Category: EUA

Microsoft e Apple se afastam de conselho da OpenAI para evitar problemas

Microsoft e Apple se afastam de conselho da OpenAI para evitar problemas

OpenAI recebeu investimentos da Microsoft e fechou parceria com a Apple (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

A Microsoft deixou seu assento de observadora no conselho da OpenAI, posto que obteve em novembro de 2023, e a Apple recusou posição semelhante, que faria parte do acordo para colocar o ChatGPT nos iPhones. Segundo o Financial Times, o motivo do movimento é o crescente escrutínio de governos em todo o mundo sobre os investimentos de gigantes da tecnologia em startups de inteligência artificial.

A União Europeia e o Reino Unido, por exemplo, investigam a relação entre a Microsoft e a OpenAI: elas querem saber se a gigante de Redmond é dona ou exerce controle da desenvolvedora do ChatGPT. A Microsoft investiu mais de US$ 13 bilhões e tem direito a parte dos lucros da OpenAI, até um certo limite. Em seu site, a startup de IA diz ser totalmente independente e comandada pela OpenAI Nonprofit, organização sem fins lucrativos.

Tecnologias da OpenAI ajudaram a impulsionar ferramentas de IA da Microsoft (Foto: Thássius Veloso/Tecnoblog)

Já a Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos (FTC, na sigla em inglês) está examinado os investimentos feitos por Microsoft, Amazon e Google. Uma fonte ligada ao FTC disse ao Financial Times que a saída do conselho não deve resolver as preocupações da agência.

OpenAI fará reuniões com quem não está no conselho

Em uma carta escrita pelo conselheiro Keith Dolliver, a Microsoft diz que o assento de observadora no conselho da OpenAI não é mais necessário, já que a empresa viu “progresso significativo do novo conselho e está confiante nos rumos da companhia”.

A empresa comandada por Satya Nadella tinha esta posição desde novembro de 2023, quando Sam Altman, CEO e cofundador da OpenAI, foi demitido abruptamente e readmitido em um intervalo de menos de duas semanas.

Já o posto de observadora da Apple seria ocupado por Phil Schiller, líder da App Store e dos eventos, de acordo com informações publicadas pela Bloomberg na semana passada. Agora, de acordo com o Financial Times, isso não vai mais acontecer.

Segundo o jornal, apesar deste afastamento, o contato permanecerá: a OpenAI fará reuniões regulares com Microsoft e Apple, além de investidores como Thrive Capital e Khosla Ventures.

Com informações: Financial Times
Microsoft e Apple se afastam de conselho da OpenAI para evitar problemas

Microsoft e Apple se afastam de conselho da OpenAI para evitar problemas
Fonte: Tecnoblog

Apple vai encerrar Pay Later, seu serviço de parcelamento de compras

Apple vai encerrar Pay Later, seu serviço de parcelamento de compras

Pay Later chega ao fim, mas Apple Card e conta Savings continuam (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

A Apple anunciou o fim do Apple Pay Later, seu serviço de “buy now, pay later” (BNPL) disponível nos Estados Unidos. Com ele, donos de iPhone podiam fazer compras de até US$ 1 mil e pagá-las em quatro vezes sem juros. O serviço durou menos de um ano no mercado. No lugar dele, a empresa vai oferecer parcerias com bancos para financiar pequenos valores.

Parcelar compras é algo a que nós, brasileiros, já estamos acostumados há muito tempo, desde a época dos cheques pré-datados e carnês. Em outros países, isso é uma novidade, que ficou conhecida pela sigla BNPL (“compre agora, pague depois”) e ganhou popularidade na pandemia de COVID-19, quando as compras online ganharam muitos adeptos.

Apple Pay Later oferecia parcelamento em quatro vezes (Imagem: Reprodução / Apple)

Enquanto aqui os parcelamentos são feitos diretamente na loja ou na administradora do cartão, nos EUA, eles geralmente envolvem uma terceira empresa, como Affirm, Klarna e Afterpay, por exemplo.

