Category: Microsoft

IA fará Windows durar mais 40 anos, diz VP da Microsoft

IA fará Windows durar mais 40 anos, diz VP da Microsoft

Aaron Woodman é vice-presidente de marketing da Microsoft (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

(Direto de Redmond, nos EUA) A cada segundo, são vendidos no mundo nove computadores com algo em comum: eles rodam Windows. Nesta semana, a Microsoft deu um importante passo para um futuro no qual a inteligência artificial offline fará parte do sistema mais usado no mundo corporativo. Este gesto permitirá que o Windows dure mais 40 anos, na visão de um dos principais nomes da empresa: Aaron Woodman.

Eu realizei uma entrevista exclusiva com o vice-presidente de marketing da Microsoft no novo e belo campus da companhia nos Estados Unidos. Woodman me explicou o que está por trás do anúncio do selo Copilot+, que contempla notebooks tão poderosos a ponto de rodarem IA sem depender da internet.

Também joguei pimenta na conversa: perguntei se o lançamento tinha o objetivo de sair na frente da principal, que não oferece nenhum MacBook com IA offline. Ele foi taxativo: “não penso muito na Apple”. Entenda o motivo nas linhas a seguir.

Tecla no Surface Laptop aciona a IA do Copilot (Foto: Thássius Veloso/Tecnoblog)

Thássius Veloso – Eu considero Copilot um nome excelente. Como vocês chegaram nesta escolha? Os nomes de produtos de IA similares me parecem bem mais técnicos.

Aaron Woodman (Microsoft) – Nós temos essa crença de que a inteligência artificial serve ao propósito de auxiliar os humanos, e não o de tomar o controle de tudo. Esse nome nos ajuda a enfatizar a parceria entre os indivíduos e as ferramentas. Nós somos a companhia do Copilot.

Quando eu cheguei aqui hoje, havia algumas placas falando que era o início de uma nova era da IA. Por que disso? Já se fala sobre esta nova leva de inteligência artificial há quase dois anos.

Isso é muito interessante! A minha história com IA começou há cerca de sete anos, quando nós vimos os primeiros modelos de machine learning. Eles dependiam de grandes servidores de computação em nuvem para funcionar. Agora é a primeira vez que a gente tem uma plataforma funcionando localmente nos nossos dispositivos eletrônicos. Ocorreram avanços importantes de desempenho, velocidade e privacidade. As NPUs simplesmente pedem muito menos energia para realizar as inferências. Além disso, o Windows existe há quase 40 anos e é utilizado por 1,4 bilhão de pessoas, mas eu diria que é a primeira vez desde 1995 que a gente tem uma nova visão do que o sistema é capaz de fazer para ajudar os usuários. Para completar, é a primeira vez que se vê AMD, Intel, Qualcomm e fabricantes de PC indo na mesma direção, praticamente em uníssono.

Quem foi a pessoa que conseguiu juntar tantas pessoas diferentes? O Satya Nadella?

Nós estamos trabalhando neste projeto há quatro ou cinco anos. No entanto, foi o Stevie Bathiche quem realmente compreendeu como os modelos de IA poderiam funcionar na borda. Isso combinou com a visão do Satya (CEO), da Amy Hood (do departamento de finanças), do Kevin Scott (que cuida das parcerias) e do Pavan Davuluri (vice-presidente do Windows). Eles conseguiram visualizar o futuro da inteligência artificial e também quais progressos nos permitiriam criar um produto assim.

Existe uma famosa entrevista em que o Satya Nadella fala que a Microsoft fez o Google se mexer com relação à IA no ambiente online. Agora vocês anunciam um sistema com IA local. Nessa caso, estão tentando fazer a Apple se mexer?

Na verdade, eu não penso muito na Apple.

Sério?! Por que não?

Nós estamos em categorias bem diferentes: fazemos PCs, enquanto o principal produto deles é o smartphone. É bem verdade que cerca de 70% dos usuários de iPhone estão num computador com Windows, até porque a Apple tem produtos muito caros. O Windows é a plataforma preferida das empresas, e foi por isso que começamos a pensar sobre quais problemas seriam resolvidos com a IA local. A Apple fez um trabalho fantástico os chips M nos MacBooks, algo que ainda não tínhamos visto na categoria dos PCs. Usamos isso como um marco de onde gostaríamos de chegar. Eu não fico pensando que eles fizeram isso, então nós temos que fazer aquilo. O projeto do Copilot+ existe há dois anos.

