Category: Inteligência Artificial

Samsung anuncia nova linha Galaxy Book 4 com foco em Inteligência Artificial

Samsung anuncia nova linha Galaxy Book 4 com foco em Inteligência Artificial

Galaxy Book 4 Ultra é o mais robusto da nova linha de notebooks da Samsung (Foto: Katarina Bandeira/Tecnoblog)

(São Paulo) A Samsung anunciou nesta quarta-feira (17) os novos notebooks da linha Galaxy Book 4. Chegam ao mercado brasileiro as versões Galaxy Book 4 Ultra, Galaxy Book 4 Pro e Galaxy Book 4 360. Já o modelo tradicional do computador portátil só deve desembarcar no país em junho. O Tecnoblog teve acesso aos produtos em primeira mão e traz, nas linhas a seguir, o resumo do que o consumidor pode encontrar nos aparelhos. 

O grande destaque do evento ficou por conta dos modelos Galaxy Book 4 Ultra e Pro. Para essa linha, os notebooks ganharam novos recursos na tela, assim como melhorias na ficha técnica. Foram inseridos o recém-lançado processador Intel Core Ultra e a NPU AI Engine, que melhora o processamento da inteligência artificial nos dispositivos, segundo a fabricante. 

“Conforme os aplicativos estão sendo remodelados, estão sendo adaptados para inteligência artificial, eles aprendem a melhor forma de utilizar a NPU. Você tem um ganho [de processamento] de 2.3x, que é bastante substancial”, explica Luciano Beraldo, gerente sênior de notebooks da Samsung Brasil.

Galaxy Book 4 Ultra e Pro ganham reforço para IA 

Nova linha de notebooks da Samsung vai focar em Inteligência Artificial (Foto: Katarina Bandeira/Tecnoblog)

Pensado para o público gamer, o Galaxy Book 4 Ultra vem com uma tela de 16 polegadas em AMOLED Dinâmico 2x, com resolução WQXGA+ (2880×1800) — a mesma presente no modelo lançado no ano passado — e taxa de resolução de 120 Hz. A diferença é que, dessa vez, o notebook premium da Samsung ganha um display sensível ao toque e antirreflexo – algo que antes era uma exclusividade do Book 360.  

O dispositivo pode ser encontrado em duas versões. A primeira, equipada com o chip Intel Core Ultra 9, acompanhada da placa de vídeo da NVIDIA, RTX 4070 e a segunda, com o processador Intel Core Ultra 7 e placa de vídeo RTX 4050. Além disso, o Book 4 Ultra ainda conta com 32 GB de RAM e 1 TB em SSD, expansível via Micro SD, que o deixa pronto para rodar jogos com gráficos pesados, assim como processar de forma ágil aplicações que usam IA. 

No Galaxy Book 4 Pro, a Samsung traz um notebook que tenta conquistar o coração de quem busca trabalhar com IA. O aparelho conta com uma tela de 14 polegadas, nas mesmas configurações do seu irmão mais robusto, além do processador Intel Core Ultra 7 e NPU AI Engine.

A diferença aqui fica por conta da placa de vídeo, que é Intel ARC e da quantidade de memória e armazenamento, disponível em 16 GB RAM e 1 TB SSD. Por fim, a bateria do Galaxy Book 4 Ultra promete até 22 horas de reprodução de vídeo, enquanto o Galaxy Book 4, segue com até 18 horas de duração nas mesmas condições.

Samsung está deixando o Galaxy Book 4 360 de lado? 

Galaxy Book 4 360, da Samsung, recebeu poucas melhorias (Foto: Katarina Bandeira/Tecnoblog)

Para o Galaxy Book 4 360, a Samsung trouxe poucas novidades. A tela de 13 polegadas foi abandonada de vez, restando apenas o modelo com um display de Super AMOLED com 15,6 polegadas, Full HD.

A taxa de atualização caiu pela metade — para 60 Hz — em comparação ao modelo lançado no ano passado. Uma decisão no mínimo estranha, uma vez que a proposta do dispositivo 2 em 1 é justamente oferecer a experiência de tablet, e a redução deve impactar na fluidez — principalmente quando o dispositivo for usado com a S Pen. 

O modelo também não conta com algumas das configurações presentes nas versões Pro e Ultra, como a NPU IA Engine e o processador Core Ultra, equipado com o chip i7 ou i5, de 13ª geração da Intel. A bateria aguenta até 22 horas de reprodução de vídeo, com 8 ou 16 GB de RAM e até 1 TB de armazenamento SSD, expansível.

Novos recursos de IA são apostas da Samsung

Para ajudar ainda mais a popularizar o uso da inteligência artificial, os computadores portáteis da Samsung vêm equipados com Windows 11. O sistema da Microsoft traz o Copilot, chatbot de IA da própria fabricante.

