Blog

O que é a obsolescência programada de eletrônicos? Entenda impactos dessa estratégia

O que é a obsolescência programada de eletrônicos? Entenda impactos dessa estratégia

Obsolescência programada gera impactos sociais, econômicos e ambientais (Imagem: Igor Shimabukuro/Tecnoblog)

A obsolescência programada é uma estratégia da indústria para criar produtos com vida útil reduzida e forçar consumidores a comprarem novas mercadorias de forma acelerada, uma vez que um item antigo se tornará obsoleto.

Essa estratégia atinge a maioria dos setores do mercado, mas é vista principalmente no ramo de eletrônicos de consumo (TVs, celulares e computadores), já que o setor tem grandes aportes de investimento para inovação e desenvolvimento de novas tecnologias.

Como consequência, a obsolescência programada resulta em um grande impacto econômico para a sociedade, uma vez que induz a população a um consumo desenfreado. O fenômeno também gera efeitos negativos para o meio ambiente com o aumento da emissão de gases estufa e do descarte de lixo eletrônico.

A seguir, entenda melhor o que é a obsolescência programada, e confira os impactos e as questões legais dessa prática.

ÍndiceO que é obsolescência programada?Quando surgiu o conceito de obsolescência programada?Quais são os tipos de obsolescência programada?1. Obsolescência artificial2. Obsolescência psicológica3. Obsolescência tecnológica4. Obsolescência legalQuais são os principais exemplos de obsolescência programada?Quais são os impactos da obsolescência programada?Como amenizar os impactos ambientais da obsolescência programada?Obsolescência programada é ilegal?É possível evitar a obsolescência programada?

O que é obsolescência programada?

A obsolescência programada (ou obsolescência planejada) consiste em uma estratégia da indústria para criar produtos com vida útil reduzida, mesmo com tecnologias e conhecimentos suficientes para o desenvolvimento de itens mais duradouros.

O objetivo da obsolescência programada é fazer com que consumidores troquem ou substituam mercadorias de maneira acelerada, o que impulsiona as vendas, estimula a demanda por um produto e, consequentemente, aumenta o lucro das empresas.

Importante destacar que a estratégia de obsolescência programada é vista principalmente na indústria de eletrônicos de consumo, mas também se faz presente em diversos outros setores do mercado.

Quando surgiu o conceito de obsolescência programada?

Registros históricos apontam que o conceito de obsolescência programada foi colocado em prática em dezembro de 1924, quando os principais fabricantes de lâmpadas do mercado se reuniram em Genebra e decidiram reduzir a vida útil das lâmpadas de 2.500 horas para apenas 1.000 horas.

A ideia de criar produtos menos duradouros faria com que as empresas passassem a vender mais e de forma mais frequente, especialmente em um período de forte concorrência no mercado de lâmpadas e sem garantias de vendas estáveis.

Obsolescência programada foi colocada em prática por um cartel de lâmpadas (Imagem: John Cameron/Unsplash)

Mas o primeiro registro do termo “obsolescência programada” só aconteceu em 1932, quando o corretor de imóveis americano Bernard London sugeriu a adoção da estratégia por lei com o objetivo de recuperar os Estados Unidos da crise de 1929.

A proposta de London não virou lei, mas a obsolescência programada passou a ser adotada como estratégia de mercado (em praticamente todos os setores) desde então e perdura até os dias atuais, mesmo com a constante evolução tecnológica.

Quais são os tipos de obsolescência programada?

Por mais que algumas nomenclaturas possam variar, a obsolescência programada pode ser dividida em quatro tipos diferentes, como explica Leonardo Geraldo de Oliveira, professor do Departamento de Tecnologia do Design da UFMG:

1. Obsolescência artificial

A obsolescência artificial (ou programática) ocorre quando há intenção prévia de tornar um produto obsoleto antes mesmo do processo de fabricação. Um bom exemplo da prática é a criação de eletrônicos projetados para falhar após determinado número de ciclos ou tarefas, o que obriga a aquisição de um novo produto.

Outra característica da obsolescência artificial é a limitação para reparo do produto, o que dificulta o conserto de um aparelho com defeito e força o consumidor a adquirir uma nova mercadoria.

2. Obsolescência psicológica

Também conhecida como obsolescência perceptiva ou estética, a obsolescência psicológica é uma estratégia abstrata usada para destacar novas tendências e tornar produtos (ou serviços) antigos menos desejáveis ao enquadrá-los como obsoletos.

Essa estratégia é principalmente vista em atualizações de versões de aparelhos eletrônicos (como updates do iPhone 14 para o iPhone 15), mas também é observada quando uma nova peça de roupa entra na moda ou mesmo quando um aplicativo se encontra com alta demanda.

