Category: Elon Musk

O bloqueio do Twitter também precisaria ocorrer na Starlink?

O bloqueio do Twitter também precisaria ocorrer na Starlink?

Starlink é o provedor de internet de Elon Musk (imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

A efervescência em torno de uma eventual ordem judicial sobre o bloqueio do Twitter no Brasil acendeu a discussão, ao menos nas redes sociais, sobre qual seria a postura da Starlink. O provedor de internet controlado por Elon Musk também precisaria cumprir a determinação? Em resumo, sim – para tristeza dos defensores de Musk.

A Starlink oferece seus serviços de forma oficial no Brasil. A conexão via satélite custa entre R$ 184 e R$ 280 por mês nos planos mais simples. Para atuar por aqui, ela paga uma taxa e recebe uma outorga da Agência Nacional de Telecomunicações. É assim com todas as empresas do setor.

“A Starlink é outorgada a prestar serviços no Brasil e por isso se submete à legislação e ao judiciário brasileiro”, me disse uma fonte com amplo conhecimento do setor de telecomunicações.

Em outras palavras, ela estaria entre os mais de 20 mil provedores de acesso obrigados a cumprir uma eventual ordem de bloqueio. Os trâmites ocorreriam “em questão de horas”, de acordo com uma pessoa da área. Em caso de descumprimento, ela estaria em desobediência e passível das sanções legais.

Na mais recente decisão envolvendo o Twitter e Elon Musk, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, estipulou multa diária de R$ 100 mil em caso de descumprimento. Ainda não há nenhuma medida judicial específica para a Starlink, mas é possível que este mesmo patamar se repetisse.
O bloqueio do Twitter também precisaria ocorrer na Starlink?

O bloqueio do Twitter também precisaria ocorrer na Starlink?
Fonte: Tecnoblog

Quanto tempo levaria para bloquear o Twitter no Brasil?

Quanto tempo levaria para bloquear o Twitter no Brasil?

Elon Musk ameaçou não cumprir mais decisões sobre retirada de conteúdo (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

As operadoras de telecomunicações do Brasil têm capacidade técnica para bloquear o Twitter “em questão de horas”, de acordo com uma fonte ouvida pelo Tecnoblog. Esta possibilidade surgiu nas últimas 24 horas, diante de comentários feitos pelo empresário Elon Musk, dono da plataforma, sobre não cumprir decisões judiciais.

Os trâmites para bloqueio de plataforma digital necessariamente envolvem uma ordem judicial. O mais provável é que ela cite a Agência Nacional de Telecomunicações. Ao receber a determinação, a Anatel compartilha o ofício com as mais de 20 mil empresas de telefonia do país.

Segundo notícia publicada pelo UOL, algumas delas estariam de prontidão para cumprir uma eventual medida judicial. O bloqueio em si ocorreria de maneira gradual, conforme cada operadora faz ajustes em seus sistemas para cortar o acesso aos endereços e IPs associados ao Twitter (ou X, como preferir).

É importante notar que a Justiça pode determinar a retirada de posts específicos em redes sociais. Musk sugeriu não cumprir mais este tipo de decisão quando vier do Supremo Tribunal Federal. Num turbulento cenário como este, o passo seguinte seria a Justiça determinar a retirada da própria rede social, o que passaria a envolver também as empresas de telecomunicações.
Quanto tempo levaria para bloquear o Twitter no Brasil?

Quanto tempo levaria para bloquear o Twitter no Brasil?
Fonte: Tecnoblog

Elon Musk promete abrir código de inteligência artificial rival do ChatGPT

Elon Musk promete abrir código de inteligência artificial rival do ChatGPT

Elon Musk fundou a xAI no ano passado, para rivalizar com a OpenAI (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Elon Musk prometeu abrir o código do chatbot Grok, criado pela xAI, empresa de inteligência artificial fundada pelo bilionário em 2023. No início do mês, Musk entrou com um processo contra a OpenAI, acusando a companhia de abandonar a missão de contribuir para o desenvolvimento da humanidade e buscar apenas o lucro. A OpenAI não abre seus modelos.

Musk comunicou a decisão no X (antigo Twitter): “Esta semana, a xAI vai abrir o código do Grok”. Por enquanto, não há mais detalhes de como isso acontecerá, nem quais partes do modelo serão liberadas.