Entre os recursos adicionados aos modelos Pro e Ultra estão um cancelamento de ruído que utiliza IA para identificar a voz do usuário e ferramentas de remasterização de imagens na edição nativa do app Fotos — com direito a apagador de objeto e removedor de reflexos e efeitos de estúdio. 

Preço e disponibilidade

Galaxy Book 4 360 e modelo tradicional ficaram de fora das especificações robustas para Inteligência Artificial (Foto: Katarina Bandeira/Tecnoblog)

A Samsung ainda não revelou os preços de cada modelo. O Galaxy Book 4 tradicional é o único que estará disponível apenas em junho. As versões Ultra, Pro e 360 chegam ao mercado brasileiro a partir desta quarta-feira.

Ficha técnica do Galaxy Book 4 Ultra

Tela: 16″ e resolução WQXGA+ (2880×1800 pixels)

Tipo de painel: AMOLED Dinâmico 2x

Taxa de atualização: 120 Hz

Processador: Intel Core Ultra 9 ou 7

GPU: NVIDIA RTX 4070 ou RTX 4050

NPU: IA Engine

Memória RAM: 32 GB

Armazenamento: 1 TB SSD, expansível

Bateria: até 21 horas de reprodução de vídeo

Cores: Grafite

Ficha técnica do Galaxy Book 4 Pro

Tela: 13″ e resolução WQXGA+ (2880×1800 pixels)

Tipo de painel: AMOLED Dinâmico 2x

Taxa de atualização: 120 Hz

Processador: Intel Core Ultra 7

GPU: Intel ARC

NPU: IA Engine

Memória RAM: 16 GB

Armazenamento:  1 TB SSD

Bateria: até 18 horas de reprodução de vídeo

Cores: Grafite

Ficha técnica do Galaxy Book 4 360 

Tela: 15,6″ e resolução Full HD (1920 x 1080 pixels)

Tipo de painel: Super AMOLED

Taxa de atualização: 60 Hz

Processador: Intel Core i7 ou i5

GPU: Intel Graphics 

NPU: Não tem

Memória RAM:  8 GB ou 16 GB

Armazenamento: até 1 TB SSD, expansível.

Bateria: até 22 horas de reprodução de vídeo

Cores: Grafite

Ficha técnica do Galaxy Book 4

Tela: 15,6″ e resolução Full HD (1920 x 1080 pixels)

Tipo de painel: LCD IPS

Taxa de atualização: 60 Hz

Processador: Intel Core i7/i5/i3

GPU: NVIDIA MX570A

NPU: Não tem

Memória RAM:  8 GB ou 16 GB

Armazenamento: até 1 TB SSD

Bateria: até 15 horas de reprodução de vídeo

Cores: Grafite

Katarina Bandeira viajou para São Paulo (SP) a convite da Samsung
Samsung anuncia nova linha Galaxy Book 4 com foco em Inteligência Artificial

Samsung anuncia nova linha Galaxy Book 4 com foco em Inteligência Artificial
Fonte: Tecnoblog

IA avança e exige cada vez mais preparo dos profissionais de TI

IA avança e exige cada vez mais preparo dos profissionais de TI

IA avança e exige cada vez mais preparo dos profissionais de TI (imagem: divulgação/Dell)

A inteligência artificial (IA) já faz parte da rotina de indivíduos e organizações. Se você é um profissional de TI autônomo, precisa acompanhar esse movimento para saber quais soluções estão mais alinhadas às necessidades de seus clientes. Nesse sentido, o programa Dell Expert Network é de grande valia.

O programa é mantido pela Dell Technologies. Por estar na vanguarda do setor de TI, a companhia disponibiliza produtos que vão de notebooks equipados com processadores otimizados para IA a soluções que se baseiam no conceito para melhorar a execução de processos pelas organizações.

Inteligência artificial: mais do que moda

Se até um passado recente a inteligência artificial era um recurso limitado a centros de pesquisa e aplicações corporativas, hoje, tecnologias baseadas no conceito estão ao alcance de qualquer pessoa com um celular ou PC.

O exemplo mais notável dessa realidade é a chamada IA generativa, que produz conteúdo em texto, imagem, vídeo ou áudio de acordo com as instruções dadas pelo usuário.

Tome como referência o Microsoft Copilot, que já aparece no Windows 10 e no Windows 11. Você só precisa clicar no ícone da ferramenta na barra de tarefas e digitar uma pergunta ou instrução. A inteligência artificial apresentará o resultado em poucos segundos.

O poder de ação do Copilot vai de esclarecer dúvidas simples à realização de tarefas avançadas, como ativar o Bluetooth para o usuário ou fazer uma captura de tela.

