Category: Threads

Instagram passa por instabilidade hoje; Facebook também enfrenta pane

Instagram passa por instabilidade hoje; Facebook também enfrenta pane

Recursos do Instagram estão fora do ar (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

O Instagram passa por uma instabilidade que impede comentários em postagens, entre outras ações na rede social. O aplicativo para celular traz a mensagem “Tente novamente mais tarde” e ainda diz que “restringimos determinadas atividades para proteger a nossa comunidade”. A pane começou por volta das 15h50, segundo relatos em outras plataformas.

Algumas pessoas não conseguem publicar nos Stories. Outras estão sem seguir novos usuários dentro da plataforma. Há ainda as fotos sem legenda. Não nos parece ser apenas um erro geral, mas sim uma série de recursos que podem parar de funcionar.

Esta não é a única rede social de Mark Zuckerberg que passa por soluço na tarde desta segunda-feira (dia 1º de abril). A API do Facebook também está com um problema que impede postagens a partir de aplicativos de terceiros. Já o Threads não aceita novos conteúdos, pelo que pudemos testar na redação do Tecnoblog.

“Tente novamente mais tarde”, sugere Instagram

Por ora não se sabe o motivo da pane nem sua abrangência. Nós estamos tentando contato com a equipe de comunicação da Meta.
Instagram passa por instabilidade hoje; Facebook também enfrenta pane

Instagram passa por instabilidade hoje; Facebook também enfrenta pane
Fonte: Tecnoblog

Threads começa a liberar seu próprio “Trending Topics”

Threads começa a liberar seu próprio “Trending Topics”

Demorou, mas Threads finalmente está liberando o recurso de assuntos em alta — e já há críticas (Imagem: Divulgação/Meta e Vitor Pádua/Tecnoblog)

O Threads está liberando nos Estados Unidos o seu próprio Treding Topics, batizado de Trending Now. A ferramenta, de modo similar ao que acontece no seu rival X/Twitter, exibirá, na teoria, os conteúdos que estão em alta na plataforma. Na prática, os usuários acusam a Meta de manipular os assuntos da lista, omitindo temas sensíveis como política.

A falta de uma lista de tendência (vamos usar essa tradução direta) foi um dos pontos negativos no lançamento do Threads. Falando como uma pessoa que usou o X/Twitter ativamente de 2009 até 2020, é por ele que algumas pessoas descobrem assuntos que estão em alta fora do seu círculo social. Ainda que alguns usuários do Xwitter e Threads não a utilizem, é uma forma extra de saber o que está acontecendo no mundo.

Trending do Threads liberado nos Estados Unidos

Publicado por @mosseri
Ver no Threads

Como informou Adam Mosseri, CEO do Instagram e do Threads, o Trending Now será liberado gradualmente para os usuários nos Estados Unidos. A lista de tendência só está disponível para o aplicativo mobile da rede social. Ela é acessada pelo menu de busca e pelo feed Para Você.

Nas respostas, usuários criticaram o Trending Now acusando a Meta de escolher o que estará listado. Uma das respostas mostra que nenhum dos assuntos em alta no momento são referentes a notícias, ciência ou política.

Trending now do Threads mostra conteúdos sobre séries e início da primavera no hemisfério norte (Imagem: Reprodução/Threads)

Essas acusações de esconder tópicos sensíveis é embasada no histórico da big tech. Por exemplo, em 2021, dois anos antes do ataque do Hamas em Israel e a consequente invasão à Faixa de Gaza, a Meta foi acusada de censurar publicações que criticavam Israel pela remoção de palestinos no bairro Sheikh Jarrah.

Ao lançar o Threads, a Meta afirmou que o seu objetivo não é incentivar o compartilhamento de notícias e o debate político — muito menos dar espaço para produtores de conteúdo adulto.

O formato microblogging até pode ser usado para compartilhar fotos de gatinhos (motor da internet) e mostrar o lado bom da vida. No entanto, os usuários naturalmente vão falar sobre temas do dia a dia e seus trabalhos. E esses temas podem ser política, comentar as notícias do momento e até divulgar seu trabalho — seja em plataformas adultas ou como organizador de retiro de yoga.

