Category: Google

Android 15: celulares terão nova proteção contra ataques via cabos USB

Android 15: celulares terão nova proteção contra ataques via cabos USB

O Google deve lançar o Android 15 para todos em agosto ou setembro de 2024, mas algumas novidades já foram reveladas em compilações beta. Uma delas é a nova proteção contra ataques via USB identificada e relatada pelo Android Authority em linhas de código do Android 15 Beta 2.2.Os ataques via USB são chamados de “juice jacking” e se aproveitam de que a maioria dos celulares não filtra dados enviados por acessórios como cabos e carregadores. Neste caso, o acessório envia um código malicioso para invadir e comandar o aparelho remotamente.

Entretanto, o sistema Android ganhará uma barreira adicional contra estas invasões, pois no Android 15 Beta 2.2 é necessário inserir um PIN, padrão ou código de desbloqueio para permitir que a depuração ADB via USB seja ativada se for solicitada por um acessório.Clique aqui para ler mais

Android 15: celulares terão nova proteção contra ataques via cabos USB
Fonte: Tudocelular

Google lança no Brasil ferramenta que remove dados pessoais das buscas

Google lança no Brasil ferramenta que remove dados pessoais das buscas

Vice-Presidente Global de Segurança e Privacidade do Google apresenta novas soluções de segurança durante Google for Brasil 2024 (Imagem: Ana Marques/Tecnoblog)

No evento Google for Brasil, realizado nesta terça-feira (11), a companhia anunciou a ferramenta “Privacidade nos resultados para você”. Com ela, usuários do Google no Brasil podem solicitar que o buscador remova dados pessoais que aparecem nos resultados das pesquisas, como endereço residencial, número de telefone e e-mail.

Esse é um recurso de privacidade importante, afinal, não é raro que dados pessoais fiquem expostos na web. A liberação dessas informações pode ocorrer sob uma série de circunstâncias, como quando a pessoa participa de um concurso público, está envolvida em processos judiciais ou é vítima de vazamento de dados.

Com a ferramenta “Privacidade nos resultados para você”, é possível solicitar que o Google remova informações pessoais de contato, bem como notifique o usuário quando novas páginas com esses dados surgirem nas pesquisas.

Até o final do ano, o Google também permitirá que a remoção de dados pessoais inclua números de documentos oficiais, como CPF, CNH e passaporte. A empresa destaca que o Brasil será um dos primeiros países a permitir que o usuário solicite a remoção de dados de documentos de identificação nos resultados.

Ferramenta Privacidade nos resultados para você (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Royal Hansen, do Google, ressalta a importância desse mecanismo:

Nossos produtos são pensados tendo privacidade no centro, desde o início do seu desenvolvimento. Além disso, através de nossas práticas de gerenciamento de dados, oferecemos aos nossos usuários o controle de suas informações.

É claro que remover estas informações da Busca não as remove da internet, mas este é um passo importante para ajudar a proteger as pessoas online.

Royal Hansen, vice-presidente global de privacidade e segurança do Google

Como remover dados pessoais das buscas do Google

Basta acessar a página Privacidade nos resultados sobre você. No celular, acesse o aplicativo do Google, toque na sua foto de perfil e vá em “Privacidade nos resultados sobre você”.

Versão do Privacidade nos resultados para você no celular (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Depois, vá em “Começar agora”. Você será instruído a informar dados pessoais como nome, endereço residencial, número de telefone e e-mail. Todas essas informações podem ser adicionadas mais de uma vez. Assim, você pode informar o seu endereço residencial atual e o antigo, por exemplo.

O Google verificará se esses dados estão disponíveis na web. Os resultados encontrados serão mostrados a você. Basta tocar no ícone com três pontos ao lado do resultado e selecionar “Remover”. O buscador excluirá essa informação dos resultados, desde que ela esteja de acordo com os critérios de remoção do serviço.

Vale reforçar o recado de Royal Hansen: o pedido de remoção faz as informações pessoais deixarem de ser exibidas no buscador, mas as páginas que contêm esses dados continuam existindo.
Google lança no Brasil ferramenta que remove dados pessoais das buscas

Google lança no Brasil ferramenta que remove dados pessoais das buscas
Fonte: Tecnoblog

Google Chrome fica 72% mais rápido em dois anos e quebra recorde em benchmark, segundo teste

Google Chrome fica 72% mais rápido em dois anos e quebra recorde em benchmark, segundo teste

O Google Chrome conquistou um novo recorde de desempenho e está 72% mais rápido do que era em 2022, segundo testes realizados desde o lançamento da versão 101 do navegador utilizando o Speedometer 3.

