que o Elementor irá tentar proteger o sistema caso identifique arquivos SVG com códigos maliciosos. Isso porque o WordPress não suporta uploads de arquivos SVG por padrão por questão de segurança.

Os arquivos SVG contêm código na linguagem de marcação XML, semelhante ao HTML. Seu navegador analisa a linguagem de marcação XML para exibir a imagem. No entanto, isso abre seu site para possíveis vulnerabilidades XML como obter acesso não autorizado a dados do usuário, disparar ataques de força bruta entre outros ataques.

Com isso pode ocorrer o seguinte erro quando você for fazer o upload de uma imagem SVG.

“Invalid SVG Format, file not uploaded for security reasons” (Formato SVG inválido, arquivo não enviado por motivos de segurança).

Solução 1 para o arquivo não enviado – Otimização

Não que isso influencie diretamente na segurança, mas é indicado que você salve os arquivos SVG de aplicativos como o Illustrator, sem os estilos embutidos, para permitir que o Elementor crie um estilo para o ícone.

Para isso na guia de salvamento “SVG Options” em CSS Properties escolha a opção “Presentation Attributes”.

Após isso você pode fazer uma otimização online através do site SVGOMG que poderá “limpar” seu arquivo de modo a ser aceito no upload na biblioteca de mídia.

Você pode tanto fazer o upload do seu SVG usando a opção “Open SVG” ou a opção “Paste Markup” para colocar o código XML fornecido pelo Illustrator conforme vídeo que deixarei a seguir.

Vá até a aba Markup e faça os ajustes conforme o vídeo. Depois clique no botão azul para fazer o download do arquivo SVG otimizado.

Após esse processo faça novamente o upload do arquivo.

Solução 2 para o arquivo não enviado – Sanitização com plugin

Apesar que em todos os casos práticos que eu precisei o método 1 foi o suficiente existe um plugin que promete que faça o upload de SVG de forma segura. Se trata do Save SVG. 

A função deste plugin é certificar de que as imagens SVG estão higienizados para impedir que as vulnerabilidades do arquivo afetem seu site.

O seu uso é simples. Basta fazer a instalação e ativação. A versão gratuita não necessita fazer configurações.

Onde encontrar boa fontes de imagens SVG

Caso você não tenha tempo para criar suas próprias imagens SVG um bom recurso é visitar o site Flaticon que é um dos maiores bancos de imagens vetorizadas da internet.

Inserindo ícones SVG no Elementor

Para inserir um ícone SVG no Elementor você pode utilizar qualquer dos widgets nativos de ícones da plataforma (ícones, lista de ícones, ícones sociais).

1 – No campo de busca de widget digite “ícone” depois escolha qual widget você quer escolher arrastando-o para a interface da página.

2 – Depois coloque o mouse em cima do símbolo do ícone na área de edição do ícone e clique na opção “Icon library” (Biblioteca de ícones).

3 – Você terá acesso a biblioteca de fontes SVG Font Awesome 5 adicionada nesta versão do Elementor, que está com um desempenho para carregamento das páginas. Navegue pelas diferentes opções na Biblioteca de ícones.e selecione o ícone de sua preferência e clique em Insert.

Estilizando o ícone inserido

Depois que você insere o ícone o widget oferece, na aba conteúdo, de inserção de link, alinhamento e modo de visualização (default, empilhado e emoldurado) e na aba de estilização opções onde você pode definir a cor do elemento, e com controles deslizantes, o tamanho, se deseja rotacioná-la e efeitos hover.

Inserindo ícones personalizados

Talvez você não tenha encontrado na Icon Library o ícone que você deseja. Então você inserir um ícone de uma fonte externa na biblioteca. O processo é simples basta que você clique na opção “Upload”. 

Único problema que este recurso é só para quem tem a versão PRO do Elementor instalada no WordPress. Mas ainda sim é possível fazer upload dos ícones através do plugin Custom Icons for Elementor.

Faça instalação do plugin. Para saber como instalar plugins leia este artigo.

Você terá acesso a interface de upload do ícone acesso o menu Custom Icons. E você pode personalizar seus ícones usando o site Flaticon em conjunto com o site Fontello.

Processo de construção do ícone personalizado

1 – Vá até o site Flaticon e escolha uma imagem que você seja transformar em ícone e faça o download da imagem.

2 – Depois vá até a pasta onde está o arquivo baixado e o arraste para dentro do site Fontello no campo Custom Icons.

3 – A imagem aparecer neste campo em forma de miniatura. Clique nela para selecionar.

4 – Depois vá no botão Download Webfont e clique para baixá-la.

5 – Vá até a interface de upload do Custom Icons e execute o upload do arquivo baixado.

6 – Retorne até a página que está editando o Elementor recarregue-a e executa o processo de inserir um ícone através de um widget como já mostrado nesse artigo.

7 – Você verá que a Icon Library mostra acesso para inserção que você criou no Fontello. Selecione o ícone e clique em Inserir.

8  – O ícone será inserido na área desejada.