Foi neste mercado que a Apple decidiu entrar. O Pay Later oferecia parcelamento em até quatro vezes sem juros, com pagamentos a cada duas semanas. Cada compra era avaliada de forma separada, com limite de US$ 1 mil.

Apple Pay Later durou menos de um ano

A Apple anunciou o Pay Later em junho de 2022, durante a apresentação do iOS 16, na WWDC. Os testes, porém, só começaram em março de 2023, com o lançamento geral nos EUA em outubro de 2023. Portanto, foram menos de dez meses de operação.

O fim do Apple Pay Later não será o fim do parcelamento na carteira digital da maçã. Em comunicado divulgado na semana passada, a empresa diz que bancos e instituições financeiras vão oferecer o serviço no Apple Pay, com pagamento diretamente em cartões de crédito ou débito.

Enquanto o Pay Later era exclusivo do mercado americano, o novo sistema de parceria chegará a mais países. A Apple menciona Austrália, Espanha e Reino Unido.

Apple tem até sua própria poupança (Imagem: Divulgação / Apple)

O parcelamento foi uma das cartadas da fabricante do iPhone para tentar pegar uma fatia do mercado de serviços bancários. Nos EUA, a empresa também oferece o Apple Card, cartão de crédito com cashback e integração ao iOS, e o Savings, uma espécie de conta poupança com rendimento de 4,15% ao ano, considerado alto para os padrões americanos.

Com informações: 9to5Mac, MacRumors
Apple vai encerrar Pay Later, seu serviço de parcelamento de compras

Apple vai encerrar Pay Later, seu serviço de parcelamento de compras
Fonte: Tecnoblog

Chefe da saúde pública dos EUA pede “selo de advertência” em redes sociais

Chefe da saúde pública dos EUA pede “selo de advertência” em redes sociais

Debate sobre saúde mental e redes sociais está em alta (Imagem: Robin Worrall / Unsplash)

Vivek Murthy, chefe dos departamentos de saúde pública dos Estados Unidos, fez um apelo ao Congresso do país: exigir que as redes sociais tenham “selos de advertência”, semelhantes aos das embalagens de cigarro, para expor os perigos que elas representariam para a saúde mental de crianças e adolescentes.

Murthy ocupa o cargo de cirurgião-geral dos EUA, nome dado ao líder do sistema de saúde pública no país. “A crise de saúde pública entre os jovens é uma emergência, e as redes sociais despontaram como um fator importante”, escreveu ele em um artigo publicado no jornal The New York Times.

Selo proposto para redes sociais deve seguir padrão das mensagens sobre tabaco (Imagem: Debora Cartagena / CDC)

No texto, o médico cita estudos indicando que adolescentes que passam mais de três horas por dia usando redes sociais têm riscos maiores de apresentar sintomas de ansiedade e depressão. Além disso, metade dos jovens dizem que as plataformas fazem com que eles se sintam mal sobre a própria aparência.

O selo pedido pelo cirurgião-geral seria semelhante ao apresentado nas embalagens de cigarro vendidas no país. É uma mensagem de três linhas, sem imagem, diferente das advertências presentes nos maços e caixas vendidos no Brasil. E, como no caso do tabaco, para que a medida seja colocada em prática, o Congresso dos EUA precisaria criar uma lei autorizando a mensagem.

Governos investigam e processam redes sociais

O impacto das redes sociais na saúde mental dos adolescentes é uma questão em alta nos últimos anos. Em 2021, Frances Haugen, ex-funcionária da Meta, acusou a empresa de esconder resultados de pesquisas internas que demonstrariam os perigos do Instagram para o bem-estar deste público.

Nos EUA, 41 estados processaram a Meta por supostamente ter enganado a população sobre os danos que suas plataformas poderiam causar a crianças e adolescentes.

