Category: Apple

Microsoft e Apple se afastam de conselho da OpenAI para evitar problemas

Microsoft e Apple se afastam de conselho da OpenAI para evitar problemas

OpenAI recebeu investimentos da Microsoft e fechou parceria com a Apple (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

A Microsoft deixou seu assento de observadora no conselho da OpenAI, posto que obteve em novembro de 2023, e a Apple recusou posição semelhante, que faria parte do acordo para colocar o ChatGPT nos iPhones. Segundo o Financial Times, o motivo do movimento é o crescente escrutínio de governos em todo o mundo sobre os investimentos de gigantes da tecnologia em startups de inteligência artificial.

A União Europeia e o Reino Unido, por exemplo, investigam a relação entre a Microsoft e a OpenAI: elas querem saber se a gigante de Redmond é dona ou exerce controle da desenvolvedora do ChatGPT. A Microsoft investiu mais de US$ 13 bilhões e tem direito a parte dos lucros da OpenAI, até um certo limite. Em seu site, a startup de IA diz ser totalmente independente e comandada pela OpenAI Nonprofit, organização sem fins lucrativos.

Tecnologias da OpenAI ajudaram a impulsionar ferramentas de IA da Microsoft (Foto: Thássius Veloso/Tecnoblog)

Já a Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos (FTC, na sigla em inglês) está examinado os investimentos feitos por Microsoft, Amazon e Google. Uma fonte ligada ao FTC disse ao Financial Times que a saída do conselho não deve resolver as preocupações da agência.

OpenAI fará reuniões com quem não está no conselho

Em uma carta escrita pelo conselheiro Keith Dolliver, a Microsoft diz que o assento de observadora no conselho da OpenAI não é mais necessário, já que a empresa viu “progresso significativo do novo conselho e está confiante nos rumos da companhia”.

A empresa comandada por Satya Nadella tinha esta posição desde novembro de 2023, quando Sam Altman, CEO e cofundador da OpenAI, foi demitido abruptamente e readmitido em um intervalo de menos de duas semanas.

Já o posto de observadora da Apple seria ocupado por Phil Schiller, líder da App Store e dos eventos, de acordo com informações publicadas pela Bloomberg na semana passada. Agora, de acordo com o Financial Times, isso não vai mais acontecer.

Segundo o jornal, apesar deste afastamento, o contato permanecerá: a OpenAI fará reuniões regulares com Microsoft e Apple, além de investidores como Thrive Capital e Khosla Ventures.

Com informações: Financial Times
Microsoft e Apple se afastam de conselho da OpenAI para evitar problemas

Microsoft e Apple se afastam de conselho da OpenAI para evitar problemas
Fonte: Tecnoblog

Apple remove VPNs da App Store russa após pedido do governo

Apple remove VPNs da App Store russa após pedido do governo

Apple atende demanda da agência de telecomunicação da Rússia e remove VPNs da App Store no país (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

A Apple removeu alguns serviços de VPN da sua App Store na Rússia. Conforme a carta enviada para as empresas afetadas, a exclusão dos aplicativos foi exigida pela Roskomnadzor, agência de comunicação do país, com atribuições parecidas com as da Anatel. O uso de VPNs não é proibido no país, mas as provedoras precisam bloquear o acesso aos sites banidos pelo governo.

A Red Shield VPN, uma dos serviços removidos da App Store russa, divulgou a carta enviada pela Apple. No documento, a big tech relata que a Roskomnadzor exigiu a remoção com base no item 7 do artigo 15.1 da Lei Federal n.º 149.

Email enviado pela Apple para os VPNs removidos da App Store na Rússia (Imagem: Reprodução/Red Shield VPN/TechCrunch)

O item 7 obriga um provedor a remover um site ou serviço que entra na lista de páginas proibidas pela Roskomnadzor. Contudo, não é informado qual o motivo do banimento das VPNs no país. O provável é que os 25 serviços removidos da App Store seguiam permitindo o acesso a sites proibidos na Rússia.