Copilot no Windows (imagem: divulgação/Microsoft)

Tendências da inteligência artificial

A geração de conteúdo é apenas uma das aplicações favorecidas pela inteligência artificial. O conceito também vem tornando outras demandas computacionais mais eficientes ou viáveis. São exemplos:

Automação de processos de negócios: sistemas do tipo executam tarefas corporativas em etapas de modo a tornar os resultados mais precisos e gerar economia de tempo ou recursos financeiros;

Segurança digital: recursos de IA podem ser usados para otimizar sistemas de reconhecimento facial, identificar padrões que sugerem fraudes e monitorar atividades em redes para prevenir invasões;

Análise preditiva: a inteligência artificial pode tornar os algoritmos de análises de dados mais eficazes para aumentar as chances de acertos de cenários futuros para um negócio;

Simulações: a IA torna simulações de processos, serviços ou cenários mais realistas para aperfeiçoar treinamentos, testes de procedimentos, desenvolvimento de produtos e assim por diante.

A IA como recurso local

As ferramentas de IA mais conhecidas funcionam a partir da web. Contudo, recursos de IA podem ter funcionamento local. Isso é útil para que determinadas tarefas sejam executadas mais rapidamente, para aumentar a segurança de uma aplicação ou para diminuir a dependência do acesso à internet, por exemplo.

Para tanto, é importante que os recursos de TI disponíveis estejam adequados a essas aplicações. É por isso que a Dell Technologies oferece um portfólio amplo de soluções de TI. Tamanha abrangência favorece a implementação de sistemas baseados em IA.

Começa pelos computadores da marca que contam com processadores equipados com NPUs, unidades que otimizam fluxos de trabalho de IA. São exemplos os modelos das linhas Latitude e Precision com chip Intel Core Ultra. Neles, é possível executar sistemas de IA generativa localmente com bastante desempenho.

No âmbito corporativo, sistemas de IA desenvolvidos ou implementados sob medida requerem uma infraestrutura de TI que combina recursos de processamento, storage (armazenamento de dados), segurança, automação, ferramentas multicloud, entre outros.

A Dell Technologies é uma das únicas companhias que oferece soluções de TI que atendem a todos esses requisitos. Os produtos da companhia são tão abrangentes que podem até otimizar transferências de cargas de trabalho locais para sistemas nas nuvens ou em computação de borda (edge computing).

Aplicações de IA podem ser executadas nas nuvens ou localmente (imagem: divulgação/Dell)

Aplicações com IA embarcada

Outro uso cada vez mais comum da IA consiste na sua integração a ferramentas já existentes ou em desenvolvimento para aprimorar a execução de tarefas específicas.

A própria Dell Technologies já implementou recursos de inteligência artificial em vários de seus softwares. Eis alguns deles:

Dell Otimizer: o software otimiza de modo inteligente e dinâmico o desempenho do computador por meio de IA e aprendizado de máquina;

ExpressCharge: usa IA para analisar o padrão de consumo de energia do PC de modo a otimizar o uso da bateria;

Dell Display Manager: otimiza de modo inteligente o uso de telas pelo usuário para favorecer a produtividade;

Dell Peripheral Manager: ajuda o usuário a aproveitar melhor seus periféricos Dell Technologies, permitindo ajustes personalizados, atualizações de firmware e mais.

Note que esses exemplos têm a IA como um mecanismo focado na experiência do usuário. Essa percepção nos ajuda a compreender que o conceito não é algo passageiro, mas um recurso tecnológico que estará cada vez mais presente em nosso dia a dia, mesmo quando não percebemos.

Fique por dentro com o Dell Expert Network

Se você é um profissional de TI autônomo, pode ficar por dentro dos avanços da inteligência artificial e de outras tendências tecnológicas fazendo parte do Dell Expert Network.

Criado e mantido pela Dell Technologies, o programa disponibiliza treinamentos, apoio técnico, eventos e dados que te ajudam a oferecer as melhores soluções de TI aos seus clientes, bem como a gerar mais negócios.

Além disso, as indicações de soluções Dell Technologies que são convertidas em vendas geram pontos que podem ser trocados por produtos da marca, como notebooks e desktops. Além de ter acesso a mais recompensas, profissionais que atingem o nível Elite têm direito a exibir seu perfil no site do programa.

Saiba mais sobre o Dell Expert Network e cadastre-se gratuitamente. Se você for elegível para o programa, um gerente da Dell Technologies entrará em contato para finalizar a sua inscrição.
IA avança e exige cada vez mais preparo dos profissionais de TI

IA avança e exige cada vez mais preparo dos profissionais de TI
Fonte: Tecnoblog

Galaxy AI chega a mais celulares da Samsung; confira a lista

Galaxy AI chega a mais celulares da Samsung; confira a lista

Galaxy AI pode apagar objetos de fotografias (Foto: Thássius Veloso/Tecnoblog)

Resumo

A Samsung está expandindo os recursos de inteligência artificial do Galaxy AI para mais modelos de smartphones, inicialmente introduzidos com a linha Galaxy S24.
Os recursos chegarão via atualização a vários modelos topo de linha de 2021 e 2022, embora com algumas limitações dependendo do modelo e ano do dispositivo.
Ainda não há uma data oficial para a chegada do update. A expectativa é de que a distribuição comece em maio.