Instagram é acusado de viciar crianças e adolescentes (Imagem: Azamat E / Unsplash)

O governador da Flórida, Ron DeSantis, do Partido Republicano, sancionou uma lei que proíbe que menores de 14 anos tenham contas nas redes sociais; menores de 16 precisam de consentimento dos pais para acessar as plataformas.

No estado de Nova York, a governadora Kathy Hochul, do Partido Democrata, prometeu sancionar uma lei para proibir o uso de algoritmos nos feeds de crianças e impedir que as empresas compartilhem informações de usuários menores de 18 anos.

O assunto também tem repercussão fora dos EUA. A União Europeia vai investigar se Facebook e Instagram estimulam comportamentos viciantes em crianças e adolescentes.

Com informações: Associated Press, Axios, The Verge, CNN
Chefe da saúde pública dos EUA pede “selo de advertência” em redes sociais

Chefe da saúde pública dos EUA pede “selo de advertência” em redes sociais
Fonte: Tecnoblog

Apple confirma que iPhone XR vai receber iOS 18

Apple confirma que iPhone XR vai receber iOS 18

Tela do iPhone XR (Foto: André Fogaça/Tecnoblog)

(Direto de Cupertino, nos EUA) A Apple informou ao Tecnoblog que o iPhone XR vai receber a atualização para o iOS 18. Com isso, os adeptos do smartphone de 2018 podem dormir mais tranquilos.

O assunto veio à torna por causa da conferência WWDC 2024, que ocorre nesta semana nos Estados Unidos. O iOS 18 foi anunciado nesta segunda-feira (dia 10/06), mas páginas oficiais deixavam dúvidas sobre o suporte ao modelo.

Ver essa foto no Instagram Uma publicação compartilhada por Tecnoblog (@tecnoblog)

“O iOS 18 estará disponível a partir do XR e XS”, declarou a empresa numa breve nota oficial. Isso inclui também o modelo iPhone XS Max, lançado na mesma ocasião.

O XR foi apresentado como uma opção mais barata de celular da maçã, com direito a tela de 6,1 polegadas, processador A12 Bionic e fotos de até 12 MP. Ele saía de fábrica com o longínquo iOS 12. Ele levou nota 9,3 na análise do Tecnoblog.

Confira a lista oficial de dispositivos que terão iOS 18

iPhone 15

iPhone 15 Plus

iPhone 15 Pro

iPhone 15 Pro Max

iPhone 14

iPhone 14 Plus

iPhone 14 Pro

iPhone 14 Pro Max

iPhone 13

Phone 13 Mini

Phone 13 Pro

iPhone 13 Pro Max

iPhone 12

iPhone 12 Mini

iPhone 12 Pro

iPhone 12 Pro Max

iPhone 11

iPhone 11 Pro

iPhone 11 Pro Max

iPhone XS

iPhone XS Max

iPhone XR

iPhone SE 2

Thássius Veloso viajou para os Estados Unidos a convite da Apple
Apple confirma que iPhone XR vai receber iOS 18

Apple confirma que iPhone XR vai receber iOS 18
Fonte: Tecnoblog

Vision Pro chega a mais oito países, mas Brasil fica fora da lista

Vision Pro chega a mais oito países, mas Brasil fica fora da lista

Apple Vision Pro na sede da Apple nos Estados Unidos (Imagem: Thássius Veloso / Tecnoblog)

A Apple vai vender o headset Vision Pro em mais oito países. Ele chega a Japão, China e Singapura em 28 de junho (com pré-venda a partir do dia 13 de junho) e a Reino Unido, Austrália, Canadá, França e Alemanha em 12 de julho (com pré-venda a partir de 28 de junho). Por enquanto, nada de lançamento oficial no Brasil.