Ou seja, existe uma visão por trás disso tudo.

Com certeza. E sabe, acredito que começaremos a ver um monte de empresas implementando a inteligência artificial offline, inclusive a Apple. Eles definitivamente possuem NPUs tanto nos telefones quanto nos computadores. A questão aqui é sobre como construir uma plataforma em cima disso.

O Windows Recall é um bom exemplo: imagine que você está num documento com três páginas, você está na primeira e aos poucos vai rolando para as próximas. Criar um índice disso para buscas rápidas normalmente exigiria muito processamento e energia. No entanto, nós usamos o compositor gráfico do próprio Windows para isso. Esse tipo de implementação não acontece se a gente ficar pensando “hmmm, o que vamos fazer hoje?”, mas sim porque temos um cronograma.

Por falar em Recall… Algumas empresas monitoram o que os funcionários fazem no PC, tanto que existe uma categoria de programas chamada bossware. Essa nova ferramenta poderia ser usada para isso?

Eu torço para que não usem. Nós tivemos uma abordagem muito conservadora ao criar o Windows Recall. O índice semântico dele fica salvo localmente no computador da pessoa, de forma criptografada. Além disso, os dados do usuário não são usados para treinar nossos modelos de IA nem vão para a nuvem. O cliente ainda pode pausar o Recall a qualquer momento ou definir certas regras. Um administrador de TI consegue ver o quando de espaço está sendo usando pelo Recall, mas não o conteúdo. Ele poderia se autenticar como funcionário para ver as coisas? Sim, mas isso já é possível hoje. Eles não terá nenhum acesso remoto à memória do Recall.

Será necessário um computador com selo Copilot+ para aproveitar essas novidades?

Nós anunciamos que os preços da nova linha do Surface começam em US$ 999 e as vendas estão marcadas para 18 de junho aqui nos Estados Unidos. As funcionalidades apresentadas na Build 2024 não são possíveis em processadores antigos ou em outros dispositivos. A nossa expectativa é de que mais laptops com os atributos do Copilot+ sejam anunciados nos próximos meses, em especial conforme a AMD e a Intel apresentarem suas novidades.

Produtos realmente importantes acabam se transformando numa espécie de plataforma que possibilita a inovação de outros agentes. É assim com o Windows e os provedores de serviços ao redor dele. A Apple fez o mesmo com o iPhone e os desenvolvedores de aplicativos para iOS, ou ainda o Google com a busca e os responsáveis pelos websites. Nós acreditamos que os computadores do Copilot+ serão este tipo de produto.

A AMD e a Intel terão que produzir chips compatíveis com ARM64?

Não necessariamente. Elas ainda poderão fabricar chips em x86 ou x64, mas é realmente importante alcançar os parâmetros de velocidade e colocar uma NPU no SoC. Não há nenhuma exigência para que elas adotem a arquitetura da Arm.

Vocês falaram tanto de Copilot que muita gente me fez a seguinte pergunta: a Microsoft mudou de marca?

Nós estamos dizendo que o Windows está aí há 40 anos e provavelmente continuará conosco mais 40. A diferença não está na experiência de usuário, mas sim no que o Windows é capaz de fazer – e isto está contemplado pelo Copilot. Nós estamos falando de uma plataforma completa que existe desde a nuvem, com o Azure, até localmente no aparelho da pessoa, com a NPU.

Surface Laptop de 13,8 polegadas (Foto: Thássius Veloso/Tecnoblog)

Qual é a versão do GPT no Copilot+?

Não é um GPT, mas sim cerca de 40 funções de IA rodando simultaneamente no Windows, dentre elas vários SMLs (pequenos modelos de linguagem). Estas ferramentas são preparadas para tarefas muito específicas, como o OCR para reconhecimento de texto. Nós também temos LLMs, como o Phi, que está em uso no Windows. Alguns modelos de Gen AI são proprietários e foram produzidos pela Microsoft para atividades como a do Cocreate na nova versão do Paint.