A Samsung irá expandir o Galaxy AI para mais smartphones. Os recursos de inteligência artificial foram lançados junto com a linha do Galaxy S24, e posteriormente chegaram via atualização para a linha do Galaxy S23. A medida atinge alguns aparelhos topo de linha lançados entre 2021 e 2022, mas nem todas as funções estarão disponíveis.

A informação foi divulgada e confirmada por um funcionário na comunidade coreana do Samsung Members. A novidade surgiu poucos dias após a Samsung confirmar que mais dispositivos ganhariam suporte ao Galaxy AI.

Quando os recursos de inteligência artificial foram anunciados com o Galaxy S24, a Samsung não garantiu a atualização para modelos mais antigos. Executivos da companhia até levantaram a possibilidade, mas não deram garantias com a preocupação de que o hardware das gerações passadas não suportasse o processamento necessário.

Para tentar agradar os proprietários de celulares mais antigos, a Samsung irá levar o Galaxy AI com limitações para alguns aparelhos topo de linha lançados em 2021 e 2022. O recurso Slow Motion Instantâneo, por exemplo, ficará de fora nesses dispositivos.

Vale lembrar que a Samsung expandiu a política de atualizações a partir do Galaxy S24, com sete anos de updates garantidos. Em modelos já lançados, como o Galaxy S23, o cronograma promete quatro anos de atualizações do Android e cinco anos para pacotes de segurança.

Lista: smartphones que ganharão o Galaxy AI

A quantidade de funções de IA varia em cada aparelho. Os dispositivos lançados em 2022 terão praticamente todos os recursos disponíveis no Galaxy S23 FE, incluindo Circule para Pesquisar, tradução simultânea, assistente de notas, transcrição de áudio e edição de imagens:

Galaxy S22

Galaxy S22 Plus

Galaxy S22 Ultra

Galaxy Z Fold 4

Galaxy Z Flip 4

Galaxy Tab S8

Galaxy Tab S8 Plus

Galaxy Tab S8 Ultra

Galaxy S21 Plus, de 2021, receberá IA com limitações (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Já os celulares de 2021 terão suporte apenas ao Circule para Pesquisar e ao Magic Rewrite, que ajuda a escrever mensagens com a inteligência artificial generativa. Confira na lista abaixo:

Galaxy S21

Galaxy S21 Plus

Galaxy S21 Ultra

Galaxy Z Fold 3

Galazy Z Flip 3

Ainda não há uma data específica para a chegada do update, mas a publicação no fórum coreano indica o lançamento para o início de maio. É possível que o update fique disponível em conjunto com a próxima atualização de segurança.

Com informações: 9to5Google
Galaxy AI chega a mais celulares da Samsung; confira a lista

Galaxy AI chega a mais celulares da Samsung; confira a lista
Fonte: Tecnoblog

TikTok já testa influencers feitos com IA (mas não deu certo)

TikTok já testa influencers feitos com IA (mas não deu certo)

TikTok pode ter planos de lançar IAs influenciadoras para alavancar vendas na plataforma (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

O TikTok está desenvolvendo uma ferramenta para que empresas criem influencers com IA. O objetivo deste recurso é que essas companhias utilizem avatares virtuais para os seus anúncios, tipo uma Magalu, Nat e Sam. Porém, esses influencers de IA seriam feitos para anúncios específicos, não como mascote de uma marca.

De acordo com o The Information, veículo que revelou o caso, o TikTok já testou os influencers de IA na plataforma. No entanto, o resultado não agradou: o número de vendas originárias dos anúncios com avatares foi menor do que aquelas que utilizaram pessoas reais nos vídeos. Isso significa que o TikTok vai abandar a ferramenta? Nada disso.

TikTok seguirá desenvolvendo ferramenta de IA influencer

Segundo o jornal, mesmo com o resultado ruim, o TikTok seguirá apostando na ferramenta de criar influencer com IA generativa. A rede social acredita que, no futuro, a combinação entre criadores de conteúdos humanos e esses avatares pode se mostrar eficaz nos anúncios.

TikTok especula que influencers feitos por IA serão aliados dos criadores de conteúdo para a conversão de vendas (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

O The Information revela que o TikTok está conversando com as empresas sobre o uso dessa ferramenta. Contudo, resta saber se a rede social está sendo transparente com seus influencers reais. Afinal, se um anunciante usa um avatar feito por IA na propaganda, é porque deixou de contratar algum influencer para o vídeo.