Página inicial do Grok, IA generativa do X/Twitter (Imagem: Reprodução/X)

O Grok foi lançado em novembro de 2023. Ele promete respostas com menos censura do que o ChatGPT e outros concorrentes, além de ser atualizado em tempo real, graças à coleta de publicações de usuários do X. Ainda em fase de testes, o chatbot está disponível para assinantes do pacote Premium+ da rede social X em países selecionados. No Brasil, o Premium+ custa R$ 84 mensais ou R$ 880 anuais.

Outras empresas também vêm tentando disponibilizar seus modelos para o público geral. É o caso da Meta e da startup francesa Mistral. O Google também liberou para desenvolvedores o modelo Gemma, menos potente que o Gemini. Já a OpenAI não tem adotado esta prática.

Musk acusa OpenAI de trair missão

No início do mês, o dono da xAI entrou com um processo contra a OpenAI. Ele acusa a empresa, o CEO Sam Altman e o presidente Greg Brockman de abandonar a missão original da companhia: criar inteligências artificiais visando o bem da humanidade.

Sam Altman diz que o próprio Musk avaliou que a OpenAI precisaria de mais dinheiro (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

Musk é um dos co-fundadores da OpenAI, mas se afastou da instituição em 2018. Ele diz ter ajudado na fundação e no financiamento sob a promessa de que os modelos desenvolvidos seriam disponibilizados gratuitamente.

No entanto, o empreendedor avalia que a companhia se tornou, na prática, uma subsidiária da Microsoft. Ele quer que Altman, Brockman e Microsoft sejam impedidos de ter benefícios financeiros com as tecnologias desenvolvidas.

Dias depois, a OpenAI trouxe a público e-mails em que Musk afirma que a organização precisaria de bilhões de dólares, e que a única forma de conseguir isso seria buscando novas fontes de renda. Em 2019, a instituição sem fins lucrativos OpenAI criou a empresa OpenAI LP, visando lucro. A Microsoft é uma de suas maiores investidoras.

Com informações: TechCrunch, Reuters
Elon Musk promete abrir código de inteligência artificial rival do ChatGPT

Elon Musk promete abrir código de inteligência artificial rival do ChatGPT
Fonte: Tecnoblog

X (Twitter) encerra o suporte a fotos de perfil em NFT

X (Twitter) encerra o suporte a fotos de perfil em NFT

Você ainda lembra de NFT? O X (antigo Twitter) decidiu acabar com as fotos de perfil com os tokens não fungíveis. O recurso existia desde antes de Elon Musk comprar a rede social, e era exclusivo para assinantes pagos da plataforma.

X remove suporte a NFTs (imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Lançado como um recurso do antigo Twitter Blue, proprietários de NFTs baseados em Ethereum conseguiam exibir as artes digitais como sua foto de perfil. A rede social diferenciava os NFTs de imagens convencionais, uma vez que o avatar ficava num formato de hexágono.

O recurso não durou muito tempo. Todas as menções ao suporte de NFT como foto de perfil foram removidos das páginas de suporte do X Premium.

Ao menos por enquanto, a medida não parece afetar perfis do X que já tinham NFTs como foto de perfil. A arte digital continua sendo exibida como um hexágono, e os demais usuários da rede social continuam visualizando o avatar de forma diferenciada.

Aviso do antigo Twitter sobre NFTs como fotos de perfil (Imagem: Reprodução)

No Twitter, os NFTs fizeram algum sucesso, especialmente com ilustrações de macacos do Bored Ape Yacht Club. Diversas celebridades compraram esses NFTs, incluindo Neymar, Justin Bieber e Post Malone.

De acordo com o site NFT Stats, o preço médio de uma arte digital do Bored Ape Yacht Club é de US$ 59,5 mil nos últimos sete dias. A coleção completa possui mais de 10 mil NFTs distintos.

NFTs são removidos após divulgação de planejamentos do X

A remoção do suporte aos NFTs ocorreu pouco após o X ter divulgado o planejamento para o ano de 2024. Um dos destaques é a utilização de inteligência artificial para melhorar o sistema de publicidade, que irá compreender melhor os clientes, melhorar a pesquisa e aprimorar os anúncios.

A inteligência artificial também será utilizada para sugestão de conteúdo aos usuários, com um novo recurso de encontrar postagens semelhantes. O X Premium também incluirá acesso ao Grok, uma IA para competir com o ChatGPT.