Conforme publicado no blog oficial do Chromium na quinta-feira (06), o Google Chrome 101 alcançava de 21 a 22 pontos no Speedometer 3. Já a versão 127 — que está em fase de testes no canal Dev — chegou perto de 40 pontos. Esta é a maior pontuação já alcançada por um navegador no benchmark.Thomas Nattestad, diretor de produto do Google Chrome, escreve que a plataforma de benchmarks ajudou a identificar áreas em que o navegador poderia ser otimizado para ficar mais rápido. “Conseguimos fazer otimizações direcionadas para cada recurso, o que ajudou a aumentar a pontuação do Chrome”, disse.Clique aqui para ler mais

Google Chrome fica 72% mais rápido em dois anos e quebra recorde em benchmark, segundo teste
Fonte: Tudocelular

Google compra empresa que faz apps do Windows rodarem no ChromeOS

Google compra empresa que faz apps do Windows rodarem no ChromeOS

Software virtualizado no ChromeOS via Cameyo (imagem: divulgação/Google)

Vez ou outra a Alphabet, companhia que controla o Google, compra outras empresas para absorver tecnologia. A mais recente aquisição com esse propósito é a da Cameyo, startup especialista em virtualização. O negócio deve ajudar o ChromeOS a executar softwares desenvolvidos originalmente para Windows.

É uma estratégia interessante. O ChromeOS é o sistema operacional padrão dos laptops Chromebook, que são tradicionalmente comercializados como opções mais baratas em relação a notebooks com Windows.

Existe ainda uma versão do sistema operacional chamada ChromeOS Flex que pode ser instalada em computadores projetados para rodar um sistema operacional da Microsoft.

O ChromeOS é fácil de usar, costuma ser leve mesmo em computadores com hardware modesto e é integrado aos serviços do Google. Mas não é incomum usuários domésticos ou corporativos sentirem falta de ferramentas disponíveis no Windows durante o uso do ChromeOS. É aí que a tecnologia da Cameyo pode ajudar.

Virtualização de apps sem aborrecimentos

A startup foi criada com o intuito de desenvolver um sistema que virtualiza aplicativos para Windows em computadores que não rodam esse sistema operacional.

A tecnologia da Cameyo segue a estratégia de disponibilizar aplicativos virtualizados por meio das nuvens, sejam elas públicas ou privadas. Isso significa que os apps podem ser acessados até via navegador de internet.

ChromeOS mais Cameyo (imagem: divulgação/Google)

Foco em organizações

De acordo com Andrew Miller, CEO da Cameyo, a aquisição da startup pela Alphabet vai permitir que organizações que utilizam o ChromeOS tenham mais facilidade para utilizar aplicativos que não foram desenvolvidos originalmente para a plataforma.

O objetivo é permitir que essa abordagem seja feita sem que o usuário enfrente problemas de desempenho ou até de segurança. Miller complementa:

Ao combinar o poder do ChromeOS com a inovadora tecnologia de entrega de aplicativos virtuais da Cameyo, estamos ajudando empresas a modernizar a sua infraestrutura de TI enquanto elas preservam seus investimentos em softwares já existentes.

Andrew Miller, CEO da Cameyo

Não está claro quando ou se a Alphabet pretende levar a tecnologia da Cameyo para o segmento de usuários domésticos do ChromeOS. Seria ótimo se isso acontecesse. Mas, por ora, a companhia está mais preocupada em fortalecer a plataforma nos ambientes corporativos e educacionais, onde o ChromeOS tem mais chances de se consolidar.