Assim, um criador está perdendo dinheiro enquanto o TikTok se ganhando. Nos Estados Unidos, uma parte dos usuários e influencers da rede social está defendendo que o app não seja banido no país. Prejudicar os criadores com IA seria uma facada nas costas de quem saiu em sua defesa nos EUA.

Outro ponto importante do tema será a recepção do público a ver um avatar feito com IA fazendo propaganda. Ainda que a Magazine Luiza utilize a Magalu e a Natura a Nat, ambas ainda usam humanos em suas propagadas.

Pegando por exemplo os criadores que fizeram propaganda do jogo do tigrinho, estes ainda podem ser responsabilizados pelos anúncios que fazem. Talvez não civilmente, mas a reação do público com propagandas enganosas levou influencers a se posicionarem e romper contratos com marcas. Ainda há uma figura real para o público se indignar. Agora, um avatar feita por IA não teria medo de perder público caso fizesse propaganda para golpes ou apps caça-níqueis.

Empresas ouvidas pelo The Information comentaram que não há previsão de quando esse recurso será lançado. Visto que o TikTok realizou apenas testes iniciais, é possível que demore ainda um bom tempo — e sempre existe a possibilidade de cancelar a ideia sem lançá-la.

Com informações: The Information, PhoneArena, ITHome e Gizmochina
TikTok já testa influencers feitos com IA (mas não deu certo)

TikTok já testa influencers feitos com IA (mas não deu certo)
Fonte: Tecnoblog

OnePlus e Oppo querem usar Gemini Ultra em seus smartphones

OnePlus e Oppo querem usar Gemini Ultra em seus smartphones

Gemini Ultra é a versão mais potente da IA generativa do Google (Imagem: Reprodução/Google)

A Oppo e a OnePlus, fabricantes de celulares de propriedade da chinesa BBK Electronics, anunciaram nesta quarta-feira (10) que querem utilizar o LLM Gemini Ultra em seus smartphones. Este é a versão mais potente dos modelos de linguagem de IA generativa do Google, exigindo mais processamento para executar as tarefas.

A declaração das marcas foi dada durante o Google Cloud Next 2024, evento da big tech voltado para inovações. O evento, realizado online, começou no dia 9 de abril e encerrará nesta quinta-feira (11).

Os smartphones da Oppo e OnePlus equipados com o Gemini Ultra devem chegar no segundo semestre, época em que as fabricantes costumam lançar seus modelos mais potentes — pelo menos para o mercado chinês.

Smartphones topo de linha das marcas, como o OnePlus 12, devem ser compatíveis com o Gemini Ultra (Imagem: Divulgação/OnePlus)

OnePlus e Oppo querem ultrapassar Samsung e Google

O plano da OnePlus e Oppo de usar o Gemini Ultra em seus celulares colocaria a Samsung e o Google para trás. Isso porque a sul-coreana e big tech utilizam os modelos Gemini Pro e Gemini Nano em seus smartphones. O Google lançou sua IA para os celulares Pixels nas últimas semanas, enquanto a Samsung apresentou a Galaxy AI no início do ano junto da linha Galaxy S24.

O uso do Gemini Ultra demanda mais capacidade de processamento, por isso, em celulares, será necessário estar conectado à internet para que ele rode as tarefas desejadas — pelo menos aqueles que forem altamente exigentes. Em comparação, o Gemini Nano consegue executar os comandos apenas com o SoC dos celulares.

Já o Galaxy AI utiliza uma combinação entre o Gemini Nano e o Pro, versão intermediária. Dependendo da complexidade da tarefa, a One UI 6.1 alterna entre esses dois modelos. Os Pixels 8 utilizam apenas a versão Nano do modelo.

Relembre o lançamento da Galaxy AI

Com informações: Gizmochina e Android Police
OnePlus e Oppo querem usar Gemini Ultra em seus smartphones

OnePlus e Oppo querem usar Gemini Ultra em seus smartphones
Fonte: Tecnoblog

Google Fotos expande Magic Editor e edições com IA na versão grátis

Google Fotos expande Magic Editor e edições com IA na versão grátis

Google Fotos ganha edições aprimoradas na versão grátis (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

O Google Fotos terá uma atualização relevante para quem não assina o Google One. Os recursos de edição com inteligência artificial generativa, como apagar pessoas ou objetos e efeitos de modo retrato, estarão disponíveis para usuários da versão gratuita.

Os recursos chegarão gradativamente ao Google Fotos a partir de 15 de maio. O dispositivo deve cumprir alguns requisitos técnicos: é necessário ter um celular com sistema operacional a partir do Android 8 ou iOS 15; nos Chromebooks, é exigido pelo menos 3 GB de memória RAM e versão 118 ou superior do ChromeOS.

Existe uma limitação na versão gratuita: será possível salvar apenas 10 fotos editadas por mês. Para fazer mais edições no Magic Editor será necessário ter um smartphone da linha Pixel ou assinar o Google One com pelo menos 2 TB de armazenamento, que custa R$ 38,99 por mês.