3. Obsolescência tecnológica

A obsolescência tecnológica (ou funcional) está relacionada à incapacidade de um eletrônico executar determinado software ou sistema operacional por limitações de hardware, como quando um PC não consegue rodar o Windows 11 ou um iPhone não pode baixar o último patch do iOS.

Importante ressaltar que a obsolescência tecnológica não está necessariamente envolvida com a criação de produtos menos duradouros de forma intencional, e pode ser relacionada ao rápido avanço tecnológico que força otimização de hardware e alterações de compatibilidade.

4. Obsolescência legal

Já a obsolescência legal acontece quando normas e regulamentações proíbem o uso de um produto. Exemplos envolvem a proibição de veículos antigos que não atendem aos novos padrões de emissões de gases ou brinquedos descontinuados que traziam riscos à segurança das crianças.

Quais são os principais exemplos de obsolescência programada?

Por mais que a obsolescência programada atinja quase todos os setores do comércio, a prática é vista especialmente na indústria de eletrônicos. Alguns exemplos dessa estratégia envolvem:

Baterias limitadas: smartphones, notebooks e outros eletrônicos modernos tendem a apresentar baterias menos duradouras, estimulando consumidores a comprarem novos aparelhos ou modelos premium;

Vida útil reduzida: é comum que empresas projetem mercadorias que vão apresentar defeitos após um determinado número de ciclos, mesmo que o item não tenha sido danificado ou exposto a situações que comprometam sua durabilidade;

Design unificado: novos smartphones costumam apresentar design de System-on-a-Chip (SoC) único, o que encarece reparos de uma única peça com defeito e, consequentemente, torna a aquisição de novos produtos mais vantajosa;

Limitação de hardware: itens como computadores e notebooks limitam a possibilidade de upgrade de hardware, o que obriga os consumidores a comprarem novas peças atualizadas para otimizar o desempenho dos eletrônicos;

Atualização de software: aplicativos e sistemas operacionais costumam trazer suporte e updates apenas para aparelhos mais recentes, tornando itens mais antigos obsoletos;

Falso alarme de impressoras: algumas impressoras são projetadas para notificar baixos níveis de tinta dos cartuchos, mesmo que eles ainda tenham quantidade de tinta suficiente para mais impressões;

Atualizações de design: empresas podem alterar apenas aspectos de design de um produto para induzir consumidores à compra, mesmo que o item não apresente grandes atualizações de hardware.

Quais são os impactos da obsolescência programada?

A obsolescência programada majoritariamente traz impactos negativos nos âmbitos sociais, econômicos e ambientais. As consequências dessa estratégia envolvem:

Impacto financeiro: produtos menos duradouros vão exigir que consumidores realizem compras de forma muito mais constante, o que impacta negativamente a parcela da população com menos condições;

Impacto ambiental: empresas terão que aumentar a produção de mercadorias para compensar produtos com menor vida útil, o que significa mais geração de gases estufa durante a etapa de manufatura, e mais exploração de minérios e elementos naturais;

Lixo eletrônico: aumentar o fluxo de compras também ascende o descarte de produtos, o que pode elevar a degradação do meio ambiente;

Aumento do consumo: a obsolescência psicológica pode influenciar negativamente consumidores a adquirirem novos produtos apenas para sensação de pertencimento a um grupo ou classe social;

Crescimento econômico: a estratégia da obsolescência programada fomenta o fluxo da economia, embora os lucros fiquem apenas nas mãos de grandes empresas, corporações e cartéis;

Desenvolvimento tecnológico: a necessidade de criar novos produtos em um curto intervalo de tempo faz com que as empresas invistam em pesquisa e inovação para desenvolver melhorias para os consumidores.

Como amenizar os impactos ambientais da obsolescência programada?

A redução de impactos ambientais causados pela obsolescência programada exige uma tríplice colaboração entre governo, indústria e consumidores.

O governo deve criar legislação e normas para regular a produção da indústria e exigir políticas sustentáveis no processo de manufatura. Aliado a isso, as empresas devem ser fiscalizadas para evitar a produção de mercadorias com baixa vida útil, e precisam informar os consumidores sobre a durabilidade de seus produtos.

Lixo eletrônico como consequência da obsolescência programada (Imagem: John Cameron/Unsplash)

Já a indústria deve apostar na incorporação da reciclagem na produção de mercadorias e criar campanhas que auxiliem os consumidores para o descarte correto de lixo eletrônico. Programas de reparo também devem ser considerados de modo a estender a durabilidade de produtos e evitar novas compras desnecessárias.