Nenhuma das partes revelou quanto a Cameyo custou para a Alphabet.
Google compra empresa que faz apps do Windows rodarem no ChromeOS

Google compra empresa que faz apps do Windows rodarem no ChromeOS
Fonte: Tecnoblog

NotebookLM: ferramenta de anotações com IA do Google já funciona no Brasil

NotebookLM: ferramenta de anotações com IA do Google já funciona no Brasil

NotebookLM (imagem: reprodução/Google)

O Google anunciou o NotebookLM em julho de 2023 como uma ferramenta que usa inteligência artificial (IA) para resumir textos, filtrar informações, criar índices, entre outras ações relacionadas a documentos. Esse “bloco de notas inteligente” estava disponível só nos Estados Unidos, mas acaba de ser liberado em escala global.

Isso significa que você já pode usar o NotebookLM de modo oficial no Brasil, com suporte a português, e em vários outros países. De acordo com o Google, esse “liberou geral” acontece depois de a ferramenta ter sido integrada ao Gemini 1.5 Pro, o mais avançado modelo de IA criado pela companhia até o momento.

O que você pode fazer com o NotebookLM

O NotebookLM é uma ferramenta que auxilia a rotina de estudantes, professores, jornalistas ou de qualquer pessoa que precisa lidar com textos. A ideia é permitir que, no meio de uma grande quantidade de dados, você possa usar a IA para extrair ou organizar as informações que lhe são mais relevantes.

Nesse sentido, você pode usar o NotebookLM para tarefas como (mas não somente):

resumir um documento em PDF ou em outro formato;

criar um índice que te permita acessar facilmente pontos específicos do documento;

gerar estatísticas ou análises com base em planilhas;

criar guias de estudos ou listas de perguntas frequentes (FAQs);

converter textos em formatos adequados para newsletter, e-mail ou apresentações.

A ferramenta ganhou melhorias

Além da expansão global, o Google anunciou alguns aprimoramentos interessantes para o NotebookLM. Para começar, agora a ferramenta oferece suporte a uma variedade maior de fontes de pesquisa, como apresentações no Google Slides e endereços na web.

O NotebookLM também já é capaz de gerar resultados a partir de fotos, gráficos e diagramas, e não somente texto. Mérito dos recursos multimodais do Gemini 1.5 Pro, explica o Google.

As já mencionadas capacidades de gerar FAQs ou guias de estudos também são recursos aprimorados recentemente.

NotebookLM (imagem: reprodução/Google)

Como usar o NotebookLM

Você só precisa acessar o site do NotebookLM. É necessário ter uma conta no Google para utilizar a ferramenta. Feito isso, clique em “Novo notebook” e faça upload de um documento para começar. Depois, basta seguir as orientações para gerar um conteúdo condizente com as suas necessidades.

Mas tenha atenção. O próprio Google alerta que o NotebookLM pode gerar resultados imprecisos. Por isso, é importante revisar as notas geradas, bem como não confiar na ferramenta para informações críticas, que envolvem questões médicas ou financeiras, por exemplo.

Apesar de ter sido liberado globalmente e, em linhas gerais, funcionar bem, o NotebookLM ainda está em fase experimental.
NotebookLM: ferramenta de anotações com IA do Google já funciona no Brasil

NotebookLM: ferramenta de anotações com IA do Google já funciona no Brasil
Fonte: Tecnoblog

Como permitir a instalação de apps de fontes desconhecidas no Android

Como permitir a instalação de apps de fontes desconhecidas no Android

(Imagem: Lupa Charleaux/Tecnoblog)

Habilitar a instalação de aplicativos de fontes desconhecidas no Android é uma saída para baixar softwares que não estão disponíveis na Google Play Store, mas que podem ser do interesse do usuário. Alguns exemplos são apps em versão beta ou programas com restrições regionais.

O procedimento para permitir o download de apps de fontes desconhecidas varia de acordo com a versão do Android e a interface da fabricante do seu celular. A configuração pode ser feita no menu de Aplicativos ou na seção de Privacidade, a depender do modelo de telefone usado.

Neste tutorial, o Tecnoblog mostra o passo a passo para permitir a instalação de apps em smartphones Samsung, Motorola e Xiaomi.

Vale ressaltar que essa prática pode trazer riscos para o seu dispositivo. Portanto, certifique-se de que a fonte pretendida é confiável antes de realizar o download.