Com informações: Android Headline
Threads começa a liberar seu próprio “Trending Topics”

Threads começa a liberar seu próprio “Trending Topics”
Fonte: Tecnoblog

Threads deve ganhar “trending topics” em breve

Threads deve ganhar “trending topics” em breve

Ícone do Threads no iOS (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

A Meta está testando uma função de “trend topics” no Threads. O recurso, que é uma característica notável do rival X/Twitter, destaca os assuntos do momento que têm mais relevância na rede social. O que causa espanto é o teste ter sido revelado alguns dias depois de a Meta afirmar que não promoveria conteúdo político na plataforma.

Por enquanto, o teste está restrito aos Estados Unidos. A lista de tópicos em destaque aparece na página de pesquisa e na aba “Para você” do Threads nas contas que já têm acesso à novidade.

De acordo com Adam Mosseri, CEO do Instagram, sistemas de inteligência artificial analisam quantas pessoas estão comentando determinado assunto, bem como as interações com essas postagens, para definir se aquele tópico deve ou não aparecer na lista.

Ainda segundo Mosseri, já há uma equipe de especialistas em conteúdo atuando para garantir que os tópicos destacados não sejam confusos, duplicados ou violem as diretrizes do Threads.

Usuários também poderão denunciar tópicos potencialmente problemáticos, casos eles não tenham sido barrados pela equipe de moderação.

Em linhas gerais, esse seria apenas mais um recurso para incrementar a experiência do usuário na rede social se não fosse por um detalhe: Mosseri disse que a lista de tópicos poderá conter temas políticos.

Não vai ter política, mas pode ter

No dia 9 de fevereiro, Mosseri usou o Threads para reforçar um discurso feito no meio de 2023: o de que a rede social não irá incentivar ou promover discussões políticas.

Não que tópicos políticos sejam proibidos. A Meta só não quer que a rede social seja usada como campo de batalha para opiniões políticas diferentes, razão pela qual não haverá mecanismos para alavancar esse tipo de conteúdo.

Ou não haveria. Se tendências políticas puderem aparecer na lista de tópicos do Threads, como Mosseri enfatizou, o discurso de que conteúdo político não seria incentivado na rede social deixa de ser totalmente verdadeiro.

Ao Techcrunch, um representante da Meta explicou que tópicos políticos só serão removidos da lista se eles violarem as diretrizes de comunidade da rede social. Isso porque, no entendimento da companhia, esses tópicos refletem assuntos relevantes na plataforma, não podendo ser entendidos como recomendações personalizadas.

“Trend topics” no Threads (imagem: reprodução/Techcrunch)

X permitirá que anunciantes exibam publicidade com criadores selecionados

Enquanto o Threads segue na missão de incrementar as suas funcionalidades, o X/Twitter tenta recuperar pelo menos parte dos anunciantes que perdeu desde que Elon Musk assumiu o controle da rede social.

A medida mais recente é um recurso que permite que anunciantes escolham veicular anúncios junto com perfis de criadores de conteúdo selecionados pelo próprio X/Twitter. A intenção é dar ao anunciante mais controle sobre como seus anúncios aparecem na rede social.

Isso pode impedir que os anúncios sejam vinculados junto a postagens polêmicas ou até ilegais. O Techcrunch cita como exemplo o movimento de anunciantes que paralisaram suas campanhas no X/Twitter em 2023 depois que seus anúncios apareceram ao lado de conteúdo nazista.
Threads deve ganhar “trending topics” em breve

Threads deve ganhar “trending topics” em breve
Fonte: Tecnoblog

Instagram e Threads não vão mais recomendar conteúdo político

Instagram e Threads não vão mais recomendar conteúdo político

Instagram já restringia conteúdos políticos no Reels (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

Instagram e Threads vão parar de recomendar conteúdo político de contas que o usuário não segue. Isso se aplica à seção Explorar, Reels, recomendações no próprio feed e usuários sugeridos. A Meta, empresa dona das duas redes, diz que a mudança não afeta as contas que o usuário segue, e que existe a opção de voltar a ver recomendações desse tipo.