O Facebook e o Instagram, por exemplo, foram bloqueados no país. A razão disso foi a declaração da Meta de que não baniria usuários que publicassem mensagens violentas contra Vladimir Putin, Alyaksandr Lukashenka (presidente da Bielorrússia, nome transliterado do bielorrusso) e o exército russo. Em fevereiro, alguns usuários na Rússia relataram que retomaram o acesso ao Instagram.

Com esse bloqueio, o uso de VPNs é necessário para que usuários da Rússia entrem nas redes sociais da Meta. Além disso, jornais independentes e críticos ao governo de Vladmir Putin, como o Novaya Gazeta e Meduza, só podem ser acessados por esses serviços.

VPNs restringidas, mas usadas pelo governo

Após a invasão à Ucrânia, o governo russo transformou em crime o ato de indicar VPNs — e navegadores para acessar a deep web. Contudo, órgãos governamentais dependem do uso desses serviços para acessar plataformas bloqueadas pelas sanções internacionais.

Depois do início da guerra, a Rússia saltou da posição 45ª para 8ª no ranking de países que mais baixaram VPNs. HideMyName e Le VPN foram outros serviços banidos da App Store. Até o momento, a Apple não se pronunciou sobre o caso.

Com informações: TechCrunch
Apple remove VPNs da App Store russa após pedido do governo

Apple remove VPNs da App Store russa após pedido do governo
Fonte: Tecnoblog

iPhone 16 pode trazer um retorno estrondoso para a Apple

iPhone 16 pode trazer um retorno estrondoso para a Apple

Já sabemos que o mês de setembro é o “tapete vermelho” para a nova linha de celulares da Apple, mas parece que a linha iPhone 16, que chega este ano, pode ser um grande ponto de virada para a gigante de Cupertino.

Segundo a firma de investimentos Wedbush, a Apple está esperando por um aumento exponencial nas vendas com o lançamento da linha iPhone 16. Os analistas preveem uma demanda “monumental” e um “ciclo de atualização massivo” motivado pelos novos recursos de AI (Apple Intelligence). Nos últimos anos, os iPhones da Apple se tornaram piada por conta da falta de inovação em termos de design e até mesmo por terem hardwares bem similares, mas tudo pode mudar com a chegada da nova linha iPhone 16. Ainda que tudo indique que não teremos grandes novidades em termos de design, a nova linha terá como grande novidade os recursos de Inteligência Artificial (chamados pela empresa de Apple Intelligence). O Apple iPhone 15 Pro está disponível na Mercadolivre por R$ 6.262. O custo-benefício é médio mas esse é o melhor modelo nessa faixa de preço. O Apple iPhone 15 Plus está disponível na Amazon por R$ 5.699. O custo-benefício é bom e esse é o melhor modelo nessa faixa de preço. O Apple iPhone 15 está disponível na Mercadolivre por R$ 4.545. O custo-benefício é ótimo e esse é o melhor modelo nessa faixa de preço. O Apple iPhone 15 Pro Max está disponível na Mercadolivre por R$ 7.157. O custo-benefício é médio mas esse é o melhor modelo nessa faixa de preço. (atualizado em 09 de July de 2024, às 11:00)Clique aqui para ler mais

iPhone 16 pode trazer um retorno estrondoso para a Apple
Fonte: Tudocelular

Android não! Funcionários da Microsoft na China devem usar iPhone para medidas de segurança

Android não! Funcionários da Microsoft na China devem usar iPhone para medidas de segurança

Apple e Microsoft sempre foram duas das maiores concorrentes na indústria de tecnologia, mas esta semana, descobrimos que, ao menos na China, a gigante de Redmond exige que seus funcionários utilizem celulares iPhone para recursos de autenticação. A partir de setembro deste ano, o uso de celulares Android como dispositivos de autenticação multifator será banido na Microsoft China, com os funcionários sendo obrigados a utilizar iPhones como alternativa.