ÍndiceComo permitir a instalação de apps de fontes desconhecidas no Samsung1. Acesse as configurações do celular Samsung2. Toque em “Aplicativos” para ver mais opções3. Abra o menu “Acesso especial” de aplicativos4. Toque em “Instalar apps desconhecidos” no celular Samsung5. Selecione mais apps para permitir o download fora da Play Store e Galaxy StoreComo permitir a instalação de apps de fontes desconhecidas no Motorola1. Acesse as configurações do seu celular Motorola2. Toque em “Apps e notificações” do celular3. Selecione “Acesso especial a apps” do Motorola4. Toque em “Instalar apps desconhecidos” no Motorola5. Libere apps para fazer download de fontes desconhecidas no MotorolaComo permitir a instalação de apps de fontes desconhecidas no Xiaomi1. Abra as configurações do seu celular Xiaomi2. Acesse “Proteção de Privacidade” do celular Xiaomi3. Toque em “Instalar apps desconhecidos” no celular Xiaomi4. Selecione o app para permitir o download de fontes desconhecida5. Ative a opção “Permitir desta fonte” no celular XiaomiPor que não consigo permitir a instalação de apps de fontes desconhecidas no Android?É perigoso instalar apps de fontes desconhecidas no Android?Qual a importância de instalar somente aplicativos de fontes confiáveis?É possível instalar apps de fontes desconhecidas no iPhone?

Como permitir a instalação de apps de fontes desconhecidas no Samsung

1. Acesse as configurações do celular Samsung

Abra o app “Config.” para acessar as configurações do seu celular Samsung.

Acessando o aplicativo “Config.” no celular Samsung (Imagem: Reprodução/Samsung)

2. Toque em “Aplicativos” para ver mais opções

Desça a tela de configurações e toque em “Aplicativos” para ver detalhes dos apps instalados no seu celular.

Abrindo o menu “Aplicativos” no celular Samsung (Imagem: Reprodução/Samsung)

3. Abra o menu “Acesso especial” de aplicativos

Toque no ícone de três pontos, no canto superior direito da tela, e selecione a opção “Acesso especial” para abrir um novo menu.

Abrindo o menu “Acesso especial” no celular Samsung (Imagem: Reprodução/Samsung)

4. Toque em “Instalar apps desconhecidos” no celular Samsung

Desça a tela e toque em “Instalar apps desconhecidos” para ver as opções de aplicativos que podem ser usados para baixar apps de fora da Google Play.

Acessando o menu “Instalar apps desconhecidos” no celular Samsung (Imagem: Reprodução/Samsung)

5. Selecione mais apps para permitir o download fora da Play Store e Galaxy Store

Ative a chave ao lado dos softwares a partir dos quais você quer permitir o download de apps no seu celular Samsung. Por exemplo: Meus Arquivos, Google Drive e navegadores (Google Chrome, Samsung Internet).

Selecionando os aplicativos que podem instalar apps de fontes desconhecidas (Imagem: Reprodução/Samsung)

Como permitir a instalação de apps de fontes desconhecidas no Motorola

1. Acesse as configurações do seu celular Motorola

Abra o app “Configurar” para ver as opções de configurações do celular Motorola.

Acessando o app “Configurar” do celular Motorola (Imagem: Reprodução/Motorola)

2. Toque em “Apps e notificações” do celular

Selecione a opção “Apps e notificações” para ver mais detalhes.

Acessando o menu “Apps e notificações” (Imagem: Reprodução/Motorola)

3. Selecione “Acesso especial a apps” do Motorola

Desça a tela e toque em “Acesso especial a apps” para ver outras opções de configurações.

Importante: em versões mais antigas do Android para celulares Motorola, é necessário tocar em “Avançado” para visualizar a opção.

Abrindo o menu “Acesso especial a apps” (Imagem: Reprodução/Motorola)

4. Toque em “Instalar apps desconhecidos” no Motorola

Desça a tela e toque na opção “Instalar apps desconhecidos” para acessar os aplicativos que permitem fazer download de fontes de terceiros.

Acessando o menu “Instalar apps desconhecidos” (Imagem: Reprodução/Motorola)

5. Libere apps para fazer download de fontes desconhecidas no Motorola

Na próxima tela, você verá as sugestões de apps que permitem o download de fontes desconhecidas. Toque em cima do aplicativo e, depois, ative a chave “Permitir desta fonte” para liberar baixar apps de fora da Google Play.