A companhia já tinha uma política assim para os Reels, mas agora ela será expandida para mais áreas das duas redes. O conceito de conteúdo político da Meta é bem amplo, incluindo publicações que envolvem leis, eleições e questões sociais. As novidades também estão no blog do Instagram e na página de transparência da Meta.

Adam Mosseri, CEO do Instagram, anunciou as mudanças no Threads. “Não queremos amplificar proativamente conteúdo político de contas que você não segue”, explicou o executivo. “Nossa meta é preservar a opção de interagir com conteúdo político, respeitando o interesse de cada pessoa.”

Publicado por @mosseri Ver no Threads

Usuário pode reativar recomendações políticas

A Meta oferece opção de desativar essa restrição nas configurações da conta. Assim, o usuário volta a ver recomendações de conteúdos que “provavelmente mencionam governos, eleições ou questões sociais que afetam grupos de pessoas ou a sociedade toda”.

Contas profissionais no Instagram poderão verificar se elas estão elegíveis a ter seu conteúdo recomendado, com base no que publicaram recentemente. Para isso, é necessário acessar a área “Status da conta”. Por lá, dá para editar e remover posts ou até mesmo solicitar uma revisão.

Mosseri disse que não vai encorajar notícias no Threads (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Meta não recomenda conteúdo político no Facebook

A medida da Meta de diminuir as recomendações de conteúdo político no Instagram e no Threads segue o que a companhia adotou no Facebook. Desde 2022, a empresa fez mudanças no feed para reduzir a distribuição de publicações desse tipo.

Mosseri também já disse que o Threads seria diferente do X (antigo Twitter) e não iria encorajar notícias e discussões políticas. Para ele, o objetivo da nova rede era ser um lugar “menos raivoso” para conversas. Além disso, o executivo considera que jornalismo e assuntos políticos trazem escrutínio, negatividade e riscos de integridade, que não valem a pena.

Com informações: Meta, Instagram, TechCrunch, The Verge
Instagram e Threads não vão mais recomendar conteúdo político

Instagram e Threads não vão mais recomendar conteúdo político
Fonte: Tecnoblog

Threads é finalmente lançado na União Europeia

Threads é finalmente lançado na União Europeia

Usuários da União Europeia não conseguiam entrar no Threads nem com VPN (Imagem: Thássius Veloso/Tecnoblog)

A rede social Threads, da Meta, está disponível para usuários na União Europeia, cinco meses após seu lançamento no resto do mundo. Além disso, as pessoas que vivem nos países do bloco poderão acessar a plataforma sem perfil, uma opção que não existe nos outros países.

A novidade foi anunciada por Mark Zuckerberg, CEO da Meta, em um post no próprio Threads. Com isso, a rede passa a estar disponível para as 448 milhões de pessoas que vivem na União Europeia. Até então, o acesso à plataforma era bloqueado até mesmo usando VPN.

Assim, o Threads, resposta da Meta ao X/Twitter, ganha um pouco de espaço para crescer em número de usuários. O app chegou fazendo muito barulho e quebrando recordes, mas logo nas primeiras semanas, as métricas não se mostraram sustentáveis.

Ligações fortes entre Threads e Instagram foram um dos motivos da demora (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Meta estava com medo das leis da UE

O motivo para a demora foi regulatório. Em entrevista ao Verge, Adam Mosseri, CEO do Instagram, apontou as “complexidades para cumprir algumas das leis que entrarão em vigor no ano que vem [2024]”.

Apesar de não mencionar pelo nome, Mosseri provavelmente estava se referindo ao Digital Markets Act (também conhecido como DMA e Regulamento de Mercados Digitais). A nova lei passará a valer em março de 2024 e visa combater abusos e concorrência desleal das gigantes da tecnologia, como a própria Meta, o Google, a Apple e a Amazon, entre outras.