Além disso, a rede social de Musk irá lançar um sistema de pagamentos entre pessoas. Não se sabe quando (ou se) o recurso chegará ao Brasil, mas o X trabalha para conseguir licenças de operação financeira em diversas regiões dos Estados Unidos.

Com informações: TechCrunch
X (Twitter) encerra o suporte a fotos de perfil em NFT

X (Twitter) encerra o suporte a fotos de perfil em NFT
Fonte: Tecnoblog

X/Twitter: Elon Musk lança IA Grok para competir com ChatGPT

X/Twitter: Elon Musk lança IA Grok para competir com ChatGPT

IA Grok será um dos recursos exclusivos para assinantes do X Premium+ (Imagem: Divulgação/X)

A rede social X (antigo Twitter) agora possui o próprio chatbot: o Grok. Conforme as informações, a IA generativa – ou xIA – está disponível para testes limitados e será um recurso exclusivo dos assinantes do plano X Premium+ no futuro.

A nova plataforma de Elon Musk promete oferecer uma experiência diferente do rival ChatGPT da OpenAI. Em especial, o chatbot deve promover respostas com bom humor e ter menos “censura” em relação a tópicos potencialmente sensíveis.

Página inicial do Grok, IA generativa do X/Twitter (Imagem: Reprodução/X)

Elon Musk sempre teceu críticas à suposta censura do ChatGPT em relação a determinados temas. Então, o bilionário e dono do X diz que lançou a IA Grok para “ser a melhor representação da verdade”.

De acordo com o executivo, o chatbot será uma fonte de informações mais precisa de notícias e outros assuntos em tempo real. Para se manter sempre atualizado, a IA coletará dados de publicações de usuários da rede social.

Recentemente, o X atualizou o contrato de uso informando que as postagens feitas pelos usuários da plataforma serão usadas no treinamento do Grok. Então, Musk afirma que o chatbot trará respostas com um certo tom de humor e sarcasmo semelhante ao público da rede social.

Elon Musk diz que Grok ajudará a “espalhar a verdade” (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

X/Twitter ainda é uma fonte segura de informações?

A princípio, o uso do próprio X como fonte para o treinamento do Grok parece ser uma ideia interessante. Contudo, a rede social tem tido um fluxo de informação cada vez menor e que raramente refletem as tendências e opiniões globais.

Vários usuários reclamam que a plataforma se tornou um espaço de desinformação nos últimos meses. Para mais, assinantes do X Premium estariam sendo monetizados por publicações com informações distorcidas sobre COVID, a guerra em Israel, o cenário político nos EUA e outros temas polêmicos.

Dessa maneira, analistas acreditam que o Grok pode se tornar uma “máquina de desinformação” baseada nas opiniões de Elon Musk sobre assuntos sensíveis. Do outro lado, o bilionário defende que o chatbot será essencial para “ajudar a espalhar a verdade, longe das mentiras dos meios de comunicação e dos governos”.

Com informações: Social Media Today
X/Twitter: Elon Musk lança IA Grok para competir com ChatGPT

X/Twitter: Elon Musk lança IA Grok para competir com ChatGPT
Fonte: Tecnoblog

X, antigo Twitter, vai acabar com a Roda no próximo mês

X, antigo Twitter, vai acabar com a Roda no próximo mês

A conta de suporte do X, antigo Twitter, informou que a rede social encerrará a Roda no dia 31 de outubro. O recurso funciona (presente pois ainda está “viva”) de forma idêntica ao Melhores Amigos do Instagram: você adiciona algumas contas para uma lista única e pode tweetar para que só os membros na sua Roda vejam a publicação.

Twitter anunciou o fim da Roda, sua versão do “Melhores Amigos” (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

No tweet em que informou o fim do recurso, a conta de suporte publicou um link informando que após 31 de outubro só será possível remover as pessoas da sua lista. No entanto, a função de remover seus amigos da Roda continuará disponível — e método para realizar essa remoção é bem… Estranho.

Na página de suporte sobre o recurso, a plataforma ensina que o usuário terá que acessar a conta de quem está na sua Roda e parar de seguí-la (podendo seguir de volta se quiser, claro). O motivo para remover as pessoas é que, mesmo descontinuando o recurso, os seus “xweets” permanecerão visíveis na timeline.