Selecionando o aplicativo e ativando a função “Permitir desta fonte” para realizar download de apps desconhecidos (Imagem: Reprodução/Motorola)

Como permitir a instalação de apps de fontes desconhecidas no Xiaomi

1. Abra as configurações do seu celular Xiaomi

Arraste o dedo do topo da tela para baixo e abra o menu rápido do celular Xiaomi. Depois, toque no ícone de engrenagem para acessar as configurações do telefone.

Abrindo as configurações no celular Xiaomi (Imagem: Reprodução/Xiaomi)

2. Acesse “Proteção de Privacidade” do celular Xiaomi

Desça a tela e toque em “Proteção de Privacidade” para ver mais opções de configurações do celular Xiaomi. Em seguida, role a tela novamente e selecione “Outras Permissões”.

Acessando os menus “Proteção de Privacidade” e “Outras permissões” no celular Xiaomi (Imagem: Reprodução/Xiaomi)

3. Toque em “Instalar apps desconhecidos” no celular Xiaomi

Toque em “Instalar apps desconhecidos” para acessar mais configurações do celular Xiaomi.

Acessando o menu “Instalar apps desconhecidos” no celular Xiaomi (Imagem: Reprodução/Xiaomi)

4. Selecione o app para permitir o download de fontes desconhecida

Toque em cima do app que você quer autorizar o download de fontes desconhecidas. Por exemplo, o navegador Google Chrome.

Selecionando o aplicativo que irá permitir instalar apps desconhecidos no celular (Imagem: Reprodução/Xiaomi)

5. Ative a opção “Permitir desta fonte” no celular Xiaomi

Ative a chave “Permitir desta fonte” e, depois, confirme a ação tocando no botão “OK”. Agora, você pode usar o app selecionado para baixar aplicativos de fora da Google Play Store.

Importante: você tem 10 segundos para confirmar a ação ou a alteração não será realizada.

Ativando a chave “Permitir desta fonte” para permitir instalar apps desconhecidos usando um aplicativo do celular (Imagem: Reprodução/Xiaomi)

Por que não consigo permitir a instalação de apps de fontes desconhecidas no Android?

Os principais pontos que podem impedir a alteração da configuração para instalar apps de fontes desconhecidas no Android são:

Restrições do Android: versões mais recentes do Android ou da interface adotada pelas fabricantes do celular podem ter restrições adicionais que impedem a alteração da configuração de segurança do telefone;

App incompatível: o aplicativo que você deseja autorizar não é compatível com a função de download e instalação de APK de fora da Google Play. Tente outro app para a ação;

Política da empresa: celulares corporativos podem ter configurações que impedem a instalação de apps de fontes desconhecidas por questão de segurança de dados. É necessário solicitar a autorização para o departamento de TI;

Erro do Android: um problema no sistema operacional do celular pode bloquear a opção para autorizar o download de fontes desconhecidas. Você pode atualizar o software, reiniciar ou, em último caso, formatar o celular para corrigir o erro.

É perigoso instalar apps de fontes desconhecidas no Android?

Sim. Apps de fontes desconhecidas não passam pela análise de segurança do Google. Assim, criminosos podem disponibilizar versões modificadas de aplicativos com malwares que monitoram e roubam os dados da pessoa.

A melhor maneira de manter o seu Android seguro é baixando os apps pela Google Play Store. Em outros casos, a recomendação é fazer download do APK somente de fontes oficiais dos desenvolvedores.

Qual a importância de instalar somente aplicativos de fontes confiáveis?

Os apps da Play Store ou de fontes diretas de desenvolvedores passam por um rígido controle de segurança e qualidade antes de serem disponibilizados para o público. Ou seja, eles precisam cumprir um conjunto de regras para serem aprovados pela loja de aplicativos do Google.

Isso garante que os apps não tenham malware ou qualquer arquivo malicioso que possa roubar dados ou causar problemas de privacidade. Eles também são obrigados a informar quais informações coletam dos usuários e o tipo de uso pretendido com tais dados.

É possível instalar apps de fontes desconhecidas no iPhone?

O iPhone não permite a instalação de apps de fora da App Store no Brasil. Segundo a Apple, a prática de baixar aplicativos de fontes externas compromete a segurança dos dados do usuário e a confiabilidade dos smartphones.