O pedido certamente é curioso, tendo em vista que os funcionários utilizam, majoritariamente, PCs com Windows. A mudança é parte da Microsoft Secure Future Initiative, anunciada no ano passado. O Apple iPhone 15 Pro está disponível na Mercadolivre por R$ 6.325. O Apple iPhone 15 Plus está disponível na Kabum por R$ 5.699 e na Amazon por R$ 6.199. O custo-benefício é médio mas esse é o melhor modelo nessa faixa de preço. O Apple iPhone 15 está disponível na Mercadolivre por R$ 4.545. O custo-benefício é médio mas esse é o melhor modelo nessa faixa de preço. O Apple iPhone 15 Pro Max está disponível na Mercadolivre por R$ 7.127. (atualizado em 08 de July de 2024, às 11:14)Clique aqui para ler mais

Android não! Funcionários da Microsoft na China devem usar iPhone para medidas de segurança
Fonte: Tudocelular

Apple aprova loja da Epic Games para iPhone após ser acusada de perseguição

Apple aprova loja da Epic Games para iPhone após ser acusada de perseguição

Apple é obrigada a aceitar lojas de terceiros na União Europeia (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

A Apple aprovou, nesta sexta-feira (5), a loja da Epic Games para iPhone e iPad. Ainda sem data de lançamento, ela será exclusiva para usuários da União Europeia, já que o bloco obrigou a marca da maçã a abrir seu sistema a outros métodos de distribuição de aplicativos.

A aprovação, porém, não veio sem drama. A Epic Games revelou que a Apple rejeitou duas vezes sua loja. Em mais um capítulo da briga que se arrasta desde 2020, a desenvolvedora de Fortnite acusou a marca da maçã de agir de forma arbitrária e violar a legislação da União Europeia — desde janeiro, a Apple não pode impedir instalação direta e lojas de terceiros no iPhone.

Segundo a Epic Games, a Apple alegava que botões e etiquetas usados pela empresa em sua loja de games são muito parecidos com os usados na App Store.

A desenvolvedora se defendeu: “Estamos usando ‘Instalar’ e ‘Compras no app’, nomes que seguem convenções usadas em lojas de aplicativos populares em múltiplas plataformas”, escreveu a Epic em sua conta no X (antigo Twitter). A companhia também considerava estar seguindo as convenções de botões para apps do iOS.

Fortnite foi banido do iPhone em 2020, mas voltou à App Store na União Europeia (Imagem: André Fogaça / Tecnoblog)

Apple aponta problemas, mas aprova loja

A Apple respondeu às alegações da Epic Games dizendo que, nas normas para desenvolvedores, existe a regra de que lojas de terceiros não podem ser semelhantes à App Store para evitar confusões entre os consumidores.

A empresa reconhece que a Epic seguiu esta diretriz, mas que o botão de download era uma cópia do mesmo elemento da loja de aplicativos da Apple. Horas depois da primeira sequência de posts, a Epic Games voltou ao X para comunicar que a Apple aprovou sua loja.

Procurada pela agência de notícias Reuters, a Comissão Europeia recusou comentar o caso. O braço executivo do bloco investiga se a Apple violou as regras de mercados digitais ao criar uma nova série de regras, procedimentos e taxas para os desenvolvedores que querem distribuir seus apps por fora da App Store.

Com informações: Reuters
Apple aprova loja da Epic Games para iPhone após ser acusada de perseguição

Apple aprova loja da Epic Games para iPhone após ser acusada de perseguição
Fonte: Tecnoblog

Apple pode lançar novo dispositivo baseado em IA que mescla HomePod e Apple TV

Apple pode lançar novo dispositivo baseado em IA que mescla HomePod e Apple TV

Recentemente, surgiram rumores de que a Apple está desenvolvendo um novo dispositivo residencial que combina as funções da Apple TV, HomePod e iPad, sendo também potencializado por inteligência artificial (chamada pela gigante de Cupertino de “Apple Intelligence”). Esse dispositivo multifuncional visa competir com produtos semelhantes do Google e da Amazon, oferecendo uma experiência integrada para os usuários.