Magic Eraser permite remover pessoas e objetos indesejados (GIF: Reprodução/Google)

O que é possível editar com IA do Google Fotos

A versão gratuita do Google Fotos terá os seguintes recursos de edição com IA generativa:

Magic Eraser (permite apagar ou reposicionar pessoas e objetos, com preenchimento de fundo)

Unblur (desborrar fotos)

Modo retrato em fotos convencionais

Luzes em fotos de modo retrato

Efeito HDR em fotos e vídeos

Color pop (paleta de cores de edição)

Fotos cinemáticas

Sky suggestions (mudança do céu nas fotos)

Estilos em colagens de fotos

Efeitos de vídeo

Todas essas edições ocorrem de forma muito simples, com poucos toques na tela do smartphone. Não é necessário manipular a imagem manualmente como acontecia em editores tradicionais.

Google Fotos permite desborrar fotos com IA (GIF: Reprodução/Google)

Alguns desses recursos já estão disponíveis em outros aplicativos de edição — o próprio visualizador de fotos da Samsung, por exemplo, inclui função de apagar pessoas e objetos em alguns smartphones.

Com muitas alternativas no mercado, a inclusão de recursos de IA generativa na versão gratuita do Google Fotos pode auxiliar a empresa a fidelizar mais usuários no aplicativo e até mesmo vender assinaturas do Google One para ter acesso ilimitado às funções de edição.

Vale lembrar que nem todas as imagens podem ser editadas pelo Magic Editor do Google Fotos. O aplicativo impede modificações em documentos, recibos, rostos e partes do corpo, por exemplo.

Com informações: 9to5Google
Google Fotos expande Magic Editor e edições com IA na versão grátis

Google Fotos expande Magic Editor e edições com IA na versão grátis
Fonte: Tecnoblog

Galaxy S23 (256 GB) está pelo menor preço que já vimos no Mercado Livre

Galaxy S23 (256 GB) está pelo menor preço que já vimos no Mercado Livre

Galaxy S23 de 256 GB nunca esteve tão barato (Imagem: Divulgação/Samsung)

Ainda dá tempo de você comprar o Galaxy S da geração passada pelo menor preço possível. Hoje, o Galaxy S23 de 256 GB está saindo por apenas R$ 2.855,70 em promoção no Mercado Livre. Basta aplicar o cupom de R$ 50 OFF que aparece na página do produto e selecionar a opção de pagamento via Pix.

Nos últimos três meses, a média de preços do Galaxy S23 (256 GB) ficou em torno dos R$ 3.796,56. E como tivemos o Dia do Consumidor em março, esse valor teve uma queda nos últimos 40 dias, chegando a uma média de R$ 2.999. Mesmo assim, poucas ofertas superaram o desconto de hoje — que traz o menor preço já divulgado no Achados.

Achadinhos do TB
Mas sabe quem ficou sabendo dessa oferta muito antes de você? Os membros dos grupos do Achados do TB no Telegram ou WhatsApp. Quem participa dos nossos canais tem acesso a uma curadoria quase diária das melhores promoções em itens de tecnologia do varejo. Sem “metade do dobro” e nem produtos que não valem a pena, tudo passa pela cuidadosa curadoria de ofertas do Tecnoblog.

Galaxy S23: agora com IA integrada

Ademais, quem comprar o S23 agora já vai poder atualizar o smartphone direto para a One UI 6.1, da Samsung. E com isso, ter acesso a recursos de inteligência artificial generativa via Galaxy AI, uma novidade que estreou com a linha Galaxy S24 desse ano mas já está disponível para os topo de linha do ano passado.

Dentre as novas possibilidades, o Galaxy AI traz o assistente de edição de fotos na galeria, que pode, por exemplo, apagar elementos da sua imagem com apenas alguns cliques. Além disso, chamadas telefônicas, áudios e até mensagens de WhatsApp são automaticamente traduzidos quando configurados. 

Outras funções, como o Circule para Pesquisar, do Google, também estão disponíveis. E você confere seu funcionamento com mais detalhes no vídeo abaixo. Antes, ainda vale lembrar que o Galaxy S23 é equipado com o poderoso processador Snapdragon 8 Gen 1 For Galaxy, painel Dynamic AMOLED 2X e câmera tripla com sensor principal de 50 MP.

Aviso de ética: ao clicar em um link de afiliado, o preço não muda para você e recebemos uma comissão.Galaxy S23 (256 GB) está pelo menor preço que já vimos no Mercado Livre

Galaxy S23 (256 GB) está pelo menor preço que já vimos no Mercado Livre
Fonte: Tecnoblog

Microsoft: PCs com IA devem alcançar ao menos 40 TOPS (e o que isso quer dizer)

Microsoft: PCs com IA devem alcançar ao menos 40 TOPS (e o que isso quer dizer)

Design da tecla Copilot num teclado de PC (imagem: reprodução/Microsoft)

A indústria de PCs espera que notebooks e desktops com recursos nativos de inteligência artificial conquistem o mercado. Mas, para a Microsoft, um computador precisa apresentar ao menos 40 TOPS para ser um AI PC, como a ideia tem sido chamada. Traduzindo: uma máquina do tipo deve ter muito desempenho.