E como diferenciar um AI PC de um Copilot+ PC?

AI PC é qualquer computador que permita acelerar a inteligência artificial diretamente no dispositivo. Existem vários assim com poder de processamento de 10 ou 12 trilhões de operações por segundo (tops). Eles são muito bons para coisas específicas, como ajudar na edição de imagem. Já o Copilot+ dá um salto em termos de processamento e permite a execução permanente de funções de IA. O Recall, por exemplo, continuamente observa cada pixel na tela e constrói uma semântica em cima do que ele vê. Para isso, são necessários pelo menos 40 tops.

Ver essa foto no Instagram Uma publicação compartilhada por Tecnoblog (@tecnoblog)

Há algumas semanas surgiu uma polêmica com a Microsoft por causa de propagandas no menu Iniciar. Isso realmente vai acontecer?

Não é a nossa intenção. Assim como qualquer outra empresa, quando se trata do navegador, se você acessar microsoft.com, queremos falar sobre o Edge e promover nossos serviços. Acreditamos que nestes espaços é razoável promover coisas da Microsoft, assim como o Google oferece o Chrome para quem entra no YouTube. Há uma década, você instalava um antivírus e vinha um novo navegador junto. Isso confundia os consumidores e nós não permitimos mais que aconteça. Nossa meta é proteger as pessoas. Ainda assim, podemos sugerir aplicativos quando o usuário acessa Microsoft Store. Nós estamos sempre em busca de sinais sobre quais são os limites.

Os usuários de Windows ficaram muito aborrecidos com essa história. É um sinal para vocês?

Com certeza. E nós temos iniciativas como o programa Windows Insider, em que nós experimentamos abordagens novas e diferentes. As pessoas sabem disso quando entram neste programa. Nele são feitos testes e temos diálogos sobre o que estamos tentando fazer. Pra gente ficou muito claro que os usuários não queriam aquilo.

A alucinação continua sendo um assunto frequente quando falamos de inteligência artificial generativa. Como resolver isso no Windows 11 do Copilot+?

Não há muita criação de texto ou produção de respostas no Windows 11. O Recall depende de Gen AI porque estamos levando em consideração o entendimento semântico do texto e tentando casar com os pixels que apareceram na tela. É muito improvável que uma ferramenta assim produza comportamentos inadequados porque ela apenas olha o conteúdo que você viu. Até mesmo a criação de imagens se baseia num prompt que realiza a compreensão semântica. Para isso, há diversos limites de uso.

Para fechar aqui: como vocês escolhem os países que vão receber o Surface? O Brasil não está na lista…

Adorei a pergunta! Nós temos um enorme ecossistema de hardware, o que nos permite vender PCs Windows em mais de 142 países. O Copilot+ estará à disposição numa ampla gama de aparelhos. Isso é determinado com base no volume potencial de vendas e nas nossas parcerias comerciais. Assim como qualquer outro negócio, tentamos descobrir onde estão os clientes que se interessariam pelas características únicas dos nossos produtos. Nosso comportamento é ditado por isto.

Também tem o fato de que a IA é uma daquelas áreas em que a linguagem importa muito, tanto na semântica quanto na compreensão. Então nosso suporte a idiomas também precisa amadurecer, seja no português, no espanhol ou em qualquer outra língua. Este aspecto também dita a rapidez com que levamos as inovações às localidades.

Thássius Veloso entrevista Aaron Woodman, VP global de marketing da Microsoft (Foto: Tecnoblog)

Thássius Veloso viajou para os Estados Unidos a convite da Microsoft
IA fará Windows durar mais 40 anos, diz VP da Microsoft

IA fará Windows durar mais 40 anos, diz VP da Microsoft
Fonte: Tecnoblog

Falha na Microsoft deixa Copilot fora do ar e afeta Bing, ChatGPT e DuckDuckGo

Falha na Microsoft deixa Copilot fora do ar e afeta Bing, ChatGPT e DuckDuckGo

Serviços que dependem do Bing enfrentam problemas (Imagem: Unsplash / Rubaitul Azad)

Vários serviços que usam o buscador Bing e os serviços de inteligência artificial da Microsoft tiveram problemas na manhã desta quinta-feira (23). O chatbot Copilot ficou fora do ar na web e nos apps para desktop e mobile. Enquanto isso, DuckDuckGo e a busca do ChatGPT (que usam resultados de busca do Bing) deixaram de funcionar por algumas horas.