Trazendo funcionalidades de entretenimento, controle de casa inteligente e assistente virtual, a novidade da Apple promete revolucionar a forma como interagimos com nossos lares.Um código de referência foi encontrado pelo MacRumors no backend da Apple, mostrando o identificador “HomeAccessory17,1”, que se parece bastante com o nome “AudioAccessory” do HomePod.Clique aqui para ler mais

Apple pode lançar novo dispositivo baseado em IA que mescla HomePod e Apple TV
Fonte: Tudocelular

Prepare o bolso: Apple pode cobrar por funções de IA no iOS e iPadOS 18

Prepare o bolso: Apple pode cobrar por funções de IA no iOS e iPadOS 18

A Apple Intelligence foi apresentada durante a WWDC 2024 como uma das maiores novidades com a integração profunda de inteligência artificial para o iOS, iPadOS, macOS e demais sistemas da Apple. Entretanto, a Bloomberg agora está apontando que algumas destas funções podem ser pagas.De acordo com a agência de notícias, algumas funções da Apple Intelligence podem ser oferecidas gratuitamente, mas outras com integrações mais profundas ao sistema podem exigir uma assinatura para funcionar.

Vale lembrar que a Apple não mencionou em nenhum momento da WWDC 2024 se as funções da Apple Intelligence exigirão uma assinatura ou não, então a possibilidade levantada pela Bloomberg pode fazer sentido.Clique aqui para ler mais

Prepare o bolso: Apple pode cobrar por funções de IA no iOS e iPadOS 18
Fonte: Tudocelular

TC Gamer: Top 10 melhor jogo de tiro em primeira pessoa para Android e iOS

TC Gamer: Top 10 melhor jogo de tiro em primeira pessoa para Android e iOS

Para quem adora a adrenalina de um bom jogo de tiro em primeira pessoa temos um prato cheio! Dando sequência ao nosso quadro de jogos aqui no TudoCelular, apresentamos a seguir uma lista recheada de excelentes títulos para quem adora jogos de tiro e quer levar eles no seu smartphone ou tablet para qualquer lugar!

São 10 títulos imperdíveis da categoria de FPS – acrônimo para tiro em primeira pessoa, em tradução do inglês, para seu dispositivo Android ou iOS! Você poderá se divertir e aliviar um pouco do estresse diário em confrontos épicos contra o computador ou contra jogadores de todo o mundo, em partidas por round ou no estilo Battle Royale.

Clique aqui para ler mais

TC Gamer: Top 10 melhor jogo de tiro em primeira pessoa para Android e iOS
Fonte: Tudocelular

Apple finalmente adota RCS no iPhone

Apple finalmente adota RCS no iPhone

Mensagens via RCS chegam ao iPhone no iOS 18 (Imagem: Reprodução/Apple)

Um dos novos recursos do iOS 18 é o suporte ao RCS (Rich Communications Service). Trata-se de um padrão de comunicação que é a evolução do SMS, mas que a Apple nunca havia adicionado no iPhone para dar popularidade ao serviço proprietário iMessage.

Apesar de chegar somente agora ao iPhone, o protocolo RCS não é uma novidade, visto que os primeiros dispositivos compatíveis com a evolução do SMS foram lançados em 2012. A ampla adoção começou a partir de 2019, quando o Google atualizou seu aplicativo de mensagens para dar suporte às mensagens aprimoradas.

Finalmente a Apple se rendeu e adotou o RCS no iPhone. O recurso ficou disponível no beta do iOS 18; a versão para o público final deve ser lançada em setembro, juntamente com o lançamento da próxima geração de smartphones da companhia.