A população também tem papel fundamental na redução de impactos ambientais ao aderir o consumo consciente. Os indivíduos ainda devem fazer o descarte correto de celulares e outros dispositivos eletrônicos, e fomentar o mercado secundário para o reaproveitamento de itens usados.

Obsolescência programada é ilegal?

O entendimento sobre a legalidade da obsolescência programada varia de acordo com as leis e regulamentações sobre o tema de cada país. Mas diversas nações contam com regras em prol do consumidor para combater essa prática.

A França se destaca no combate à obsolescência planejada, com aplicação de multas e pedidos de prisão para quem reduzir a vida útil de produtos de forma proposital. Itália e a União Europeia como um todo também têm regras para proteger os consumidores da prática.

No Brasil, ainda não existe uma lei específica sobre a obsolescência programada. Contudo, os artigos 18 e 32 do Código de Defesa do Consumidor (CDC) exigem garantias de peças de reposição e responsabilizam empresas por vícios de qualidade, respectivamente.

Importante mencionar que essas leis e regulamentações específicas já renderam multas a empresas como Apple e Samsung, acusadas de diminuir a vida útil de seus produtos via atualizações de software.

É possível evitar a obsolescência programada?

O cenário mais provável seria apenas reduzir práticas de obsolescência programada, com um esforço conjunto de governos, indústria e consumidores.

Para isso, governos teriam de endurecer regulamentações e punir empresas que reduzam a vida útil de produtos propositalmente ou dificultam ofertas para reposição de peças, o que estenderia a durabilidade das mercadorias.

Já empresas precisariam apostar em design sustentável para seus produtos, modificar as ações de marketing que induzem compras desenfreadas, estender garantia de reparo e peças de reposição, além de ampliar a compatibilidade de atualização de softwares para aparelhos mais antigos.

A população, por sua vez, teria que adotar o consumo consciente para diminuir a produção de lixo eletrônico e reduzir a demanda por lançamentos de novos produtos no mercado.
O que é a obsolescência programada de eletrônicos? Entenda impactos dessa estratégia

O que é a obsolescência programada de eletrônicos? Entenda impactos dessa estratégia
Fonte: Tecnoblog

Apple remove VPNs da App Store russa após pedido do governo

Apple remove VPNs da App Store russa após pedido do governo

Apple atende demanda da agência de telecomunicação da Rússia e remove VPNs da App Store no país (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

A Apple removeu alguns serviços de VPN da sua App Store na Rússia. Conforme a carta enviada para as empresas afetadas, a exclusão dos aplicativos foi exigida pela Roskomnadzor, agência de comunicação do país, com atribuições parecidas com as da Anatel. O uso de VPNs não é proibido no país, mas as provedoras precisam bloquear o acesso aos sites banidos pelo governo.

A Red Shield VPN, uma dos serviços removidos da App Store russa, divulgou a carta enviada pela Apple. No documento, a big tech relata que a Roskomnadzor exigiu a remoção com base no item 7 do artigo 15.1 da Lei Federal n.º 149.

Email enviado pela Apple para os VPNs removidos da App Store na Rússia (Imagem: Reprodução/Red Shield VPN/TechCrunch)

O item 7 obriga um provedor a remover um site ou serviço que entra na lista de páginas proibidas pela Roskomnadzor. Contudo, não é informado qual o motivo do banimento das VPNs no país. O provável é que os 25 serviços removidos da App Store seguiam permitindo o acesso a sites proibidos na Rússia.

O Facebook e o Instagram, por exemplo, foram bloqueados no país. A razão disso foi a declaração da Meta de que não baniria usuários que publicassem mensagens violentas contra Vladimir Putin, Alyaksandr Lukashenka (presidente da Bielorrússia, nome transliterado do bielorrusso) e o exército russo. Em fevereiro, alguns usuários na Rússia relataram que retomaram o acesso ao Instagram.

Com esse bloqueio, o uso de VPNs é necessário para que usuários da Rússia entrem nas redes sociais da Meta. Além disso, jornais independentes e críticos ao governo de Vladmir Putin, como o Novaya Gazeta e Meduza, só podem ser acessados por esses serviços.

VPNs restringidas, mas usadas pelo governo

Após a invasão à Ucrânia, o governo russo transformou em crime o ato de indicar VPNs — e navegadores para acessar a deep web. Contudo, órgãos governamentais dependem do uso desses serviços para acessar plataformas bloqueadas pelas sanções internacionais.

Depois do início da guerra, a Rússia saltou da posição 45ª para 8ª no ranking de países que mais baixaram VPNs. HideMyName e Le VPN foram outros serviços banidos da App Store. Até o momento, a Apple não se pronunciou sobre o caso.