A expansão foi anunciada na abertura da WWDC 2024, conferência da Apple voltada a desenvolvedores. A empresa também apresentou sua aguardada inteligência artificial, chamada Apple Intelligence, o iOS 18 com recursos para trancar e esconder apps e o macOS Sequoia com espelhamento da tela e de notificações do iPhone, entre outras novidades.

Tela virtual ultrawide é uma das novidades do visionOS 2 (Imagem: Divulgação / Apple)

O Vision Pro foi lançado na WWDC 2023 e chegou às lojas em fevereiro de 2024, com preços que vão de US$ 3.499 a US$ 3.899 (cerca de R$ 18,7 mil a R$ 20,9 mil, em conversão direta). No entanto, ele era exclusivo para o mercado dos Estados Unidos.

visionOS 2 tem tela virtual maior e vídeo imersivo

Além de vendas em mais países, a Apple também apresentou o visionOS 2, nova versão do sistema operacional do headset de computação espacial, como a Apple gosta de chamar. A atualização traz diversas novidades.

O usuário poderá fazer um gesto de pinça para abrir a visualização inicial; ao girar a mão, o dispositivo mostra hora e bateria, e ao repetir o gesto de pinça, abre a Central de Controle.

Tela virtual ultrawide para o Mac, equivalente a dois monitores 4K, além contar com suporte a um mouse físico.

Suporte a até cinco transmissões esportivas simultâneas via Apple TV.

Suporte a AirPlay de conteúdo do iPhone, iPad ou Mac.

APIs para apps imersivos e jogos de tabuleiro.

Novo formato de vídeo imersivo, com resolução 8K, campo de visão de 180 graus e Áudio Espacial.

Suporte a trens no Modo Viagem, para poder usar o aparelho durante o transporte do dia a dia.

O visionOS 2 está disponível em preview para desenvolvedores, mas não há previsão de lançamento.

Confira o resumo da abertura da WWDC 2024 no vídeo abaixo

Ver essa foto no Instagram Uma publicação compartilhada por Tecnoblog (@tecnoblog)

Com informações: Apple
Vision Pro chega a mais oito países, mas Brasil fica fora da lista

Vision Pro chega a mais oito países, mas Brasil fica fora da lista
Fonte: Tecnoblog

Galaxy Watch FE: Samsung publica páginas oficiais antes da hora

Galaxy Watch FE: Samsung publica páginas oficiais antes da hora

Galaxy Watch FE aparece em página de promoção na Samsung Bélgica (Imagem: Divulgação/Samsung)

Novos detalhes sobre o futuro relógio Galaxy Watch FE estão pipocando em páginas oficiais da Samsung, de modo que não restam mais dúvidas sobre o lançamento do produto.

A Samsung nos Estados Unidos publicou antes da hora a página dedicada ao Watch FE. No entanto, no material não há qualquer informação sobre ele, como se fosse um endereço na web apenas com os preparativos para a futura chegada. Já na Samsung da Bélgica é possível acessar a promoção que dá o relógio de presente na compra do Galaxy S24.

Até o momento da publicação desta notícia, as duas páginas seguiam no ar.

Ontem, a página da fabricante no Cazaquistão divulgou uma arte promocional do Z Fold 6 e Z Flip 6. No ano passado, o país asiático também mostrou o Galaxy S23 FE antes do lançamento.

Página do Galaxy Watch FE no site da Samsung Estados Unidos (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)

Este vazamento da Samsung Bélgica mostra que a promoção será encerrada no dia 30 junho, sendo que é especulado que seu lançamento será em julho. Provavelmente a data foi incluída apenas por uma exigência do sistema de vendas. Ao clicar no botão, você é levado para uma página que não carrega.