Nos testes do Tecnoblog, o chatbot Copilot na web não podia ser acessado — ele redirecionava para uma página que mostra apenas o logo do Bing e uma caixa de pesquisa, sem funcionar. Na barra lateral do navegador Edge, o chatbot ficava travado em uma tela de carregamento, sem sair disso.

Copilot fica preso em tela de carregamento na barra lateral do Edge (Imagem: Reprodução / Tecnoblog)

Já o DuckDuckGo não retornava resultados de pesquisa, apenas uma mensagem de erro. O Bing funcionava, mas as respostas geradas por IA demoravam entre 20 e 30 segundos, muito mais que o normal.

Segundo relatos, o Copilot para Windows e para smartphone ficaram indisponíveis, e a busca web do ChatGPT Plus parou de funcionar. As primeiras publicações em redes sociais sobre estes problemas surgiram por volta das 5h (horário de Brasília) da quinta (23), o que indica que foram são cerca de cinco horas com indisponibilidade nos serviços.

Note: Microsoft’s search engine Bing is currently experiencing international outages, particularly impacting CoPilot, ChatGPT and DuckDuckGo; incident not related to country-level internet disruptions or filtering #BingDown pic.twitter.com/JrDuCE60of— NetBlocks (@netblocks) May 23, 2024

It’s not just you: Microsoft’s services are down in some regions.1. #Bing is down2. #Copilot / Copilot in Windows is downDuckDuckGo is not working because it uses Bing. Similarly, ChatGPT’s internet search is also down. pic.twitter.com/PCk3ZaPjIf— Mayank Parmar (@mayank_jee) May 23, 2024

Os gráficos do site DownDetector mostram um grande volume de relatos de problemas no DuckDuckGo e no Bing.

Usuários recorreram ao DownDetector para relatar problemas no DuckDuckGo e no Bing (Imagem: Reprodução / Tecnoblog)

O TechCrunch especula que o problema esteja em alguma API do Bing, já que vários serviços que dependem do buscador estão enfrentando dificuldades.

Microsoft está ciente do problema

Às 5h46, a conta do Microsoft 365 no X (antigo Twitter) informou estar investigando um problema que impede os usuários de acessar o Copilot. “Estamos trabalhando para isolar a causa da falha”, escreveu o perfil. A suíte de aplicativos de escritório Microsoft 365 é um dos muitos lugares onde a empresa colocou seu assistente de IA.

We’re investigating an issue where users may be unable to access the Microsoft Copilot service. We’re working to isolate the cause of the issue. More information can be found in the admin center under CP795190.— Microsoft 365 Status (@MSFT365Status) May 23, 2024

Por outro lado, o painel de integridade dos serviços da Microsoft, que informa instabilidades e quedas, dizia estar tudo normal.

Com informações: Bleeping Computer, TechCrunch

Atualizado às 11h05, após os serviços voltarem a funcionar
Falha na Microsoft deixa Copilot fora do ar e afeta Bing, ChatGPT e DuckDuckGo

Falha na Microsoft deixa Copilot fora do ar e afeta Bing, ChatGPT e DuckDuckGo
Fonte: Tecnoblog

Fora do ar: Microsoft Bing sofre pane e gera instabilidade no Copilot do Windows e busca do ChatGPT

Fora do ar: Microsoft Bing sofre pane e gera instabilidade no Copilot do Windows e busca do ChatGPT

A Microsoft parece estar enfrentando problemas técnicos em alguns de seus serviços mais populares, incluindo o Bing e Copilot. Nesta quinta-feira (23), usuários perceberam que os sites e aplicativos dessas plataformas estão fora do ar. A interrupção do funcionamento começou por volta das 08:30 (horário de Brasília), e parece não estar limitado ao Brasil.