Com informações: TechCrunch
Apple remove VPNs da App Store russa após pedido do governo

Apple remove VPNs da App Store russa após pedido do governo
Fonte: Tecnoblog

POCO M6 Plus 5G é listado no Geekbench e pode ser lançado em breve

POCO M6 Plus 5G é listado no Geekbench e pode ser lançado em breve


Atualização (09/07/2024) – RS
O Redmi 13 5G foi anunciado hoje (9) em território indiano e também já temos algumas informações sobre o seu irmão, o POCO M6 Plus 5G. Nesse sentido, o modelo de entrada foi listado no Geekbench e, com isso, podemos ver que ele terá mesmo características parecidas com o aparelho da Redmi.

Recentemente, vale destacar que o celular foi listado no Google Play Console, o que também revelou alguns de seus detalhes. Um deles foi o número de modelo 24066PC95I, que é exatamente o mesmo que apareceu na nova listagem. Portanto, é natural deduzir que se trata do mesmo smartphone.Clique aqui para ler mais

POCO M6 Plus 5G é listado no Geekbench e pode ser lançado em breve
Fonte: Tudocelular

MediaTek cresce rápido e reduz participação da Qualcomm no mercado de celulares com 5G

MediaTek cresce rápido e reduz participação da Qualcomm no mercado de celulares com 5G

A MediaTek observou um crescimento acelerado no mercado de smartphones compatíveis com a rede 5G, segundo pesquisa divulgada pela Omdia. Entre os primeiros trimestres de 2023 e 2024, a fabricante taiwanesa ampliou sua participação de mercado de 22,8% para 29,2%, alcançando a marca de 53 milhões de unidades vendidas.

No mesmo período, a Qualcomm registrou uma expansão mais lenta no segmento de celulares com 5G, aumentando suas remessas de 47,2 milhões para 48,3 milhões. Isso fez com que o market share da fabricante estadunidense caísse de 31,2% para 26,5%, ficando abaixo da MediaTek e Apple, porém com quase o triplo de remessas da Samsung.As remessas das demais fabricantes de hardware que ficam abaixo do pódio — incluindo a Samsung, Google, HiSilicon (Huawei) e Unisoc — respondem por 17%, combinadas. Essa participação representa um aumento discreto em comparação ao ano de 2023, uma vez que foi impulsionada pelo crescimento da demanda por celulares da Huawei na China.Clique aqui para ler mais

MediaTek cresce rápido e reduz participação da Qualcomm no mercado de celulares com 5G
Fonte: Tudocelular

One UI 7 baseada no Android 15 já está em desenvolvimento para o Galaxy S23 Ultra

One UI 7 baseada no Android 15 já está em desenvolvimento para o Galaxy S23 Ultra

A Samsung já iniciou o desenvolvimento da One UI 7 para alguns dos seus celulares. O modelo listado hoje com a nova versão do sistema é o Galaxy S23 Ultra, que apareceu no Geekbench com a atualização baseada no Android 15. Antes dele, também vimos o Galaxy S24 Plus na mesma plataforma.A novidade foi encontrada no Geekbench pelo usuário Tarun Vats do Twitter (agora X). A ficha mostra claramente que o Galaxy S23 Ultra está rodando um sistema baseado no Android 15, que é a One UI 7.0, pois a One UI 6.1 ainda é baseada no Android 14.

O modelo listado é o SM-918U, que é a versão bloqueada para algumas operadoras dos Estados Unidos.O Samsung Galaxy S23 Ultra está disponível na Magazine Luiza por R$ 3.999. O custo-benefício é médio e esse é o melhor modelo nessa faixa de preço. Para ver as outras 58 ofertas clique aqui. (atualizado em 09 de July de 2024, às 09:58)Clique aqui para ler mais

One UI 7 baseada no Android 15 já está em desenvolvimento para o Galaxy S23 Ultra
Fonte: Tudocelular

Mesmo sendo o console mais vendido, PS5 registra queda significativa nas vendas

Mesmo sendo o console mais vendido, PS5 registra queda significativa nas vendas

Nos últimos meses, mais precisamente em maio deste ano, o PlayStation 5 conseguiu a proeza de ser o console mais vendido nas Américas. Em comparação com o ano passado, podemos notar uma queda considerável nas vendas do videogame da Sony e essa queda pode aumentar, caso a empresa não mude suas estratégias.