União Europeia apertou o cerco contra big techs (Imagem: Thijs ter Haar/Wikimedia Commons)

No caso específico do Threads, especula-se que a ligação da nova rede com o Instagram poderia criar problemas para a Meta, já que o DMA inclui regras contra o favorecimento de serviços da mesma empresa.

Essa ligação já foi mais forte: não era possível deletar a conta do Threads sem deletar também a do Instagram, por exemplo, o que mudou em novembro. Mesmo assim, ainda é necessário ter uma conta no Instagram para publicar ou interagir com posts na rede.

O modo de acesso sem login também parece uma maneira de evitar problemas legais. Com ele, o usuário consegue visualizar um feed gerado por algoritmo e buscar contas. Aparentemente, não é possível pesquisar posts específicos.

A chegada à União Europeia não foi a única novidade do Threads. Na quarta-feira (13), Mark Zuckerberg anunciou que a plataforma começou a testar a integração com serviços que também usam o protocolo ActivityPub. Isso pode permitir que, no futuro, usuários do Threads possam interagir com publicações em redes como Mastodon e Bluesky.

Com informações: TechCrunch, The Verge
Threads é finalmente lançado na União Europeia

Threads é finalmente lançado na União Europeia
Fonte: Tecnoblog

Posts eróticos incomodam usuários do Threads; Meta promete correção

Posts eróticos incomodam usuários do Threads; Meta promete correção

Feed do Threads exibe conteúdo 18+ mesmo que a pessoa não queira ver (Ilustração: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Alguns usuários do Threads estão se queixando de posts com teor 18+ que aparecem no feed de maneira aleatória, como se fosse uma recomendação do algoritmo. Em resposta ao Tecnoblog, a Meta reconheceu que está ciente da questão e explicou que as equipes estão trabalhando para resolvê-la.

De acordo com a empresa de Mark Zuckerberg, alguns usuários estão enfrentando “uma experiência diferente da que gostariam”. São mulheres de biquíni, homens com o membro marcando no short e nudes explícitos.

Nas últimas semanas, diversos leitores do Tecnoblog entraram em contato conosco (aproveite para nos seguir: @tecnoblog) para se queixar do problema. Ele ocorre principalmente quando abrem a rede social em ambientes públicos.

, , … e “pessoas biscoiteiras”

Threads tem 100 milhões de usuários mensais, segundo a Meta (Imagem: Thássius Veloso/Tecnoblog)

Uma pessoa disse que o Threads está movimentado, mas que o algoritmo está “um pouquinho 18+”. Ela relatou muitos perfis com conteúdo seminu. Ainda questionou: “seria a TikTokzação do Threads?”

Outro adepto da plataforma social foi mais incisivo no comentário: disse que lá está repleto de pessoas biscoiteiras, que mostram as nádegas e tentam vender seus serviços, numa referência a garotas e garotos de programa.

“90% [dos perfis] são mulheres seminuas que só Deus sabe de onde vieram”, desabafou uma terceira pessoa sobre o principal rival do X nestes tempos atuais.

Rival X tem maior controle de conteúdo

A Meta não nos disse quando deve corrigir o problema. Ele fica ainda mais evidente quando se nota que o Threads normalmente abre no feed algorítmico, com conteúdo recomendado. É preciso tocar no nome da rede e selecionar a opção de “Seguindo” para ver as postagens de seus amigos.

Além disso, o Threads não oferece ferramentas para que o usuário eduque o sistema sobre o que o agrada (ou não). O menu de contexto traz opções como de silenciar, bloquear, ocultar ou denunciar.