Reclamações sobre as instabilidades foram registradas em diferentes lugares do mundo, incluindo a América do Norte. Os serviços que parecem estar fora do ar incluem o Microsoft Bing, Copilot (web e aplicativo), Copilot no Windows, pesquisa na internet com ChatGPT e o DuckDuckGo, mecanismo de buscas que utiliza a API do Bing.Ao tentar acessar o Bing.com, usuários se depararam com um erro de código HTTP 429. Curiosamente, a função de pesquisa pode funcionar normalmente, caso seja acessada por meio de uma URL. No entanto, a página inicial pode estar inacessível para alguns usuários.Clique aqui para ler mais

Fora do ar: Microsoft Bing sofre pane e gera instabilidade no Copilot do Windows e busca do ChatGPT
Fonte: Tudocelular

Testamos a nova IA que vê tudo que você faz no PC

Testamos a nova IA que vê tudo que você faz no PC

Carolina Hernandez detalha a ferramenta Recall (Foto: Thássius Veloso/Tecnoblog)

(Direto de Redmond, nos EUA) Sua memória também é péssima? Pois saiba que Windows Recall é o nome da nova ferramenta que observa tudo o que você faz no PC para te ajudar a encontrar dados de forma veloz. Ao menos esta é a intenção da Microsoft com o anúncio da tecnologia baseada em inteligência artificial.

Nós estamos no congresso Microsoft Build e eu pude testar o Recall por alguns minutos. Ao menos na versão prévia, a ferramenta se chama Busca Rápida em português do Brasil. Ela grava o que quer que tenha sido exibido na tela do laptop, de modo a possibilitar uma poderosa pesquisa de informações.

“O Recall utiliza um modelo que combina texto e elementos visuais para apresentar resultados muito relevantes aos nossos usuários”, nos explica Nicci Trovinger, diretora sênior de marketing de produto na Microsoft. Essa função recorre a reconhecimento de texto (o famoso OCR) e visão computacional para fazer associações.

Ferramenta de Busca Rápida na área de notificações do Windows (Foto: Thássius Veloso/Tecnoblog)

Aqui estão alguns exemplos de pesquisas na Busca Rápida:

Busque por “restaurantes” para localizar conversas no WhatsApp sobre um encontro entre amigos

Pesquise por “planejamento da viagem” para ver conteúdo turístico, itinerário e sites consultados

Para quem tem filhos pequenos: escreva “crianças e atividades” para gerenciar as tarefas deles

No trabalho: pesquise por palavras-chave para encontrar informações compartilhadas com os colegas

Como é o uso do Recall

Resultados da busca pelo planejamento de viagem no Windows (Foto: Thássius Veloso/Tecnoblog)

A interface da Busca Rápida inclui uma linha do tempo com momentos-chave do uso do computador. Os quadros funcionam como prints, e são chamados em português de instantâneos. O campo de busca é o ponto de partida: o usuário deve escrever ou falar aquilo que está buscando.

Trovinger conta que princípios de IA generativa são utilizados pelo Recall. Ainda assim, o Windows não apresenta nenhuma resposta por escrito nem é capaz de produzir resumos. Em vez disso, a pesquisa retorna capturas de tela que destacam as potenciais respostas. Todo este procedimento é muito ligeiro, leva questão de segundos.

Imagine ter lido sobre câmeras fotográficas durante a semana, mas não se lembrar dos modelos específicos. A Busca Rápida consegue trazer isso, inclusive em páginas nas quais havia apenas imagens dos produtos.

Busca Rápida no Surface Laptop (Foto: Thássius Veloso/Tecnoblog)

A nova ferramenta tem muito potencial de facilitar o nosso cotidiano. Eu mesmo vivo me perdendo em janelas e mais janelas, em busca de alguma informação que inicialmente me passou batida. Nessas horas, o Recall entrará em cena e irá atuar como uma verdadeira memória do que aconteceu na vida digital daquela pessoa – ao menos se ela tiver um potente notebook integrante do projeto Copilot+.

Dá para filtrar por aplicativo ou tipo de conteúdo. No futuro, será possível clicar num botão e ir diretamente para o trecho do documento de Word que cita uma determinada informação localizada pelo Recall.