O PS5 conseguiu comercializar 289.885 unidades, o que por sua vez permitiu a marca alcançar 24,31 milhões de unidades vendidas nas Américas, e se consolidou como mais vendido de maio. Contudo, ao olharmos para maio do ano passado, o console vendeu menos de 33.536 unidades, um número que representa uma queda de 10% ano a ano.Mas maio não é o único mês que mostra uma queda para o PS5, pois ao compararmos com mês de abril de 2023, vemos que o console vendeu 16 mil unidades a menos. Essas quedas podem ser um reflexo da ausência de lançamentos exclusivos consideráveis para o console, que a Sony tem buscado melhorar, mas não nesse ano.Clique aqui para ler mais

Mesmo sendo o console mais vendido, PS5 registra queda significativa nas vendas
Fonte: Tudocelular

iPhone 16 pode trazer um retorno estrondoso para a Apple

iPhone 16 pode trazer um retorno estrondoso para a Apple

Já sabemos que o mês de setembro é o “tapete vermelho” para a nova linha de celulares da Apple, mas parece que a linha iPhone 16, que chega este ano, pode ser um grande ponto de virada para a gigante de Cupertino.

Segundo a firma de investimentos Wedbush, a Apple está esperando por um aumento exponencial nas vendas com o lançamento da linha iPhone 16. Os analistas preveem uma demanda “monumental” e um “ciclo de atualização massivo” motivado pelos novos recursos de AI (Apple Intelligence). Nos últimos anos, os iPhones da Apple se tornaram piada por conta da falta de inovação em termos de design e até mesmo por terem hardwares bem similares, mas tudo pode mudar com a chegada da nova linha iPhone 16. Ainda que tudo indique que não teremos grandes novidades em termos de design, a nova linha terá como grande novidade os recursos de Inteligência Artificial (chamados pela empresa de Apple Intelligence). O Apple iPhone 15 Pro está disponível na Mercadolivre por R$ 6.262. O custo-benefício é médio mas esse é o melhor modelo nessa faixa de preço. O Apple iPhone 15 Plus está disponível na Amazon por R$ 5.699. O custo-benefício é bom e esse é o melhor modelo nessa faixa de preço. O Apple iPhone 15 está disponível na Mercadolivre por R$ 4.545. O custo-benefício é ótimo e esse é o melhor modelo nessa faixa de preço. O Apple iPhone 15 Pro Max está disponível na Mercadolivre por R$ 7.157. O custo-benefício é médio mas esse é o melhor modelo nessa faixa de preço. (atualizado em 09 de July de 2024, às 11:00)Clique aqui para ler mais

iPhone 16 pode trazer um retorno estrondoso para a Apple
Fonte: Tudocelular

Como ver os Status do WhatsApp anonimamente

Como ver os Status do WhatsApp anonimamente

Saiba como ver Status do WhatsApp sem ser visto (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

É possível ver Status do WhatsApp anonimamente ao desativar as “Confirmações de leitura” nas configurações de privacidade do aplicativo. Com isso, o mensageiro não mostrará que você viu a atualização da pessoa.

Essa função também impede que as pessoas saibam quando você leu as mensagens, deixando de exibir o tique azul nas conversas. O recurso de confirmação de leitura é sincronizado com todos os dispositivos, incluindo o WhatsApp Web e o WhatsApp Desktop.

Confira o passo a passo para ver status sem a pessoa saber em celulares Android e iPhone.

Índice1. Acesse as configurações do WhatsApp2. Toque em “Privacidade” do WhatsApp3. Desabilite o recurso “Confirmações de leitura”4. Abra a aba “Atualizações” para ver os Status5. Toque em uma atualização para ver Status privado no WhatsAppO modo avião funciona para ver o Status do WhatsApp sem a pessoa saber?O que acontece se eu mantiver a confirmação de leitura desativada no WhatsApp?Consigo saber se alguém viu meu Status do WhatsApp anonimamente?

1. Acesse as configurações do WhatsApp

Abra o WhatsApp no seu celular e acesse as configurações do aplicativo:

No iPhone (iOS): toque no ícone de engrenagem, no canto inferior direito da tela;

No Android: toque no ícone de três pontos, no canto superior direito, e selecione “Configurações”.

Acessando as configurações do WhatsApp (Imagem: Reprodução/WhatsApp)

2. Toque em “Privacidade” do WhatsApp

Toque na opção “Privacidade” para ver mais configurações do app de mensagens. Entre elas, como desabilitar a confirmação de leitura para ver status do WhatsApp anonimamente.

Abrindo o menu “Privacidade” do WhatsApp (Imagem: Reprodução/WhatsApp)

3. Desabilite o recurso “Confirmações de leitura”

No menu “Privacidade”, toque na chave ao lado da opção “Confirmações de leitura” para desativar a função e, assim, ver Status do WhatsApp sem a pessoa saber.

Desabilitando o recurso “Confirmações de leitura” (Imagem: Reprodução/WhatsApp)

4. Abra a aba “Atualizações” para ver os Status

Volte para a lista de conversas e toque na aba “Atualizações”, no canto inferior da tela, para ver os Status do WhatsApp escondido dos seus contatos no mensageiro.