Conclusão

Procurei passar as formas que a partir da versão do Elementor você te permita inserir arquivos SVG em seus sites WordPress. Esses arquivos serão cada vez mais usados onde pode ser mais compensador a aplicação que a aplicação de imagens bitmaps. Lógico que sempre haverá espaço para tanto imagens vetoriais quanto bitmaps. A necessidade do projeto é que vai definir o uso.

Caso a escolha seja SVG é importante estar sempre atento às questões de segurança sanitização os arquivos e verificando a procedência.

Acredito que muito ainda irá evoluir esta relação entre Design Responsivo, SVG, Elementor e WordPress a ponto de nos forçar a sempre estar atualizando este artigo. E isso será sinal de mais funcionalidades e facilidades para o usuário WordPress. 

E você o que achou do recurso para habilitação de arquivos SVG no Elementor? Dê sua opinião nos comentários!

Aproveite e compartilhe este artigo com os amigos.

Abraço!
The post Como adicionar ícones e imagens SVG no Elementor appeared first on Chief of Design.

Como adicionar ícones e imagens SVG no Elementor
Fonte: Chef of Design

Photoshop – Como fatiar e exportar o layout em PSD para HTML

Photoshop – Como fatiar e exportar o layout em PSD para HTML

Eae, td bele?
Por mais novos softwares tenham sido lançados para o desenvolvimento de layout de sites, o Adobe Photoshop ainda continua principal ferramenta dos Designers. E muito provavelmente vai continuar por muito mais tempo, mesmo que o seu propósito inicial não seja esse.
E muita gente tem dúvida ou não entende como é o processo de transpor o layout do Photoshop para o código. Eu mesmo já recebi várias perguntas sobre essa parte, da construção de um website. Só para você ter uma ideia, tem gente que ainda acha que o exportar HTML via Photoshop é a solução ideal.
Devido a isso eu gravei um vídeo onde explico como exportar da maneira certa e mostro como é importante o Designer ter conhecimentos básicos de HTML e CSS na hora da exportação. Nele eu mostro como você deve exportar o layout da forma certa para depois colocá-lo no código
Assista o vídeo abaixo:
Como fatiar e exportar o layout do site no Photoshop

Exportas as imagens do Photoshop é super simples e relativamente rápido.  Não há segredo para fazer da maneira certa. Mas essa ( fatiar e exportar as imagens) é apenas uma parte do processo. Após exportar as imagens é preciso inseri-las no código para que o seu site seja publica e funcione de verdade. E aí, para isso, é claro que você precisa entender no mínimo HTML e CSS.
Se você percebeu a importância do que falo no vídeo, você pode adquirir o nosso eBook Solidário de HTML & CSS para começar a dar os seus primeiros passos na Web.
E também confira outras dicas de Photoshop neste outro vídeo.
Não esqueça de assinar o nosso canal no Youtube para você saber das novidades, bele???
[CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER NO CANAL]
E você utiliza o Adobe Photoshop para criar interfaces? Já exporta da maneira correta? Você pode deixar o seu comentário abaixo.
Até mais.
Forte abraço!
The post Photoshop – Como fatiar e exportar o layout em PSD para HTML appeared first on Chief of Design.

Photoshop – Como fatiar e exportar o layout em PSD para HTML
Fonte: Chef of Design

Na mesa do Chief – Entrevista com o Ilustrador e Designer Marcus filho

Na mesa do Chief – Entrevista com o Ilustrador e Designer Marcus filho

Eae! Td bele?
Mais uma entrevista especial. Hoje temos o Na mesa do Chief o Designer e ilustrador Marcus Filho.
O Marcus é um designer e ilustrador mineiro, responsável por algumas estampas da loja de camisetas do Chief of Design, como a estampa a seguir,  por exemplo:
Nesse bate papo falamos sobre a sua experiência na área, sobre lettering e as diferenças para tipografia e caligrafia, sobre o mercado, clientes, profissão entre outras coisas de uma forma bem descontraída.
Se você gosta de lettering você não pode perder esse vídeo
Confira abaixo a entrevista completa:

Sobre a Designer o Ilustrador e Designer Marcus Filho
Marcus Filho tem 24 anos, é  graduado em Designer Gráfico com uma MBA em Gestão Estratégica de Projetos e também é mestrando em neuromarketing. Ilustrador especialista em  lettering e apaixonado por design, arte e principal lettring.
Conheça o trabalho do Marcus Filho Designer:
➡ Instagram: https://www.instagram.com/marcusfilhodesigner/
➡ Facebook: https://www.facebook.com/marcusfilhodesigner/
➡ Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCfbJWRM6weZ4A5Il5QMysFw
O que você achou do vídeo?
Se  gostou do vídeo deixe o seu comentário abaixo! Isso é muito para continuarmos com o nosso trabalho e melhorarmos cada vez mais.
Ajude nosso canal curtindo e compartilhando com seus amigos o vídeo.
CLIQUEI AQUI e se inscreva no Canal do Chief e fique por dentro das novidades.
E acesse também a nossa loja de camiseta para adquirir camisetas exclusivas para Designers e criativos <3
http://mitoucamisetas.com.br/chiefofdesign
Forte abraço.
Até Mais.
The post Na mesa do Chief – Entrevista com o Ilustrador e Designer Marcus filho appeared first on Chief of Design.