Galaxy Watch FE já foi homologado pela Anatel

Galaxy Watch FE será versão atualizada do Galaxy Watch 4 (Imagem: Reprodução/Sudhanshu1414)

O Galaxy Watch FE já recebeu a certificação da Anatel. Na mesma leva de homologação, a agência passou ainda o Galaxy Watch 7, Galaxy Watch Ultra e o Galaxy Buds 3 Pro — o Galaxy Buds 3 foi o primeiro a ser homologado. Esses produtos devem ser lançados em julho, no próximo evento Galaxy Unpacked, previsto para acontecer em Paris, na França.

Neste mesmo evento, a Samsung de e mostrar os novos dobráveis Galaxy Z Fold 6 e Galaxy Z Flip 6. A estrela será o Galaxy Ring, primeiro anel inteligente da marca.

Com informações: SamMobile e Android Headlines
Galaxy Watch FE: Samsung publica páginas oficiais antes da hora

Galaxy Watch FE: Samsung publica páginas oficiais antes da hora
Fonte: Tecnoblog

NotebookLM: ferramenta de anotações com IA do Google já funciona no Brasil

NotebookLM: ferramenta de anotações com IA do Google já funciona no Brasil

NotebookLM (imagem: reprodução/Google)

O Google anunciou o NotebookLM em julho de 2023 como uma ferramenta que usa inteligência artificial (IA) para resumir textos, filtrar informações, criar índices, entre outras ações relacionadas a documentos. Esse “bloco de notas inteligente” estava disponível só nos Estados Unidos, mas acaba de ser liberado em escala global.

Isso significa que você já pode usar o NotebookLM de modo oficial no Brasil, com suporte a português, e em vários outros países. De acordo com o Google, esse “liberou geral” acontece depois de a ferramenta ter sido integrada ao Gemini 1.5 Pro, o mais avançado modelo de IA criado pela companhia até o momento.

O que você pode fazer com o NotebookLM

O NotebookLM é uma ferramenta que auxilia a rotina de estudantes, professores, jornalistas ou de qualquer pessoa que precisa lidar com textos. A ideia é permitir que, no meio de uma grande quantidade de dados, você possa usar a IA para extrair ou organizar as informações que lhe são mais relevantes.

Nesse sentido, você pode usar o NotebookLM para tarefas como (mas não somente):

resumir um documento em PDF ou em outro formato;

criar um índice que te permita acessar facilmente pontos específicos do documento;

gerar estatísticas ou análises com base em planilhas;

criar guias de estudos ou listas de perguntas frequentes (FAQs);

converter textos em formatos adequados para newsletter, e-mail ou apresentações.

A ferramenta ganhou melhorias

Além da expansão global, o Google anunciou alguns aprimoramentos interessantes para o NotebookLM. Para começar, agora a ferramenta oferece suporte a uma variedade maior de fontes de pesquisa, como apresentações no Google Slides e endereços na web.

O NotebookLM também já é capaz de gerar resultados a partir de fotos, gráficos e diagramas, e não somente texto. Mérito dos recursos multimodais do Gemini 1.5 Pro, explica o Google.

As já mencionadas capacidades de gerar FAQs ou guias de estudos também são recursos aprimorados recentemente.

NotebookLM (imagem: reprodução/Google)

Como usar o NotebookLM

Você só precisa acessar o site do NotebookLM. É necessário ter uma conta no Google para utilizar a ferramenta. Feito isso, clique em “Novo notebook” e faça upload de um documento para começar. Depois, basta seguir as orientações para gerar um conteúdo condizente com as suas necessidades.

Mas tenha atenção. O próprio Google alerta que o NotebookLM pode gerar resultados imprecisos. Por isso, é importante revisar as notas geradas, bem como não confiar na ferramenta para informações críticas, que envolvem questões médicas ou financeiras, por exemplo.