Funcionamento, privacidade e requisitos mínimos

Talvez o grande trunfo do Recall seja rodar localmente as funções necessárias para produzir os instantâneos e catalogar as informações. Por isso mesmo, será preciso um aparelho moderno, conforme explicamos acima, que possua uma NPU. PCs antigos não serão capazes de executá-lo.

Pensar numa IA que te monitora ao longo do dia pode dar frio na espinha para usuários cientes da própria privacidade. Diz a Microsoft que será possível desativar o Recall a qualquer tempo. Nas configurações, também é possível escolher sites específicos (do seu banco, por exemplo) e programas que não serão capturados pela Busca Rápida.

Ele não irá funcionar em janelas anônimas do Microsoft Edge nem em conteúdo protegido por DRM (os naturais suspeitos são apps de Netflix, Prime Video e outros serviços de streaming). Cada desenvolvedor deverá adaptar seu programa para funcionar bem com o Windows 11 e o Recall.

Painel de controle da Busca Rápida no Windows (Foto: Thássius Veloso/Tecnoblog)

Ainda segundo a empresa, as informações coletadas não serão usadas para treinamento de modelos de IA.

Outro empecilho pode estar ligado ao armazenamento. A Microsoft diz que os computadores deverão ter mínimo de 256 GB e espaço livre de 50 GB. As pessoas poderão escolher o quanto de espaço irão alocar para a funcionalidade, mas a Microsoft tem falado em algo entre 25 GB e 50 GB, o que daria para até três meses de memória.

Ao menos em meu primeiro contato aqui nos Estados Unidos, notei que uma semana de instantâneos consome cerca de 60 MB. Não é muito para uma ferramenta tão interessante.

Mais Build: no vídeo abaixo, conheça o primeiro notebook Copilot+ da Microsoft

Ver essa foto no Instagram Uma publicação compartilhada por Tecnoblog (@tecnoblog)

Thássius Veloso viajou para os Estados Unidos a convite da Microsoft
Testamos a nova IA que vê tudo que você faz no PC

Testamos a nova IA que vê tudo que você faz no PC
Fonte: Tecnoblog

Build 2024: como ver o evento da Microsoft ao vivo

Build 2024: como ver o evento da Microsoft ao vivo

Build 2024: como ver o evento da Microsoft ao vivo (imagem: reprodução/Microsoft)

Esta terça-feira (21) é a data da Build 2024, conferência anual que a Microsoft promove para desenvolvedores, mas que também serve de palco para anúncios importantes da companhia. Neste ano, são esperadas mais novidades em inteligência artificial (IA), desta vez com foco em PCs.

Como assistir à Microsoft Build 2024?

A Build 2024 será transmitida em tempo real. Haverá duas vias de transmissão principais:

Canal Microsoft Developer no YouTube

Site oficial do Microsoft Build

Se você acessar o link no YouTube antes do início da transmissão, poderá tocar ou clicar em “Receber notificação” para ser avisado previamente do início do evento.

Quem optar por acompanhar a Build 2024 no site da Microsoft deve fazer um cadastro gratuito, que também dará acesso a informações complementares sobre a conferência.

A Build 2024 começa em que horário?

A Microsoft Build 2024 começará a ser transmitida às 12:30 de hoje, considerando o horário de Brasília.

Isso no primeiro dia. Também haverá transmissões na quarta-feira e na quinta-feira. Contudo, os anúncios mais relevantes devem ser feitos nesta terça-feira.

Quem pode assistir à Build 2024?

Qualquer pessoa interessada. Basta acessar o canal Microsoft Developer no YouTube ou se cadastrar no site do evento, gratuitamente. O evento só é pago para quem deseja participar da conferência presencialmente, em Seattle.

O que esperar da Build 2024?

Um dos objetivos da Microsoft em 2024 é expandir a proposta do AI PC, isto é, de computadores capazes de executar tarefas de inteligência artificial localmente. A companhia deu o primeiro passo ao anunciar o projeto Copilot+ PC, na segunda-feira.