Na mesa do Chief – Entrevista com o Ilustrador e Designer Marcus filho
Fonte: Chef of Design

Na mesa do Chief – Entrevista com a Ilustradora e Designer Carol Rempto

Na mesa do Chief – Entrevista com a Ilustradora e Designer Carol Rempto

Eae! Td bele?
Mais uma entrevista especial. Hoje temos o Na mesa do Chief com a ilustradora e Designer Carol Rempto.
A Carolina Rempto é uma jovem designer gráfico e ilustradora. Ela estudou na Savannah College of Art and Design (em Savannah, GA, USA), pelo programa “Ciências sem Fronteiras”, onde se especializou em ilustração e atualmente está terminando o curso de Design Gráfico pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. O trabalho dela é sensacional e já foi citado e reconhecido em vários blogs e artigos, brasileiros e estrangeiros.
Nesse bate papo falamos sobre a sua experiência na Savannah College, sobre mercado, clientes, profissão, perspectivas para área e dicas para você está começando, entre outras tantas coisas.
Aposto que você vai gostar do conteúdo rico que este vídeo tem
Confira abaixo a entrevista completa:

Sobre a Designer e Ilustradora Carol Rempto
Carolina Rempto, 23 anos, designer gráfico e ilustradora de Petrópolis, RJ. Estuda design gráfico na Universidade Federal do Rio de Janeiro e ficou nove meses na Savannah College of Art and Design (em Savannah, GA, USA) on se especializou em ilustração pelo programa “Ciências sem Fronteiras”.
Conheça o trabalho da Carol Rempto:
➡ Instagram: https://www.instagram.com/carolrempto/
➡ Facebook: https://www.facebook.com/carolremptoilustra
➡ Behance: https://www.behance.net/carolinarempto
➡ Site: https://carolrempto.myportfolio.com/
O que você achou do vídeo?
Se  gostou do vídeo deixe o seu comentário abaixo! Isso é muito para continuarmos com o nosso trabalho e melhorarmos cada vez mais.
Ajude nosso canal curtindo e compartilhando com seus amigos o vídeo.
CLIQUEI AQUI e se inscreva no Canal do Chief e fique por dentro das novidades.
Forte abraço.
Até Mais.
The post Na mesa do Chief – Entrevista com a Ilustradora e Designer Carol Rempto appeared first on Chief of Design.

Na mesa do Chief – Entrevista com a Ilustradora e Designer Carol Rempto
Fonte: Chef of Design

Designer NÃO empreendedor!

Designer NÃO empreendedor!

Eae, td bele?
Talvez um dos desejos mais comuns de um Designer é ter o seu o próprio negócio, abrir a sua agência, ter o seu estúdio, enfim, trabalhar de forma independente. Por isso o assunto empreendedorismo sempre está em alta para os criativos. E é muito fácil encontrar produtos e/ou pessoas falando sobre o tema “designer empreendedor” ou “design e empreendedorismo“.
Mas o fato é que muita coisa fica oculta. Muito se fala da parte boa e pouco do que é preciso para se chegar na bonança. E aí muita gente se precipita ao seguir nessa trilha, apostando tudo sem nenhuma preparação, planejamento ou estudo, e acaba fracassando.
Só para você ter uma ideia, segundo o site infomoney, um terço das empresas no Brasil fecham dois anos. E nem precisamos de pesquisa para saber que a grande maioria dos negócios que abrem no Brasil, fecham nos primeiros anos de vida.
Trabalhar de forma independente pode ser ótimo, mas também é difícil e com grandes desafios.ndedor“?
Pensando nisso criei um vídeo onde falo mais sobre essa questão e o que você pode avaliar antes de ir por esse caminho.
Será que para se alcançar o sucesso como Designer é necessário ser dono de empresa? Todo Designer precisa mesmo ser empreendedor?
Confira o vídeo abaixo:
Designer NÃO empreendedor

 
Eu mesmo me considero um designer empreendedor e pretendo seguir nesse caminho. Mas sei que talvez isso não seja legal para todos. Existem vários fatores que devemos levar em conta antes de arriscar a andar com as próprias pernas. Não é impossível ter sucesso como empreendedor, pelo contrário, mas é difícil e necessita de muita persistência e bastante trabalho.
Confira também este meu outro vídeo onde falo sobre se Design dá dinheiro (clique aqui).
E você já empreende? Tem seu negócio ou prefere trabalhar como funcionário? Qual a sua opinião?
Inscreva-se em nosso canal no Youtube [CLIQUE AQUI ]
Compartilhe a sua opinião e/ou experiência deixando o seu comentário abaixo, bele?
Forte abraço.
Até mais.
The post Designer NÃO empreendedor! appeared first on Chief of Design.

Designer NÃO empreendedor!
Fonte: Chef of Design