Aplicativo X promete usar feedback do usuário para melhorar sugestões de conteúdo (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)

A título de comparação, o X (antigo Twitter, como você já sabe) permite dizer que “Esse post não me interessa” caso esteja na aba “Para você”. Ao tocar neste botão, a postagem desaparece e a plataforma ainda pergunta se o internauta quer ver menos posts daquela pessoa ou se deseja marcar que conteúdo “não é relevante”.
Posts eróticos incomodam usuários do Threads; Meta promete correção

Posts eróticos incomodam usuários do Threads; Meta promete correção
Fonte: Tecnoblog

Downloads do Threads voltam a crescer, mas continuam longe do pico

Downloads do Threads voltam a crescer, mas continuam longe do pico

Número de downloads ainda está abaixo de setembro (Imagem: Thássius Veloso/Tecnoblog)

O número de downloads diários do Threads cresceu de 350 mil, no início do novembro, para 620 mil, em 23 de novembro. Essa quantidade está longe do 1 milhão do começo de setembro, mas já mostra uma reação da rede social da Meta.

Os dados são da empresa de inteligência Apptopia e consideram novas instalações feitas na App Store, usada pelo iPhone, e no Google Play, usado pelos aparelhos com Android.

A Apptopia acredita que a alta recente nos downloads do Threads se deve ao fato de a Meta estar fazendo propaganda de seu app.

Threads está em alta no iOS e no Android (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Outra boa notícia para a empresa é que o Threads está crescendo fora dos EUA. A Índia foi o país com maior número de novos downloads, com 11,2%. Os EUA vêm em segundo, com 7,4%.

Threads fez sucesso, mas caiu logo em seguida

O Threads teve um começo impressionante. Lançado em julho, ele quebrou o recorde de menor tempo para chegar a 100 milhões de downloads: apenas cinco dias. A marca pertencia ao ChatGPT, que levou dois meses para alcançar este número.

Nas semanas seguintes, porém, o burburinho em torno do Threads foi diminuindo, assim como o interesse pela rede. Passados 15 dias do lançamento, o número de usuários ativos já era 70% menor, e o tempo gasto no app era quatro vezes menor.

A Meta tomou algumas medidas para tentar evitar a saída de usuários. A rede social foi lançada ainda bastante crua, então vieram melhoras de usabilidade e uma versão web. Além disso, o Instagram, rede “irmã” do Threads, passou a recomendar publicações da plataforma.

A queda continuou. Segundo a Apptopia, o Threads tinha 1 milhão de downloads diários no começo de setembro; no começo de novembro, eram 350 mil. Este número subiu para cerca de 620 mil no dia 23.

Somando tudo, o Threads conseguiu 41 milhões de downloads desde 1º de setembro. O número é maior que o do X (antigo Twitter), seu principal concorrente (e inspiração). A rede social de Elon Musk teve 27 milhões de downloads no período.

Com informações: TechCrunch
Downloads do Threads voltam a crescer, mas continuam longe do pico

Downloads do Threads voltam a crescer, mas continuam longe do pico
Fonte: Tecnoblog

Threads agora deixa apagar seu perfil sem deletar junto o do Instagram

Threads agora deixa apagar seu perfil sem deletar junto o do Instagram

Novo recurso é um antigo pedido dos usuários do Threads (Imagem: Divulgação/Meta e Vitor Pádua/Tecnoblog)

Na estreia do Threads em julho deste ano, todos os usuários precisavam ter uma conta no Instagram para acessar a nova rede social da Meta. A exigência foi alvo de críticas, pois não era possível apagar o perfil de forma independente. Então, atendendo a pedidos, a plataforma permitirá excluir o perfil separadamente da outra rede.

A novidade foi anunciada por Adam Mosseri, CEO do Instagram, em uma publicação na rede social na última segunda-feira (13). Conforme o executivo, o recurso será disponibilizado gradualmente para os usuários nos próximos dias.

Threads ganha nova opção de Excluir ou Desativar Perfil (Imagem: Divulgação/Meta)

Como excluir a conta do Threads separadamente do Instagram

De acordo com a publicação de Mosseri, o usuário deverá seguir os seguintes passos para excluir o perfil do Threads de forma individual:

Abra o app do Threads no celular;

Toque no ícone para exibir o perfil (no canto inferior direito);

Toque nas duas linhas para abrir o menu “Configurações” (no canto superior direito);

Acesse a opção “Conta”;

Toque na nova opção “Deletar ou Desativar Perfil”;

Caso deseje excluir a conta separadamente do Instagram, basta tocar na opção “Deletar Perfil” (em letras em vermelho na parte inferior).