Abrindo a aba “Atualizações” (Imagem: Reprodução/WhatsApp)

5. Toque em uma atualização para ver Status privado no WhatsApp

Escolha um dos Status publicados pelos seus contatos nas últimas 24 horas e toque em cima para ver de forma anônima.

Abrindo um Status para ver anonimamente (Imagem: Reprodução/WhatsApp)

O modo avião funciona para ver o Status do WhatsApp sem a pessoa saber?

Sim, você pode abrir a aba “Atualizações” e, em seguida, ativar o Modo Avião do celular para ver o Status do WhatsApp anonimamente. Contudo, nem todos os vídeos ou fotos carregarão por completo ao usar o app sem internet. Por isso, o método de desativar a confirmação de leitura é o mais recomendado.

O que acontece se eu mantiver a confirmação de leitura desativada no WhatsApp?

Desativar o recurso “Confirmações de leitura” traz mais controle para a privacidade do WhatsApp. Por exemplo:

Status: você pode ver os Status de outras pessoas de forma anônima, mas não é possível saber quem viu seu Status do WhatsApp;

Mensagens: seus contatos não saberão se você leu as mensagens deles, pois os tiques azuis de leitura são removidos. Porém, você também não saberá se as pessoas abriram as suas mensagens;

Grupos e áudios: as confirmações de leitura ainda funcionam em grupos e para mensagens de voz mesmo quando o recurso estiver desativado. Os tiques azuis de leitura serão exibidos quando as mensagens forem lidas ou ouvidas.

Consigo saber se alguém viu meu Status do WhatsApp anonimamente?

Não há como saber se uma pessoa viu seu Status do WhatsApp anonimamente. O app prioriza a privacidade dos usuários e por isso não disponibiliza ferramentas para ver quem visualizou o seu status, caso a pessoa tenha optado por desabilitar a confirmação de leitura.
Como ver os Status do WhatsApp anonimamente

Como ver os Status do WhatsApp anonimamente
Fonte: Tecnoblog

Como excluir um grupo do WhatsApp pelo celular ou PC

Como excluir um grupo do WhatsApp pelo celular ou PC

Veja o passo a passo para excluir um grupo do WhatsApp pelo celular ou PC (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Você pode excluir um grupo no WhatsApp sendo o dono ou o administrador da conversa. É necessário remover todos os participantes para conseguir sair do grupo e, depois, apagar o bate-papo definitivamente.

Quando você apaga um grupo do WhatsApp, o chat desaparece da lista de conversas de forma irreversível. Do outro lado, os membros removidos da conversa serão notificados e ainda poderão ver o histórico de mensagens, mas não terão a opção de realizar novas interações.

Veja como excluir um grupo do WhatsApp no aplicativo para celulares Android e iPhone, ou pelo PC, usando o WhatsApp Web e WhatsApp Desktop.

ÍndiceComo excluir um grupo do WhatsApp pelo celular1. Acesse o grupo que será excluído do WhatsApp2. Toque no nome do grupo para ver os dados da conversa3. Toque sobre o nome de cada participante4. Selecione “Remover”5. Confirme a remoção do membro do grupo6. Toque em “Sair do grupo” do WhatsApp7. Confirme a saída do grupo8. Selecione o grupo que você irá excluir do WhatsApp9. Escolha a opção para fechar um grupo do WhatsApp10. Toque em “Apagar grupo” do WhatsAppComo excluir um grupo do WhatsApp pelo PC1. Acesse os dados do grupo do WhatsApp2. Clique no nome do contato que será removido da conversa3. Clique em “Remover” do grupo do WhatsApp4. Selecione “Sair do grupo” do WhatsApp5. Clique em “Apagar grupo” do WhatsAppPor que não consigo excluir um grupo do WhatsApp?Dá para excluir um grupo do WhatsApp sem remover os membros?Posso excluir um grupo do WhatsApp para outras pessoas sem ser o dono?É possível recuperar um grupo apagado do WhatsApp?

Como excluir um grupo do WhatsApp pelo celular

Para excluir uma conversa em grupo pelo celular, abra o WhatsApp no dispositivo móvel e siga o passo a passo abaixo. As capturas de tela mostram o procedimento no iOS (à esquerda) e no Android (à direita).

1. Acesse o grupo que será excluído do WhatsApp

Toque sobre o nome do grupo na lista de conversas para acessa-lo. Certifique-se de escolher um grupo do qual você é administrador.

Acessando o grupo que será excluído do WhatsApp (Imagem: Reprodução/WhatsApp)

2. Toque no nome do grupo para ver os dados da conversa

Com a conversa aberta, toque novamente no nome do grupo do WhatsApp, na parte superior da tela, para ver mais opções.