Apesar de ter sido liberado globalmente e, em linhas gerais, funcionar bem, o NotebookLM ainda está em fase experimental.
NotebookLM: ferramenta de anotações com IA do Google já funciona no Brasil

NotebookLM: ferramenta de anotações com IA do Google já funciona no Brasil
Fonte: Tecnoblog

Malware misterioso fez 600 mil roteadores pararem de funcionar

Malware misterioso fez 600 mil roteadores pararem de funcionar

Malware afetou usuários do Meio-Oeste dos Estados Unidos (Imagem: Elchinator / Pixabay)

Um malware de origem não identificada foi o responsável por inutilizar cerca de 600 mil roteadores de um único provedor dos Estados Unidos, em outubro de 2023. Sem acesso à internet, os consumidores não tiveram outra opção a não ser substituir os equipamentos.

O evento foi identificado pelos pesquisadores de cibersegurança da Black Lotus Labs, que pertence à empresa Lumen. Segundo os especialistas, três modelos de roteadores foram “brickados”: ActionTec T3200S, ActionTec T3260S e Sagemcom F5380. O ataque aconteceu entre 24 e 27 de outubro de 2023 e ficou conhecido como Pumpkin Eclipse, pela proximidade com o eclipse solar ocorrido no mesmo mês e a tradicional festa de Halloween.

Clientes suspeitaram de problemas na atualização, mas o caso foi bem pior (Imagem: Emerson Alecrim / Tecnoblog)

A Black Lotus Labs diz apenas que o ataque teve como alvo equipamentos de um único provedor, sem o nomear. Segundo o Ars Technica, a descrição dos eventos bate com relatos de clientes da Windstream, que atende principalmente estados do Meio-Oeste dos EUA. Os consumidores reclamaram em fóruns online e no Reddit, suspeitando de problemas nas atualizações automáticas dos roteadores. Segundo as publicações, a conexão caiu e uma luz vermelha permaneceu acesa.

Motivação do malware é desconhecida

Curiosamente, pouco se sabe sobre o Pumpkin Eclipse. Os pesquisadores da Black Lotus Labs não encontraram a vulnerabilidade que possibilitou a ação, o que indica que os atacantes usaram uma falha “zero-day” ainda não detectada ou obtiveram credenciais para acessar uma interface administrativa.

Os responsáveis pela botnet usaram dois scripts para instalar um malware conhecido como Chalubo. A Black Lotus Labs acredita que o programa foi usado para apagar completamente o firmware dos roteadores. O payload em si não foi encontrado, o que impede determinar exatamente como isso aconteceu.

O Chalubo pode ser usado em ataques distribuídos de negação de serviço (DDoS), mas nenhum comportamento deste tipo foi observado. Também não se sabe por que a ação teve apenas um provedor como alvo. Geralmente, os agentes mal-intencionados miram um ou mais modelos de roteadores, mesmo que eles estejam sendo usados por várias empresas.

Segundo os especialistas, há poucos registros de ataques com estas características. Um deles, que ficou conhecido como AcidRain, aconteceu em 2022, quando cerca de 10 mil modems da Viasat foram desativados. O problema afetou principalmente a Ucrânia, e acredita-se que foi uma ação da Rússia antes da invasão.

Com informações: Ars Technica, Bleeping Computer
Malware misterioso fez 600 mil roteadores pararem de funcionar

Malware misterioso fez 600 mil roteadores pararem de funcionar
Fonte: Tecnoblog

Testamos a nova IA que vê tudo que você faz no PC

Testamos a nova IA que vê tudo que você faz no PC

Carolina Hernandez detalha a ferramenta Recall (Foto: Thássius Veloso/Tecnoblog)

(Direto de Redmond, nos EUA) Sua memória também é péssima? Pois saiba que Windows Recall é o nome da nova ferramenta que observa tudo o que você faz no PC para te ajudar a encontrar dados de forma veloz. Ao menos esta é a intenção da Microsoft com o anúncio da tecnologia baseada em inteligência artificial.

Nós estamos no congresso Microsoft Build e eu pude testar o Recall por alguns minutos. Ao menos na versão prévia, a ferramenta se chama Busca Rápida em português do Brasil. Ela grava o que quer que tenha sido exibido na tela do laptop, de modo a possibilitar uma poderosa pesquisa de informações.