Como dito, o novo recurso é um antigo pedido de usuários que não pretendiam usar o Threads. Anteriormente, as pessoas só tinham a opção de desativar o perfil na nova plataforma ou excluir a conta vinculada ao Instagram.

Reforçando: a funcionalidade será lançada de forma gradual para os usuários da rede social. Dessa forma, ela deve ficar disponível para o público ao longo dos próximos dias. A dica é sempre manter o app atualizado para receber essa e outras novidades.

Novos recursos do Threads costumam ser pedidos da comunidade da rede social (Imagem: Thássius Veloso/Tecnoblog)

Outras mudanças na rede social

Aos poucos, o Threads vem atualizando o app com diversas funcionalidades. Grande parte dos recursos são sugestões dos usuários da própria rede social que migraram do X (antigo Twitter).

Por exemplo, a plataforma possui um botão para editar publicações de forma gratuita para todos os usuários. Além disso, rumores indicam que a rede social deve ganhar um Trending Topics, hashtags e sistema de mensagens diretas (as populares DMs).

Nesta semana, o Threads já havia lançado a opção para a pessoa bloquear a exibição dos próprios posts em carrosséis de sugestões no Facebook e Instagram. Conforme Mosseri, os recursos são introduzidos conforme o feedback do público.

Com informações: The Verge e Adam Mosseri
Threads agora deixa apagar seu perfil sem deletar junto o do Instagram

Threads agora deixa apagar seu perfil sem deletar junto o do Instagram
Fonte: Tecnoblog

Threads deve lançar botão para editar posts em breve

Threads deve lançar botão para editar posts em breve

Na luta para segurar os usuários que embarcaram na rede, o Threads deve ganhar mais um recurso em breve: um botão para editar threads, como são chamadas as publicações da plataforma de texto da Meta.

Threads é a nova rede social do Instagram (Imagem: Thássius Veloso/Tecnoblog)

A descoberta foi feita pelo desenvolvedor Alessandro Paluzzi, que já trabalhou no Twitter (agora chamado X). O botão para editar threads permite alterar o texto nos primeiros cinco minutos após a publicação.

O X (ou Twitter, se você prefere o nome antigo) conta com um botão de editar, mas ele é exclusivo para assinantes do X Premium (antigo Twitter Blue). Por lá, é possível alterar o texto de uma publicação até cinco vezes, nos primeiros 30 minutos que ela estiver no ar.

#Threads is working on the ability to edit posts within 5 minutes pic.twitter.com/TlyoieQNcM— Alessandro Paluzzi (@alex193a) September 21, 2023

Facebook e Instagram, por outro lado, deixam editar posts há anos, em um recurso disponível para todos os usuários. No caso do Instagram, a imagem não pode ser trocada, mas a legenda, as pessoas marcadas e o texto alternativo, sim.

Mesmo o WhatsApp, que também é da Meta, ganhou recentemente a função de alterar mensagens já enviadas.

O botão de editar no Threads está longe de ser uma surpresa. Logo na primeira semana da rede social, Adam Mosseri, CEO do Instagram, já havia mencionado essa ferramenta em uma lista de possíveis futuros recursos para a plataforma.

Threads continua apostando em recursos

O Threads foi lançado nas primeiras semanas de julho de 2023, com sucesso estrondoso. O app bateu a marca de 100 milhões de usuários em cinco dias, quebrando o recorde do ChatGPT, que precisou de dois meses para conseguir esta mesma quantia de pessoas.

A Meta tentou aproveitar a crise de popularidade do X e apressou o lançamento — faltavam vários recursos simples, como interface web e timeline cronológica sem sugestões de posts.