Apenas os usuários europeus de iPhone podem fazer download de apps de fontes alternativas por conta das regras da União Europeia. Com isso, é possível baixar os softwares de diferentes lojas de aplicativos e diretamente do site do desenvolvedor.
Como permitir a instalação de apps de fontes desconhecidas no Android

Como permitir a instalação de apps de fontes desconhecidas no Android
Fonte: Tecnoblog

Google atualiza design do Telefone: agora, app de ligações cobre a tela inteira

Google atualiza design do Telefone: agora, app de ligações cobre a tela inteira

O Google segue ampliando a presença da linguagem de design “Material You” po todos os seus aplicativos próprios, agora atualizando o Telefone para que ele use todo o display do seu smartphone. Atualmente, o app deixa uma faixa escura na parte alta do display, onde os horários, níveis de bateria e opções ativas de conectividade são exibidas.

O Material You foi introduzido originalmente com o lançamento do Android 12 e, desde então, vem sendo posicionado como o principal padrão visual de apps do sistema operacional. Com a iminência do Android 15, no entanto, o Google decidiu apostar todas as duas fichas – o formato visual já foi implementado, recentemente, em apps como Contatos, Google Play Livros e Mensagens, para citar alguns.Veja tambémA mudança foi vista primeiro por alguns usuários do Reddit e, conforme apontou o 9to5Google, parece ser restrita apenas aos dispositivos Pixel, fabricados pelo próprio Google. Ainda não há informação sobre quando a alteração deve aparecer por todo o ecossistema Android, mas considerando o foco que a empresa vem dedicando a isso, não deve demorar.Clique aqui para ler mais

Google atualiza design do Telefone: agora, app de ligações cobre a tela inteira
Fonte: Tudocelular

Cuidado! 90 aplicativos maliciosos driblam a Play Store e acumulam 5,5 milhões de downloads

Cuidado! 90 aplicativos maliciosos driblam a Play Store e acumulam 5,5 milhões de downloads

Embora os esforços do Google sejam dignos de um elogio, tudo é passível de erros e a segurança da Play Store se enquadra nisso. Recentemente, foi descoberto que cerca de 90 aplicativos maliciosos passaram pelo processo de segurança da loja de aplicativos e atualmente acumulam mais de 5,5 milhões de downloads.

Além dos aplicativos existentes, há um crescente número de casos do trojan bancário “Anatsa”. Esse malware é conhecido por Teabot e tem como alvo os aplicativos bancários dos usuários. Atualmente, já são 650 instituições financeiras na mira do trojan cujo objetivo é roubar credenciais e realizar transações fraudulentas.Já foram registradas mais de 150 mil infecções em apenas alguns meses, mais precisamente entre o final de 2023 e fevereiro deste ano. Tudo isso tem sido espalhado por meio da própria Play Store, mesmo com o bloqueio de dois milhões de aplicativos maliciosos recentemente.Clique aqui para ler mais

Cuidado! 90 aplicativos maliciosos driblam a Play Store e acumulam 5,5 milhões de downloads
Fonte: Tudocelular

Suposto megavazamento dá detalhes sobre como a busca do Google funciona

Suposto megavazamento dá detalhes sobre como a busca do Google funciona

Suposto megavazamento dá detalhes sobre como a busca do Google funciona (imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

O que aparenta ser um grande vazamento de documentos do Google revela detalhes sobre o funcionamento do buscador. Mais de 2.500 páginas dão informações sigilosas sobre como os algoritmos da plataforma classificam os resultados das pesquisas. Esses dados nunca foram divulgados publicamente pela companhia.

A documentação parece ser oriunda de uma API interna do Google e foi disponibilizada via bot em um repositório no GitHub. Rand Fishkin, especialista em SEO (Search Engine Optimization), analisou as informações e publicou um extenso relatório a respeito.

Os documentos são muito técnicos, mas é possível extrair dali algumas características importantes sobre o sistema de classificação de resultados do Google.

Algumas revelações da documentação

Uma das constatações é a de links continuam sendo importantes para o buscador. Por muito tempo, o Google contava a quantidade de links que apontavam para determinado site ou página como um de seus principais critérios de classificação nas buscas. Era o chamado PageRank.