Todavia, você pode aproveitar que a sua Roda ainda está funcionando para remover as contas que foram adicionadas. Esse método é mais fácil e não exige a explicação “voltei a te seguir porque a Roda acabou e precisava te dar unfollow”.

Página de suporte do X divulgou página com mais informações sobre o recurso (Imagem: Reprodução/Tecnoblog

Roda do Twitter teve problema de “privacidade” na sua curta vida

Se você acha que o método de remover as pessoas da Roda após o fim do recurso é problemático, é porque você não soube do bug que deixou os tweets visíveis para todos os usuários. Algumas publicações que eram para ser “exclusivas” foram recomendados no feed Para Você, em que até contas que não te seguem podem visualizar seus tweets.

A Roda do X/Twitter foi lançada em maio de 2022, chegando para todo o mundo em agosto do mesmo ano. A plataforma não justificou e nem justificará o motivo de encerrar o recurso. Porém, a baixa adesão pode ser a causa. Afinal, se você pode deixar sua conta privada, não há razão para usar a Roda.
X, antigo Twitter, vai acabar com a Roda no próximo mês

X, antigo Twitter, vai acabar com a Roda no próximo mês
Fonte: Tecnoblog

X/Twitter usará publicações dos usuários para treinar IA de empresa-irmã

X/Twitter usará publicações dos usuários para treinar IA de empresa-irmã

Uma alteração na política de privacidade do X, antigo Twitter, revela que as publicações realizadas na rede social serão usadas para treinar “modelos de inteligência artificial” da empresa. A rede social não possui uma IA própria, mas Elon Musk, dono da plataforma, anunciou em julho a criação da x.AI, sua empresa de inteligência artificial.

X muda políticas de privacidade para “autorizar” o treinamento de inteligência artificial da x.AI (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Logo, o treinamento feito com tweets/publicações na plataforma será usado para treinar o modelo de linguagem da empresa-irmã. Apesar do nome bem parecido entre a rede social e a empresa de IA, elas são pessoas jurídicas diferentes. No site da x.AI, há um texto ressaltando essa separação, mas garantindo que ela trabalha “muito próximo” com as outras empresas de Musk para atingir a sua missão de “desvendar os segredos do universo”.

A mudança na política de privacidade está no item 2.1 do X/Twitter, que trata sobre o uso de “informações para fornecer e operar produtos e serviços na rede social”.

x.AI unirá o útil ao agradável — e sem “pagar” por isso

Inteligência artificial de Elon Musk tem uma bela base de informações no “Xwitter” (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

Ao usar o histórico de publicações do X/Twitter, a x.AI fica com a faca e o queijo na mão para adquirir conteúdo para o seu treinamento — mesmo que existam tweets de veracidade questionável. Na teoria, apenas o Twitter possui acesso a essas publicações. Na realidade, a plataforma continua com bots a solta.

Em abril, Elon Musk, dono do Xwitter e da x.AI, ameaçou processar a Microsoft por treinar sua inteligência artificial com tweets. A ameaça, que era mais um “ataque” pela rival ter removido o X do seu serviço de gerenciamento de redes sociais, mostra que o problema (para todas essas companhias) é quando um concorrente pega os seus dados para se dar bem com isso.

Musk também segue uma campanha para melhorar as ferramentas de publicações longas na plataforma, visando levar conteúdo jornalístico para o Xwitter — e usá-lo para treinar a LLM da x.AI. É o clássico: se algo é gratuito, o produto é você.

Empresas estão alterando políticas para “autorizar” o treino de IAs

Não é só a rede social anteriormente conhecida como Twitter que mudou a política de privacidade para autorizar o treinamento de IAs. Zoom, Brave (navegador que “foca na sua privacidade”), Microsoft e a AWS mudaram recentemente as suas políticas para permitir algum nível de uso de dados pelas inteligências artificiais.

Com informações: StackDiary e TechRadar
X/Twitter usará publicações dos usuários para treinar IA de empresa-irmã

X/Twitter usará publicações dos usuários para treinar IA de empresa-irmã
Fonte: Tecnoblog

Zuckerberg critica Elon Musk e abandona luta de bilionários

Zuckerberg critica Elon Musk e abandona luta de bilionários

E aconteceu o esperado: a luta entre Mark Zuckerberg e Elon Musk não vai sair do papel. O dono da Meta usou o Threads, sua plataforma de microblogging, para criticar as diversas desculpas de Musk para atrasar o combate e informar que “seguirá em frente”, lutando contra quem leva o esporte a sério. Ele não especificou qual esporte, mas é mais provável que seja o jiu-jitsu e o MMA.