Ainda assim, as operadoras de celular precisam liberar uma atualização nos seus ajustes para habilitar o RCS no iPhone. De acordo com o 9to5Mac, as principais teles americanas já liberaram novos perfis que habilitam as mensagens aprimoradas no beta do iOS 18.

As vantagens do RCS

As mensagens via SMS permitem texto simples com até 160 caracteres, enquanto as mensagens multimídia (MMS) têm limites que variam de acordo com a operadora — mas passam dificilmente de 3 MB, o que dificulta o compartilhamento de fotos em alta resolução e vídeos. Com o RCS, é possível enviar arquivos com até 100 MB cada.

iMessage à esquerda, SMS à direta (imagem: reprodução/Apple)

Enquanto as mensagens por SMS e MMS dependem obrigatoriamente do sinal da operadora móvel, o RCS utiliza a internet para a troca de mensagens. Com isso, é possível continuar a conversa via Wi-Fi, útil para quem está fora da área de cobertura ou em viagens internacionais sem o serviço de roaming disponível.

Por ser baseado em dados, o RCS também tem a vantagem frente ao SMS de não ser cobrado por cada mensagem enviada. Isso permite continuar a comunicação mesmo caso o usuário esteja sem créditos, mas esteja com internet disponível via Wi-Fi. Também melhora a comunicação entre usuários de diferentes países, uma vez que as teles cobram caro por SMSs internacionais.

Além de permitir mensagens maiores, o RCS também tem suporte a recibos de leitura e ver quando a outra pessoa está digitando. Todos esses recursos só funcionam caso ambos os interlocutores tenham a tecnologia ativa; caso contrário, as mensagens são enviadas via SMS ou MMS.

Não vai fazer muita diferença para o Brasil

O RCS é uma evolução muito bem-vinda do SMS, mas, na prática, não deve fazer muita diferença para os brasileiros. Segundo a pesquisa Mensageria no Brasil, feita pelo Mobile Time/Opinion Box em março de 2024, o WhatsApp está instalado em 98% dos celulares brasileiros. 26% dos entrevistados afirmam que nunca enviam SMS, e 40% quase nunca recorrem às mensagens tradicionais.

Ainda assim, o RCS é utilizado no Brasil, especialmente por empresas que enviam publicidade. Até mesmo o Governo Federal utiliza a tecnologia para divulgar informativos.

Mensagem via RCS enviada pelo Governo Federal (Imagem: Lucas Braga/Tecnoblog)

A chegada do RCS impacta sobretudo os Estados Unidos: por lá, a maioria das pessoas se comunica pelo aplicativo nativo de mensagens do smartphone. Isso acabou criando bolhas de pessoas que usam Android e quem usa iPhone.

Quem usa iPhone e se comunica com quem tem outro iPhone acaba utilizando o iMessage de forma automática. A plataforma de chat proprietária da Apple tem as mesmas vantagens do RCS, como mídias em alta qualidade e recibos de leitura, mas funciona apenas para quem também tem o iMessage ativado.

Se uma pessoa com iPhone se comunica com outra via Android ou vice-versa, toda a conversa recai sobre o tradicional SMS. Com isso, as imagens, vídeos e áudios perdem qualidade e não há recibos de leitura ou indicador de digitando.

Por essa falta de interoperabilidade, empresas como Google e Samsung pressionavam publicamente a adoção do RCS no iPhone. Em 2022, Tim Cook, CEO da Apple, rejeitou o padrão e sugeriu a um jornalista que comprasse um iPhone para se comunicar via iMessage.

Com informações: Gizmodo
Apple finalmente adota RCS no iPhone

Apple finalmente adota RCS no iPhone
Fonte: Tecnoblog

As três apostas da Apple para tornar seu relógio indispensável

As três apostas da Apple para tornar seu relógio indispensável

Apple Watch Ultra 2 no pulso (Foto: Thássius Veloso/Tecnoblog)

O que um relógio inteligente é capaz de fazer? Sem sombra de dúvida, muita coisa. A segunda pergunta é: o que as pessoas de fato realizam com os seus smartwatches? No que depender da Apple, qualquer que seja a resposta atual, será muito mais com a chegada da próxima geração do watchOS.