Abrindo o menu “Dados do grupo” do WhatsApp (Imagem: Reprodução/WhatsApp)

3. Toque sobre o nome de cada participante

Desça a tela até ver a seção “Membros” e, depois, segure o toque em cima do contato que você irá remover do grupo até abrir um submenu.

Importante: essa ação deve ser feita manualmente com cada um dos membros do chat antes de desfazer um grupo do WhatsApp.

Selecionando o contato que será removido do grupo (Imagem: Reprodução/WhatsApp)

4. Selecione “Remover”

Ao abrir o submenu, toque na opção para remover o contato do grupo para avançar:

No iPhone (iOS): toque em “Remover do grupo”;

No Android: toque em “Remover [nome do participante]”.

Removendo um contato do grupo do WhatsApp (Imagem: Reprodução/WhatsApp)

5. Confirme a remoção do membro do grupo

Confirme a remoção da pessoa do grupo:

No iPhone (iOS): toque na opção “Remover”;

No Android: toque na opção “OK”.

Confirmando a remoção do contato do grupo (Imagem: Reprodução/WhatsApp)

6. Toque em “Sair do grupo” do WhatsApp

Após remover todos os membros da conversa, toque na opção “Sair do grupo”.

Saindo do grupo do WhatsApp (Imagem: Reprodução/WhatsApp)

7. Confirme a saída do grupo

Na janela pop up, confirme que você deseja sair do grupo:

No iPhone (iOS): toque na opção “Sair do grupo”;

No Android: toque na opção “Sair”.

Confirmando a saída do grupo (Imagem: Reprodução/WhatsApp)

8. Selecione o grupo que você irá excluir do WhatsApp

Volte para a lista de conversas do WhatsApp e segure o toque em cima do grupo que você vai apagar até abrir um novo submenu.

Selecionando o grupo que será excluído do WhatsApp (Imagem: Reprodução/WhatsApp)

9. Escolha a opção para fechar um grupo do WhatsApp

Faça a seguinte ação para apagar o grupo do WhatsApp:

No iPhone (iOS): selecione a opção “Apagar grupo”, no menu pop up;

No Android: toque no ícone de lixeira, no canto superior da tela.

Excluindo o grupo do WhatsApp (Imagem: Reprodução/WhatsApp)

10. Toque em “Apagar grupo” do WhatsApp

Por fim, toque na opção “Apagar Grupo” para encerrar a conversa em grupo no WhatsApp.

Confirmando a exclusão do grupo (Imagem: Reprodução/WhatsApp)

Como excluir um grupo do WhatsApp pelo PC

Para apagar um grupo do WhatsApp pelo PC, abra o WhatsApp Web ou aplicativo do WhatsApp para Mac ou Windows, e siga os passos abaixo.

1. Acesse os dados do grupo do WhatsApp

Toque sobre um grupo na sua lista de conversas e, depois, clique no nome da conversa, na parte superior da tela, para ver mais detalhes. Lembre-se que é preciso ser administrador do grupo para concluir o procedimento.

Acessando o menu “Dados do grupo” (Imagem: Reprodução/WhatsApp)

2. Clique no nome do contato que será removido da conversa

No menu “Dados do grupo”, desça a tela até encontrar a opção “Membros”. Então, clique com o botão direito do mouse em cima do contato que será removido do grupo para abrir um submenu de opções.

Importante: repita o procedimento com cada um dos integrantes antes de excluir o grupo do WhatsApp.

Selecionando o contato que será excluído do grupo (Imagem: Reprodução/WhatsApp)

3. Clique em “Remover” do grupo do WhatsApp

Clique na opção “Remover” no submenu do WhatsApp. Em seguida, na janela pop up, clique novamente em “Remover” para concluir.

Excluindo o contato do grupo do WhatsApp (Imagem: Reprodução/WhatsApp)

4. Selecione “Sair do grupo” do WhatsApp

Depois da remoção de todos os membros, selecione a opção “Sair do grupo”. Então, confirme a ação clicando no botão “Sair do grupo”.

Saindo do grupo do WhatsApp (Imagem: Reprodução/WhatsApp)

5. Clique em “Apagar grupo” do WhatsApp

Clique na opção “Apagar grupo”, na parte inferior da tela. Em seguida, na janela pop up, clique novamente em “Apagar grupo” para encerrar o grupo do WhatsApp pelo computador.

Apagando o grupo do WhatsApp (Imagem: Reprodução/WhatsApp)

Por que não consigo excluir um grupo do WhatsApp?