Duelo entre Elon Musk e Mark Zuckerberg pode não ficar somente no ambiente online (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

As desculpinhas citadas por Zuckerberg são as diversas declarações de Musk para adiar o combate. O dono do Twitter disse que primeiro teria de fazer uma cirurgia, para depois participar do encontro previsto para 26 de agosto. Depois, o principal nome da Tesla e da SpaceX disse que queria uma “luta-treino” no octógono montado na casa de Zuckerberg.

Na publicação, o fundador da Meta disse que, quando Musk estiver falando sério sobre a luta, o seu rival sabe como entrar em contato. Agora, Zuckerberg seguirá seu foco nas lutas de jiu-jitsu e, quem sabe, uma estreia no MMA amador.

Mark Zuckerberg critica Musk e diz que seguirá em frente, lutando contra quem realmente leva o esporte a sério, e cancela combate (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)

Conversa sobre a luta foi longe demais

Quem acompanha o Tecnoblog regularmente já estava sabendo que a luta não aconteceria. Elon Musk é, como também falamos meses atrás, uma pessoa incrível no sentido “cru” da palavra. Não dá para acreditar nas coisas que ele diz.

E, como dito lá em junho, o aceite do “Chief Twit” era uma de suas estratégias de se manter na mídia, continuar recebendo atenção dos grandes veículos. Em um momento, Musk disse que a luta aconteceria no Coliseu — algo que é impossível, visto que o local está passando por uma restauração e é patrimônio cultural da humanidade.

Coliseu está passando por restauração para ampliar plataforma do público, mas governo italiano descartou a ideia da luta no local (Imagem: Guy Percival/PublicDomainPhotos)

Na semana passada, Mark Zuckerberg puxou para si a responsabilidade sobre as informações da luta. No Threads, o empresário avisou que se o embate fosse finalmente marcado, ele seria o primeiro a falar. “Até lá, por favor, presumam que qualquer coisa que ele fala não foi acordada”, disse o CEO da Meta.

UFC de bilionários?

Quem mais perde com tudo isso é Dana White, CEO do UFC. Se você acha que Mark Zuckerberg e Elon Musk gostam da verdinha (notas de dólares), é porque você não conhece o presidente desta empresa — mas há méritos, já que ele sabe formar eventos épicos para lucrar.

White está (ou estava) assessorando os dois empresários para tirar o combate do papel. Seus planos envolviam usar o UFC para “sediar” a luta. A organização de MMA possui uma parceria com o Facebook e transmite algumas lutas preliminares na rede social. Porém, é óbvio que Musk não queria isso.

O cenário mais provável era que o Twitter e Facebook transmitiriam a luta — ainda que o primeiro tenha certos problemas de estabilidade para as transmissões ao vivo.
Zuckerberg critica Elon Musk e abandona luta de bilionários

Zuckerberg critica Elon Musk e abandona luta de bilionários
Fonte: Tecnoblog

Elon Musk afirma que conversará com Tim Cook sobre comissão da App Store

Elon Musk afirma que conversará com Tim Cook sobre comissão da App Store

Elon Musk, o dono do Twitter que agora se chama X, “tweetou” que conversará novamente com Tim Cook, CEO da Apple, para negociar a comissão cobrada na App Store. A infame comissão de 30% já gerou uma reunião entre os empresários no fim de 2022. O novo motivo para Elon Musk retomar o assunto é o repasse dos pagamentos das inscrições no Twitter.

Elon Musk (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Musk quer que a taxa seja cobrada da fatia que fica com o Twitter das inscrições. Atualmente, a taxa da App Store é tirada da inscrição de um fã. Assim como YouTube, Twitch e mais recentemente o Instagram, a antiga plataforma do passarinho conta com um serviço para que seguidores “assinem” as contas dos seus influencers favoritos, ganhando vantagens e conteúdos exclusivos.

Valor de repasse é afetado mesmo sem o X cobrar sua comissão

De acordo com o dono do Twitter/X, o alto valor cobrado pela Apple afeta os repasses para os criadores de conteúdo — mesmo a rede social não tomando a sua parte. A ferramenta de inscrição em contas só repassará uma parte para o Twitter quando completar um ano.