“O Recall utiliza um modelo que combina texto e elementos visuais para apresentar resultados muito relevantes aos nossos usuários”, nos explica Nicci Trovinger, diretora sênior de marketing de produto na Microsoft. Essa função recorre a reconhecimento de texto (o famoso OCR) e visão computacional para fazer associações.

Ferramenta de Busca Rápida na área de notificações do Windows (Foto: Thássius Veloso/Tecnoblog)

Aqui estão alguns exemplos de pesquisas na Busca Rápida:

Busque por “restaurantes” para localizar conversas no WhatsApp sobre um encontro entre amigos

Pesquise por “planejamento da viagem” para ver conteúdo turístico, itinerário e sites consultados

Para quem tem filhos pequenos: escreva “crianças e atividades” para gerenciar as tarefas deles

No trabalho: pesquise por palavras-chave para encontrar informações compartilhadas com os colegas

Como é o uso do Recall

Resultados da busca pelo planejamento de viagem no Windows (Foto: Thássius Veloso/Tecnoblog)

A interface da Busca Rápida inclui uma linha do tempo com momentos-chave do uso do computador. Os quadros funcionam como prints, e são chamados em português de instantâneos. O campo de busca é o ponto de partida: o usuário deve escrever ou falar aquilo que está buscando.

Trovinger conta que princípios de IA generativa são utilizados pelo Recall. Ainda assim, o Windows não apresenta nenhuma resposta por escrito nem é capaz de produzir resumos. Em vez disso, a pesquisa retorna capturas de tela que destacam as potenciais respostas. Todo este procedimento é muito ligeiro, leva questão de segundos.

Imagine ter lido sobre câmeras fotográficas durante a semana, mas não se lembrar dos modelos específicos. A Busca Rápida consegue trazer isso, inclusive em páginas nas quais havia apenas imagens dos produtos.

Busca Rápida no Surface Laptop (Foto: Thássius Veloso/Tecnoblog)

A nova ferramenta tem muito potencial de facilitar o nosso cotidiano. Eu mesmo vivo me perdendo em janelas e mais janelas, em busca de alguma informação que inicialmente me passou batida. Nessas horas, o Recall entrará em cena e irá atuar como uma verdadeira memória do que aconteceu na vida digital daquela pessoa – ao menos se ela tiver um potente notebook integrante do projeto Copilot+.

Dá para filtrar por aplicativo ou tipo de conteúdo. No futuro, será possível clicar num botão e ir diretamente para o trecho do documento de Word que cita uma determinada informação localizada pelo Recall.

Funcionamento, privacidade e requisitos mínimos

Talvez o grande trunfo do Recall seja rodar localmente as funções necessárias para produzir os instantâneos e catalogar as informações. Por isso mesmo, será preciso um aparelho moderno, conforme explicamos acima, que possua uma NPU. PCs antigos não serão capazes de executá-lo.

Pensar numa IA que te monitora ao longo do dia pode dar frio na espinha para usuários cientes da própria privacidade. Diz a Microsoft que será possível desativar o Recall a qualquer tempo. Nas configurações, também é possível escolher sites específicos (do seu banco, por exemplo) e programas que não serão capturados pela Busca Rápida.

Ele não irá funcionar em janelas anônimas do Microsoft Edge nem em conteúdo protegido por DRM (os naturais suspeitos são apps de Netflix, Prime Video e outros serviços de streaming). Cada desenvolvedor deverá adaptar seu programa para funcionar bem com o Windows 11 e o Recall.

Painel de controle da Busca Rápida no Windows (Foto: Thássius Veloso/Tecnoblog)

Ainda segundo a empresa, as informações coletadas não serão usadas para treinamento de modelos de IA.