A empresa está correndo atrás do prejuízo para acrescentar o que estava faltando. Aos poucos, o Threads ganhou acesso pelo navegador, uma linha do tempo mais “pura” e uma integração maior com sua rede-mãe, o Instagram, entre outros.

A pressa também se justifica pelo péssimo desempenho após o lançamento: o número de usuários ativos caiu 79% em apenas um mês, e mesmo a versão web teve pouco impacto para reverter o quadro.

Com informações: The Verge
Threads deve lançar botão para editar posts em breve

Threads deve lançar botão para editar posts em breve
Fonte: Tecnoblog

Zuckerberg critica Elon Musk e abandona luta de bilionários

Zuckerberg critica Elon Musk e abandona luta de bilionários

E aconteceu o esperado: a luta entre Mark Zuckerberg e Elon Musk não vai sair do papel. O dono da Meta usou o Threads, sua plataforma de microblogging, para criticar as diversas desculpas de Musk para atrasar o combate e informar que “seguirá em frente”, lutando contra quem leva o esporte a sério. Ele não especificou qual esporte, mas é mais provável que seja o jiu-jitsu e o MMA.

Duelo entre Elon Musk e Mark Zuckerberg pode não ficar somente no ambiente online (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

As desculpinhas citadas por Zuckerberg são as diversas declarações de Musk para adiar o combate. O dono do Twitter disse que primeiro teria de fazer uma cirurgia, para depois participar do encontro previsto para 26 de agosto. Depois, o principal nome da Tesla e da SpaceX disse que queria uma “luta-treino” no octógono montado na casa de Zuckerberg.

Na publicação, o fundador da Meta disse que, quando Musk estiver falando sério sobre a luta, o seu rival sabe como entrar em contato. Agora, Zuckerberg seguirá seu foco nas lutas de jiu-jitsu e, quem sabe, uma estreia no MMA amador.

Mark Zuckerberg critica Musk e diz que seguirá em frente, lutando contra quem realmente leva o esporte a sério, e cancela combate (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)

Conversa sobre a luta foi longe demais

Quem acompanha o Tecnoblog regularmente já estava sabendo que a luta não aconteceria. Elon Musk é, como também falamos meses atrás, uma pessoa incrível no sentido “cru” da palavra. Não dá para acreditar nas coisas que ele diz.

E, como dito lá em junho, o aceite do “Chief Twit” era uma de suas estratégias de se manter na mídia, continuar recebendo atenção dos grandes veículos. Em um momento, Musk disse que a luta aconteceria no Coliseu — algo que é impossível, visto que o local está passando por uma restauração e é patrimônio cultural da humanidade.

Coliseu está passando por restauração para ampliar plataforma do público, mas governo italiano descartou a ideia da luta no local (Imagem: Guy Percival/PublicDomainPhotos)

Na semana passada, Mark Zuckerberg puxou para si a responsabilidade sobre as informações da luta. No Threads, o empresário avisou que se o embate fosse finalmente marcado, ele seria o primeiro a falar. “Até lá, por favor, presumam que qualquer coisa que ele fala não foi acordada”, disse o CEO da Meta.

UFC de bilionários?

Quem mais perde com tudo isso é Dana White, CEO do UFC. Se você acha que Mark Zuckerberg e Elon Musk gostam da verdinha (notas de dólares), é porque você não conhece o presidente desta empresa — mas há méritos, já que ele sabe formar eventos épicos para lucrar.

White está (ou estava) assessorando os dois empresários para tirar o combate do papel. Seus planos envolviam usar o UFC para “sediar” a luta. A organização de MMA possui uma parceria com o Facebook e transmite algumas lutas preliminares na rede social. Porém, é óbvio que Musk não queria isso.

O cenário mais provável era que o Twitter e Facebook transmitiriam a luta — ainda que o primeiro tenha certos problemas de estabilidade para as transmissões ao vivo.
Zuckerberg critica Elon Musk e abandona luta de bilionários

Zuckerberg critica Elon Musk e abandona luta de bilionários
Fonte: Tecnoblog