Mas o que é um AI PC?

AI PC é uma expressão comercial que identifica um computador cujo hardware está otimizado para executar tarefas de inteligência artificial (IA) localmente, sem depender de servidores externos para gerar resultados satisfatórios.

Ferramentas como ChatGPT, Google Gemini e Microsoft Copilot tornaram a IA popular nos últimos meses, embora o conceito exista há décadas. Contudo, todos esses serviços processam as solicitações dos usuários nas nuvens, portanto, dependem de conexões à internet em seu modo de funcionamento padrão.

Como a plataforma Windows vem sendo progressivamente integrada a recursos de IA, é de se esperar que pelo menos parte dessas tarefas seja realizada satisfatoriamente pelo próprio computador do usuário. É aí que a ideia do AI PC ganha sentido.

Para atender (ou criar) essa categoria, os fabricantes estão apostando em notebooks ou desktops cujas CPUs têm uma unidade de processamento neural (NPU) integrada, a exemplo dos atuais chips Intel Core Ultra com arquitetura Meteor Lake.

Microsoft fala em desempenho de 40 TOPS

No início de 2024, surgiram informações de que a Microsoft exigiria uma NPU com desempenho de pelo menos 40 TOPS para a execução local do Copilot no Windows. O Tom’s Hardware relata que essa exigência só foi confirmada pela companhia no final de março, durante o evento Intel AI Summit.

TOPs são um parâmetro usado para dar uma noção da potência de uma NPU. Cada TOP corresponde a um trilhão de operações por segundo. Logo, quanto maior a quantidade de TOPS, mais desempenho tem a NPU.

O problema é que atingir os 40 TOPS não é fácil. A já mencionada linha Core Ultra Meteor Lake é formada por chips poderosos e, no entanto, eles alcançam até 34 TOPS, razão pela qual nem eles atendem aos requisitos do Copilot.

Não é que a Microsoft está sendo exigente. Os 40 TOPS informados pela companhia foram definidos com base no que é preciso para a execução local do Copilot no Windows 11 sem haver queda geral no desempenho ou resultados insatisfatórios.

Chips Core Ultra para notebooks de alto desempenho (imagem: divulgação/Intel)

O AI PC ainda não veio, mas promete vir

Até é possível complementar a execução do Copilot no Windows usando a GPU, mas a Microsoft tem priorizado o uso da NPU para esse fim com o intuito de evitar prejuízo à vida útil da bateria nos notebooks.

Isso significa que, com base no hardware disponível atualmente, a proposta do AI PC não é realidade. Não para rodar o Copilot no Windows de modo totalmente local. Nos primeiros computadores baseados no conceito, a inteligência artificial da Microsoft ainda deve depender das nuvens.

Mas a situação pode mudar em um futuro próximo. Com otimizações de software e um hardware mais bem preparado, o AI PC poderá se tornar factível ainda em 2024 ou em 2025.

Basta levarmos em conta que a Lunar Lake, a próxima geração de chips Intel Core, deve ser anunciada neste ano com uma NPU três vezes mais potente que a atual. AMD e Qualcomm também já se preparam para atender ao segmento com NPUs poderosas.

Só para constar, outros requisitos para um computador ser considerado um AI PC incluem um botão físico para o Copilot e, claro, ter esta ferramenta de inteligência artificial ativada.
Microsoft: PCs com IA devem alcançar ao menos 40 TOPS (e o que isso quer dizer)

Microsoft: PCs com IA devem alcançar ao menos 40 TOPS (e o que isso quer dizer)
Fonte: Tecnoblog

Spotify libera testes de IA que criará playlist a partir de comandos

Spotify libera testes de IA que criará playlist a partir de comandos

Spotify terá IA generativa para criar playlists por você (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

O Spotify liberou nesta segunda-feira (8) o recurso de criação de playlists usando IA generativa. A partir de um comando de texto, o usuário poderá criar listas de músicas — poupando tempo de buscar várias músicas para montá-las. A funcionalidade foi liberada para testes no Reino Unido e Austrália.

Essa novidade foi revelada pelo próprio Spotify em dezembro do ano passado. No entanto, o recurso foi descoberto pelo site TechCrunch em outubro. A previsão é que o lançamento oficial da IA Playlist (nome do recurso) aconteça nos próximos meses. Como mostra a descrição do recurso, no momento ele só funciona em inglês — o que demandará um tempo para que a empresa libera a ferramenta para outros idiomas.