Requisitos mínimos de um Copilot+ PC (Foto: Thássius Veloso/Tecnoblog)

Nesse sentido, é de se esperar que a Microsoft use a Build 2024 para fazer anúncios relacionados, a exemplo de computadores equipados com chips como o Snapdragon X Elite, de arquitetura Arm.

Essas máquinas já começaram a ser reveladas por fabricantes parceiras. É o caso da Asus com o Vivobook S 15.

Como IA é o assunto do momento, também espera-se que a Microsoft anuncie um Copilot para Windows mais independente, isto é, capaz de lidar com determinadas tarefas precisando menos dos servidores da companhia.

Também é possível que a empresa revele novidades para a integração do Copilot com o Bing ou com as ferramentas do Microsoft 365, a exemplo do Word e do Excel.

Se você não puder acompanhar a Build 2024, não se preocupe. O Tecnoblog cobrirá o evento localmente e abordará as principais novidades.
Build 2024: como ver o evento da Microsoft ao vivo

Build 2024: como ver o evento da Microsoft ao vivo
Fonte: Tecnoblog

Jogos da franquia Kingdom Hearts finalmente chegarão ao Steam

Jogos da franquia Kingdom Hearts finalmente chegarão ao Steam

Em um recente post de seu blog oficial, a Square anunciou que os jogos da franquia Kingdom Hearts serão lançados na Steam em 13 de junho, permitindo que uma nova leva de jogadores tenha acesso à saga.

Em março de 2021, os jogos da franquia Kingdom Hearts finalmente chegaram ao PC, mas todos ficaram surpresos ao descobrir que os títulos seriam vendidos exclusivamente pela Epic Games Store. Recentemente, a Square Enix anunciou que estava planejando expandir seus domínios através de lançamentos multiplataforma, e parece que os primeiros frutos desta nova estratégia já começaram a aparecer. Iniciada em 2002, Kingdom Hearts é uma das franquias mais ambiciosas e queridas da Square Enix. De uma fusão improvável com a Disney, nasceu uma história complexa e cheia de mistérios, que narra a luta entre a luz e a escuridão. Clique aqui para ler mais

Jogos da franquia Kingdom Hearts finalmente chegarão ao Steam
Fonte: Tudocelular

Microsoft pode lançar nova geração de consoles Xbox em 2026

Microsoft pode lançar nova geração de consoles Xbox em 2026

A Microsoft pode lançar a sua próxima geração de consoles Xbox antes do esperado. O informante TheGhostofHope alega que fontes confiáveis revelaram que um lançamento é previsto para 2026, bem antes do que os analistas e jogadores imaginavam.

Outro ponto interessante é que a companhia utilizaria a aquisição da Activision Blizzard para alavancar a venda do console trazendo Call of Duty como um dos jogos disponíveis em seu lançamento.Essa não é a primeira vez que um rumor cita o lançamento da nova geração de Xbox em 2026. Em dezembro do ano passado, o YouTuber RedGamingTech citou que a Microsoft utilizaria a CPU AMD Ryzen Zen 5 CPU porque a Zen 6 não seria lançada a tempo. Ele também alegou que a empresa abandonaria a estratégia de SKU dupla desta geração e utilizaria apenas uma.Clique aqui para ler mais

Microsoft pode lançar nova geração de consoles Xbox em 2026
Fonte: Tudocelular

Inscritos no programa Xbox Insider podem testar recurso de pré-download para atualizações

Inscritos no programa Xbox Insider podem testar recurso de pré-download para atualizações

Um novo recurso chegou para os usuários que estão inscritos no “Xbox Insider”, o programa da Microsoft para usuários do Xbox que desejam testar funcionalidades, jogos e atualizações para o Xbox ou dispositivos com Windows 10/11. Agora é possível realizar pré-download de atualizações para jogos com intuito de ativar assim que forem lançadas.