Outro empecilho pode estar ligado ao armazenamento. A Microsoft diz que os computadores deverão ter mínimo de 256 GB e espaço livre de 50 GB. As pessoas poderão escolher o quanto de espaço irão alocar para a funcionalidade, mas a Microsoft tem falado em algo entre 25 GB e 50 GB, o que daria para até três meses de memória.

Ao menos em meu primeiro contato aqui nos Estados Unidos, notei que uma semana de instantâneos consome cerca de 60 MB. Não é muito para uma ferramenta tão interessante.

Mais Build: no vídeo abaixo, conheça o primeiro notebook Copilot+ da Microsoft

Ver essa foto no Instagram Uma publicação compartilhada por Tecnoblog (@tecnoblog)

Thássius Veloso viajou para os Estados Unidos a convite da Microsoft
Testamos a nova IA que vê tudo que você faz no PC

Testamos a nova IA que vê tudo que você faz no PC
Fonte: Tecnoblog

Starlink dobra preço de internet com roaming global

Starlink dobra preço de internet com roaming global

Starlink dobra preço de internet com roaming global (imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Clientes da Starlink estão sendo notificados sobre um aumento expressivo no plano de roaming global, que permite o uso do serviço de acesso à internet por satélites em várias partes do mundo. Nos Estados Unidos, por exemplo, a mensalidade pulou de US$ 200 para US$ 400. Mas há países em que o reajuste mais do que dobrou.

A Starlink trabalha com três tipos principais de planos para pessoas físicas:

Padrão: com velocidade de até 100 Mb/s e uso em um local fixo;

Roaming regional: com velocidade de até 50 Mb/s, permite uso em qualquer ponto do continente ou país do usuário;

Roaming Global: com velocidade de até 50 Mb/s, permite uso em qualquer lugar do mundo.

Os nomes desses serviços variam conforme o país. Nos Estados Unidos, a modalidade de roaming global passou a ser oferecida há pouco mais de um ano, com preço de US$ 200, além de um pagamento de US$ 599 pelo kit com antena e roteador.

Reajuste de 100% de uma vez só

Nesta semana, usuários que assinam esse plano começaram a ser avisados por e-mail de que, a partir de 16 de agosto, a mensalidade do serviço passará para US$ 400. O novo valor já está em vigor para novos assinantes.

E-mail com aviso de reajuste do plano de roaming global da Starlink (imagem: PCMag/Reddit/hillz9)

Não é só nos Estados Unidos. De acordo com o site PCMag, há relatos de reajuste em outros países. Na Austrália, por exemplo, o plano de roaming global passou de 300 para 670 dólares australianos por mês.

Reajustes em serviços por assinatura não são inesperados. Usando novamente a Starlink como exemplo, o plano padrão oferecido pela empresa era comercializado por US$ 90 mensais nos Estados Unidos, mas hoje esse valor é de US$ 120.

O que surpreende na mudança mais recente é o fato de o reajuste corresponder ao dobro (ou mais) do preço anterior. Pelo menos até o momento, a SpaceX não deu explicações para essa decisão.

Uma das possibilidades levantadas pela PCMag é a de que, com um reajuste tão expressivo, a SpaceX esteja tentando evitar que a modalidade de roaming global seja usada por clientes que estão baseados em países onde os serviços de internet via de satélite da Starlink não estão disponíveis.

E no Brasil?

Os preços no Brasil continuam os mesmos, até porque o plano de roaming global para pessoas físicas não está sendo oferecido por aqui no momento. Existe a opção do plano Prioridade Móvel, que suporta uso global, mas é indicado a aplicações profissionais.

Sobra a opção de roaming regional, que corresponde ao plano Viagem anunciado em 2022 e que, desde então, custa R$ 280 por mês. Nos Estados Unidos, o equivalente desse plano sai por US$ 150 mensais.
Starlink dobra preço de internet com roaming global

Starlink dobra preço de internet com roaming global
Fonte: Tecnoblog