Após esse período, Musk informou que a plataforma ficará com 10% das inscrições que passem de US$ 100.000 (R$ 485.450,00). O anúncio da proposta da App Store cobrar a comissão só da parte do Twitter mostra que o dono da plataforma está atento ao principal recurso da uma rede social: influencers.

Musk afirma que conversará com Tim Cook para negociar comissão de 30% pelas inscrições (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)

Em outras notícias sobre redes sociais, este que vos escreve já comentou sobre como os criadores de conteúdo precisam ser valorizados para que uma plataforma tenha o mínimo de sucesso — inclusive foi uma estratégia tentada pelo Threads para alavancar usuários nos primeiros dias, entregando acesso antecipado para influencers testarem o app.

No melhor dos cenários, Tim Cook abrirá essa exceção para a rede social anteriormente conhecida como Twitter. No entanto, ao anunciar uma isenção para criadores que faturem menos de US$ 100.000 no ano, Musk pode mostrar para Cook que está “jogando o jogo dele”. A Apple cobra uma comissão de 15% de apps que tenham o mesmo faturamento em um ano.

Com informações: The Verge
Elon Musk afirma que conversará com Tim Cook sobre comissão da App Store

Elon Musk afirma que conversará com Tim Cook sobre comissão da App Store
Fonte: Tecnoblog

Novo ícone do Twitter faz Edge disparar alerta de segurança

Novo ícone do Twitter faz Edge disparar alerta de segurança

Nesta semana, Elon Musk mudou o nome do Twitter para X. A medida dividiu opiniões: muita gente gostou, muita gente detestou. Já o Microsoft Edge decidiu apenas fazer seu trabalho e encarar a novidade como um problema. Um recurso de segurança do navegador identificou o novo ícone da rede social como uma possível tentativa de fraude.

Twitter virou X (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

O Microsoft Edge tem um recurso de segurança que identifica quando um Progressive Web App (PWA) muda de ícone ou nome. A intenção é encontrar possíveis tentativas de golpe ou fraude e alertar os usuários para isso.

PWAs são aplicativos desenvolvidos com ferramentas web, mas que funcionam como programas nativos do sistema operacional. Navegadores feitos usando o Chromium como base (caso do Edge, do Chrome, do Brave e outros) conseguem instalar este tipo de app.

Se o usuário tem o Twitter instalado como PWA, o Edge emite um aviso com a seguinte mensagem, em tradução livre: “Confira a atualização de ícone. Se este app está tentando te enganar para que você pense que é um app diferente, desinstale-o”.

HELP !!! pic.twitter.com/LmRS9sZrej— Florian (@flobo09) July 28, 2023

Recurso de segurança está no Edge e no Chrome desde 2021

A reação do navegador da Microsoft acontece porque o passarinho azul do Twitter foi substituído pela letra X em um fundo preto.

Um aplicativo web mal-intencionado, por exemplo, poderia usar a troca para se disfarçar de legítimo e roubar dados.

Teoricamente, o Chrome também deveria emitir avisos nestas circunstâncias, mas, até agora, só houve relatos desse tipo no Edge.

Este recurso de segurança existe desde 2021 nos dois navegadores. Inicialmente, ele era opcional e precisava ser ativado na página Flags, de recursos experimentais, mas passou a funcionar por padrão.

Seja como for, fique tranquilo: caso este aviso apareça para você, é só clicar em OK. O Twitter agora se chama X e não tem mais o passarinho azul, mas não está tentando te enganar.

Twitter mudou de nome para se tornar um super app

No domingo (23), Elon Musk, dono do Twitter, anunciou a mudança de nome da rede social, que passou a se chamar X. A ideia é transformá-lo em um “app para tudo”, incluindo pagamentos e serviços bancários.

A troca já era, de certa forma, esperada. Em abril, a empresa Twitter, Inc. deixou de existir. A rede social passou a ser administrada pela X Corp. E Musk já falava em criar um super app em outubro de 2022, logo após concretizar a compra da plataforma.

O novo nome, porém, pode causar problemas legais para a empresa. Como aponta a Reuters, Meta, Microsoft e outras empresas têm o X como marca registrada.

Com informações: Bleeping Computer
Novo ícone do Twitter faz Edge disparar alerta de segurança

Novo ícone do Twitter faz Edge disparar alerta de segurança
Fonte: Tecnoblog