Pré-download é algo normal para jogos, por exemplo, mas atualizações é completamente novo e a Microsoft tem estudado formas de seus jogadores obterem acesso aos downloads de suas atualizações antes mesmo de serem lançadas. Isso pode ser bastante útil futuramente em casos de atualizações maiores, como ocorreu em Cyberpunk 2077.A novidade foi apresentada em uma postagem na página do suporte do Xbox Insider e explica que membros que fazem parte do anel de updates Alpha Skip-Ahead terão acesso ao novo recurso por meio de uma atualização. Confira abaixo o comunicado que fala da nova funcionalidade:Clique aqui para ler mais

Inscritos no programa Xbox Insider podem testar recurso de pré-download para atualizações
Fonte: Tudocelular

Microsoft colocará anúncios do Game Pass nas configurações do Windows

Microsoft colocará anúncios do Game Pass nas configurações do Windows

Microsoft terá uma nova forma de divulgar o Game Pass no Windows 11 (Imagem: Divulgação/Microsoft)

A Microsoft divulgou na sexta-feira (10) uma atualização na qual exibirá anúncios da Game Pass nas configurações. No momento, essa novidade só está disponível na versão de testes do Windows 11 — build 26120.470. Segundo a big tech, o anúncio só será mostrado para usuários que joguem “ativamente” no computador.

A Microsoft explica ainda que essa recomendação (como a empresa chama esse recurso) só será mostrada nas edições Home e Pro do Windows 11. Além disso, é necessário que o usuário esteja logado na conta Microsoft para receber o anúncio. Essa recomendação só aparecerá na tela inicial das configurações — conforme mostrado na imagem de destaque.

Essa atualização foi disponibilizada no canal de Dev do Windows Insider Program. O canal de Dev é o segundo na hierarquia de recebimento de novos recursos. Logo abaixo está o canal Beta, que recebe as ferramentas que estão praticamente prontas para o lançamento oficial.

Anúncio no Menu Iniciar do Windows 11 foi liberado em versão beta do sistema operacional (imagem: PhantomOfEarth/X/Twitter)

Contudo, a própria Microsoft confirma que as novas versões do canal Dev são baseadas no Windows 11 24H2, próxima grande atualização do sistema operacional. O Windows 11 24H2 está previsto para chegar no segundo semestre deste ano.

Anúncios dentro do Windows 11

A atualização de recomendação dentro da página inicial das configurações é mais um passo da Microsoft para incluir anúncios no Windows 11. No fim de abril, uma atualização nas versões de testes do sistema operacional liberou ads no menu Iniciar.

A big tech até chegou a remover as menções dessa novidade em uma última atualização, mas o histórico da Microsoft mostra que ela quer jogar anúncios dentro do Windows. Em 2022 ela deixou escapar alguns anúncios no explorador de arquivo — e jurou que foi acidente.

Existe ainda uma especulação de que a Microsoft estuda baratear o Windows 365, versão do SO em nuvem, através da adoção de anúncios. A big tech pode pegar o exemplo e levar para o Windows 11, barateando a venda da licença do sistema operacional ou fornecendo uma versão gratuita com ads.

Com informações: WCCF Tech e Microsoft
Microsoft colocará anúncios do Game Pass nas configurações do Windows

Microsoft colocará anúncios do Game Pass nas configurações do Windows
Fonte: Tecnoblog

Funciona? Usuário instala Windows 11 em Nintendo Switch e mostra resultado

Funciona? Usuário instala Windows 11 em Nintendo Switch e mostra resultado

Nós já vimos aqui no TC diversos moddings do Nintendo Switch, em que os usuários conseguem transformar completamente o console híbrido para expandir sua usabilidade, mas esta semana, o usuário PatRyk (@Patrosi73) postou no X/Twitter, uma imagem que mostra o dispositivo rodando nada menos que o Windows 11, sistema operacional mais recente da Microsoft. A espera pelo lançamento do Nintendo Switch 2 está insustentável, mas apesar dos inúmeros rumores que circulam na internet a respeito do hardware do dispositivo, a gigante nipônica ainda não fez uma revelação oficial do console e isso ainda deve demorar um tempo para acontecer.

Enquanto isso, os usuários continuam explorando o Switch lançado em 2017, que ainda receberá novos jogos exclusivos. Como uma forma de testar os limites do dispositivo, um usuário decidiu instalar o Windows 11 em seu console para descobrir como o console se comportaria, mas o resultado não foi muito satisfatório. Clique aqui para ler mais

Funciona? Usuário instala Windows 11 em Nintendo Switch e mostra resultado
Fonte: Tudocelular