A fabricante preparou uma série de novidades para o watchOS 11 que deverão torná-lo mais atrativo para os usuários. Porque, sejamos francos, às vezes o relógio pode se tornar uma espécie de Alexa pra gente: dá pra fazer muita coisa, mas a gente só se lembra de chamá-la para colocar música ou ativar o timer.

Tela de widgets no Apple Watch (Foto: Thássius Veloso/Tecnoblog)

A Apple me convidou para uma conversa exclusiva com dois profissionais do time de Apple Watch. Papo vai, papo vem, e abaixo você confere quais as armas secretas para o futuro do aparelho.

1. Muitos widgets com muitos botões

Widgets vão mostrar até três botões no watchOS 11 (Imagem: Divulgação/Apple)

A gerente de engenharia Lori Hylan-Cho não disfarça a empolgação ao mostrar todo o potencial dos futuros widgets para Apple Watch. Eles poderão ser acionados em várias faces e também ao rodar a Digital Crown para baixo (como já acontece atualmente).

A novidade tem a ver com o número de botões clicáveis exibidos nos widgets, que poderá ser muito maior. Desta forma, o usuário não precisará entrar no menu de aplicativos, escolher o programa desejado, e só então definir a ação que será executada.

2. Gesto de Double Tap em tudo

Parece mágica para algumas pessoas: os Apple Watch mais recentes sabem quando a pessoa faz uma espécie de clique com os dedos. O gesto de Double Tap estará em todo o sistema a partir do watchOS 11, o que não acontece hoje em dia.

Double Tap por enquanto não faz nada no app de atividades físicas (Foto: Thássius Veloso/Tecnoblog)

Abriu um app e não quer fazer o scroll na tela touch? Será possível fazer o Double Tap para navegar pelas opções e interagir com o smartwatch somente na hora de definir a próxima ação.

Além disso, os criadores de aplicativos passam a contar com uma API para uso desta funcionalidade. O gerente de marketing Eric Charles nos traz o exemplo de um adulto com uma criança de colo que acaba de cair no sono. Será possível fazer o Double Tap para rapidamente ativar uma ferramenta de monitoramento parental.

3. As Live Activities chegam ao watchOS

A função de Live Activity se tornou uma interessante implementação nos iPhones. Os apps podem informar dados importantes em tempo real, como o tempo restante até o carro da Uber chegar até você. Tornou-se notória a aplicação da United Airlines, que consegue exibir dados elementares de um passageiro, como o número de embarque, portão do voo, assento e – já no ar – tempo restante até o pouso.

App da Uber mostra informação em tempo real do carro (Imagem: Divulgação/Apple)

Quem tem iPhone com notch conta ainda com as Live Activities sempre no topo do telefone. Isso chega ao watchOs graças a uma integração entre os sistemas. Ou seja, a mesma atividade será mostrada tanto na tela do telefone quanto na do Watch. E nisto, cada usuário pode definir a melhor maneira de interagir com aquele conteúdo.

De acordo com Lori Hylan-Cho, todos os apps de iPhone automaticamente terão Live Activity no Apple Watch. No entanto, os desenvolvedores que assim quiserem poderão personalizar ainda mais e criar uma interface diferente, que tire mais proveito da experiência de usuário proporcionada pelo relógio da maçã.

Quando chegam as novidades?

O watchOS 11 foi apresentado na WWDC, realizada há duas semanas no Apple Park, nos Estados Unidos. A empresa não revelou uma data, mas o mais provável é que o sistema seja liberado em setembro, junto com o iPhone 16 e os possíveis novos Apple Watches.
As três apostas da Apple para tornar seu relógio indispensável

As três apostas da Apple para tornar seu relógio indispensável
Fonte: Tecnoblog