“ChatGPT” do Spotify para criar playlist

O funcionamento da IA Playlist é fácil de entender. O usuário escreverá um comando como “músicas de metal para ouvir na academia” e a ferramenta escolherá até 30 músicas. A novidade possui sugestões de prompts.

O Spotify explica que os resultados são melhores se o usuário incluir gêneros, humor desejado (triste, feliz, empolgado, etc), artistas e décadas no comando. Além das classificações de gênero, o streaming de música marca as canções com outros dados.

Por exemplo, um funk pode estar em uma categoria de dançabilidade e positividade, assim como uma balada romântico dos anos 80 pode ter classificações de “fossa” ou “calma”

Essas tags serão buscadas pela IA com base no prompt escrito pelo usuário, entregando a playlist mais próxima do desejado.

Recurso IA Playlist do Spotify é acessado normalmente pelo botão de criar playlists (Imagem: Divulgação/Spotify)

O IA Playlist é acessado clicando no botão “+”, localizado na biblioteca. No menu que abrir, haverá três botões: criar playlist, mesclar e o novo IA Playlist — que contém um aviso de estar em beta. Ao clicar no recurso em teste, o usuário será levado para uma tela onde será possível escrever o prompt desejado.

Essa não é a primeira aventura do Spotify com IA. No ano passado, a empresa lançou o DJ X, um recurso que utiliza IA para tocar músicas recomendadas com base no gosto do usuário — idêntico ao Flow do Deezer, mas com uma voz comentando. Já a opção de músicas com qualidade Hi-Fi, essa segue prometida

Com informações: TechCrunch e The Verge
Spotify libera testes de IA que criará playlist a partir de comandos

Spotify libera testes de IA que criará playlist a partir de comandos
Fonte: Tecnoblog

YouTube faz alerta à OpenAI sobre usar seus vídeos para treinar a Sora

YouTube faz alerta à OpenAI sobre usar seus vídeos para treinar a Sora

CEO do YouTube destaca que usar vídeos da plataforma para treinar IAs viola termos de uso do site (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Neal Mohan, CEO do YouTube, disse nesta quinta-feira (4) que a OpenAI não pode usar os vídeos do YouTube para treinar a Sora, sua IA generativa de vídeos. Em um evento organizado pela Bloomberg, Mohan destacou que os termos de uso da plataforma proíbem que os conteúdos da plataforma sejam usados para treinar modelos de IA. A declaração do CEO pode parecer protecionismo, mas tem um motivo justo.

Ainda que os interesses de IA do Google sejam um dos motivos de proibir a rival de treinar a Sora, Mohan destaca que os termos de uso servem para proteger o conteúdo publicado pelos usuários. Ou melhor, eles precisam ser seguidos pelos dois lados: YouTube e canais.

Deixando de lado as justiças ou injustiças em monetização, o CEO do YouTube diz que quando um criador sobe um vídeo na plataforma, ele espera que os termos de uso sejam respeitados. Isso inclui proteger o conteúdo de ser baixado ilegalmente ou do seu texto ser transcrito — o que poderia treinar IAs generativas de texto, como ChatGPT ou Claude.

Sam Altman e ninguém revela, mas há acusações de que ChatGPT foi treinado com conteúdo sob direitos autorais (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

OpenAI é acusada de treinar ChatGPT com materiais protegidos

A fala de Mohan não é dita ao acaso. A OpenAI é alvo de processos na qual é acusada de usar material protegido por direitos autorais para treinar o ChatGPT. Entre alguns dos autores de processos deste tipo estão: o jornal The New York Times, a humorista Sarah Silverman, George R.R. Martin (autor de As Crônicas de Gelo e Fogo) e Christopher Golden (autor de Buffy, A Caça Vampiros).

A “matemática” para treinar uma IA generativa eficiente é básica: quanto mais conteúdos ela tiver acesso, mais conhecimento ela terá. As empresas do ramo, e o Google não escapa disso, não são muito abertas sobre as fontes dos treinamentos. Afinal, revelá-las é colocar um alvo para receber um processinho.

Sora cria vídeos em alta qualidade, mas ainda não foi liberada

Sora é capaz de seguir prompts bastante detalhados (Imagem: Reprodução/OpenAI)

A Sora foi anunciada em fevereiro, mas ainda não está disponível para o público. A IA generativa de vídeos está apenas na fase de testes, mas seus primeiros resultados impressionam pelo realismo. E sim, ela mantém alguns erros comuns nas IAs generativas de fotos. A imagem acima foi transformada em GIF para ser exibida no texto, por isso a sua qualidade está reduzida

Com informações: Bloomberg e Android Headlines
YouTube faz alerta à OpenAI sobre usar seus vídeos para treinar a Sora

YouTube faz alerta à OpenAI sobre usar seus vídeos para treinar a Sora
Fonte: Tecnoblog