Há alguns pontos que impedem a exclusão de um grupo do WhatsApp. Os mais comuns são:

Não ser administrador: apenas quem criou ou foi nomeado administrador pode remover os membros e, depois, apagar o grupo no aplicativo de mensagens;

Membros ativos: todos os participantes do grupo devem ser removidos antes da exclusão da conversa;

Não sair do grupo: você também precisa sair do grupo do WhatsApp antes de excluir a conversa completa.

Dá para excluir um grupo do WhatsApp sem remover os membros?

Não. Você precisa remover os membros do grupo do WhatsApp antes de excluir a conversa porque o aplicativo não permite que um administrador apague um grupo com participantes ativos.

Posso excluir um grupo do WhatsApp para outras pessoas sem ser o dono?

Não. Somente os criadores do grupo ou pessoas nomeadas administradores têm a opção de remover os participantes e excluir a conversa coletiva do WhatsApp. Os outros participantes podem optar por sair do grupo e excluir o chat apenas para eles.

É possível recuperar um grupo apagado do WhatsApp?

Não dá para recuperar um grupo apagado do WhatsApp. Você apenas poderá acessar as mensagens antigas do grupo ao restaurar o backup do WhatsApp, mas não poderá enviar mensagens ou adicionar novamente os participantes.

Nesses casos, a solução é criar outro grupo no WhatsApp após a exclusão da antiga conversa. Além disso, você precisa convidar todos os membros novamente para o grupo no mensageiro.
Como excluir um grupo do WhatsApp pelo celular ou PC

Como excluir um grupo do WhatsApp pelo celular ou PC
Fonte: Tecnoblog

Tecnoblog estreia Tecnochat – assistente de IA que responde dúvidas sobre tecnologia

Tecnoblog estreia Tecnochat – assistente de IA que responde dúvidas sobre tecnologia

Tecnoblog estreia Tecnochat – assistente de IA que responde dúvidas sobre tecnologia (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

O Tecnoblog recebe diariamente centenas de milhares de visitantes que desejam sanar dúvidas sobre tecnologia. Pode ser desde coisa muito simples até questionamentos bastante complicados. No TB Responde, mapeamos essas perguntas e oferecemos explicações da forma mais completa possível. No entanto, ainda assim existem questionamentos muito específicos.

A partir de agora (mais especificamente, desde o dia 21/06), passamos a contar com a inteligência artificial para que ninguém saia do site sem ser atendido. Esta IA – apelidada de Tecnochat – foi alimentada com nosso próprio conteúdo sobre tecnologia, negócios e inovação. Estamos falando de informação correta e apurada, em tutoriais testados pela nossa redação.

Com esta novidade, incluímos a inteligência artificial generativa no maior site independente de tecnologia do país. Ela irá beneficiar os mais de 12 milhões de usuários que acessam nossas páginas todos os meses.

Como funciona o Tecnochat?

Screenshot de uma conversa com o Tecnochat. (Imagem: Thiago Mobilon / Tecnoblog)

Nossa IA utiliza as tecnologias mais recentes de machine learning e processamento de linguagem natural para oferecer respostas precisas e personalizadas. E o melhor de tudo: é totalmente grátis. O leitor não precisa nem sequer fazer login. Basta rolar até o final de uma matéria da editoria TB Responde para visualizar o chat. Ele está sempre pronto para te ajudar.

Além de ser treinada com todos os conteúdos do Tecnoblog, nossa IA também entende o contexto da matéria que está sendo acessada. É possível fazer perguntas sequenciais sobre aquele mesmo tema, sem a necessidade de explicá-lo.

Visão do Tecnoblog sobre o uso de inteligência artificial

Já utilizamos ferramentas de IA em diversos processos do TB, como edição de conteúdo audiovisual, revisão de textos e geração de resumos para matérias. Em todos os casos, sempre com supervisão humana. O Tecnochat chega para somar e ampliar esta iniciativa.

Continuaremos pensando em novas formas de integrar a tecnologia nas rotinas da empresa, sempre com o intuito de melhorar a produtividade do nosso time e de elevar a já reconhecida qualidade dos conteúdos que publicamos – seja no site, nos nossos perfis sociais, nos canais de WhatsApp e onde mais for relevante.

Estamos muito empolgados com o lançamento do Tecnochat porque acreditamos que ele ajudará muitas pessoas nas suas dúvidas sobre tecnologia! Mal podemos esperar pra saber a opinião de vocês. Experimente agora mesmo, basta acessar qualquer matéria do TB Responde e nos enviar seu feedback aqui nos comentários.
Tecnoblog estreia Tecnochat – assistente de IA que responde dúvidas sobre tecnologia

Tecnoblog estreia Tecnochat – assistente de IA que responde dúvidas sobre tecnologia
Fonte: Tecnoblog