A quantidade de links ainda é um parâmetro considerado pelo buscador, mas, nos últimos anos, o Google dava a entender que editores de conteúdo e profissionais de SEO não precisavam mais se importar tanto com isso. Mas, de acordo com os documentos vazados, os links ainda continuam sendo muito relevantes.

As análises também mostram que o Google considera uma série de parâmetros para avaliar cliques nos resultados de modo a identificar se os links indicados trouxeram informações relevantes para o usuário.

Outros critérios de classificação revelados nos documentos incluem:

o Google tem um parâmetro que avalia quão bem o título de uma página corresponde ao seu conteúdo;

o buscador tem parâmetros para avaliar o quão frequentemente um site é atualizado, e aparenta dar mais prioridade aos que têm conteúdo novo com frequência;

o buscador tem um mecanismo de pontuação de autoridade de sites que pode influenciar no posicionamento de páginas nos resultados;

o Google analisa dados sobre o autor de um conteúdo para determinar a sua relevância.

Documentos supostamente vazados do Google (imagem: Rand Fishkin/SparkToro)

O Google teria mentido para editores e profissionais de SEO?

As primeiras análises desses documentos dão a entender que o Google não tem sido totalmente transparente com editores de sites e profissionais de SEO que buscam as orientações da companhia para entender como o buscador funciona.

Por exemplo, o ponto sobre o Google analisar dados de autor faz parte de um conceito chamado EEAT, sigla em inglês para Experiência, Especialização, Autoridade, Confiabilidade.

Representantes do Google já disseram, mais de uma vez, que os produtores de conteúdo devem se preocupar com EEAT para transmitir informações mais confiáveis para os usuários, mas que esses dados não são considerados para a classificação de páginas. Porém, a documentação sugere o contrário.

Outro aspecto que teria sido tratado com pouca clareza por parte da empresa é o critério de autoridade. A existência desse parâmetro remete a 2011, quando a companhia lançou um conjunto de atualizações para o buscador chamado Panda.

Mas o Google teria dito nos anos seguintes que não existe uma escala de pontos de autoridade para sites. Essa é outra afirmação que entra em conflito com a documentação.

Alguns dos milhares de atributos considerados pelo buscador, de acordo com os documentos (imagem: Rand Fishkin/SparkToro)

Os documentos vazados são verdadeiros?

O Google ainda não soltou nenhum comunicado para confirmar o vazamento, mas a riqueza de detalhes e a forma como os documentos estão organizados sugerem que eles são verdadeiros, sim.

Mas o impacto que isso terá sobre o Google como empresa, sobre o mecanismo de busca em si e sobre o “mercado” de SEO como um todo é algo que somente conheceremos nos próximos dias ou semanas.

Com informações: Search Engine Land, The Verge
Suposto megavazamento dá detalhes sobre como a busca do Google funciona

Suposto megavazamento dá detalhes sobre como a busca do Google funciona
Fonte: Tecnoblog

Como traduzir voz, áudios e conversas no Google Tradutor pelo celular ou PC

Como traduzir voz, áudios e conversas no Google Tradutor pelo celular ou PC

Tela de tradução do Google Tradutor (Imagem: Lupa Charleaux/Tecnoblog)

Você pode usar a função para transcrever áudio no Google Tradutor pelo navegador do seu celular ou do PC. Basta clicar no ícone do microfone e falar ou registrar a frase que você deseja converter em outro idioma.

Já o aplicativo para celular Android e iPhone possui a ferramenta Conversas, que permite traduzir voz no Google Tradutor de forma dinâmica. Assim, você pode usar o recurso para se comunicar com outra pessoa mesmo não sabendo falar o idioma dela.

Confira as três formas de usar o Google Tradutor para tradução de voz e áudio:

ÍndiceComo traduzir voz e áudio no Google Tradutor pelo celular1. Acesse o Google Tradutor pelo navegador do celular2. Defina os idiomas da tradução por voz ou áudio3. Toque no ícone de microfone para traduzir voz ou áudio4. Fale a frase que você quer traduzir com o Google TradutorComo traduzir voz e áudio no Google Tradutor pelo PC1. Visite o site do Google Tradutor no PC2. Defina os idiomas da tradução de voz no Google Tradutor3. Clique no ícone “Traduzir por voz” do Google Tradutor4. Diga a frase que será traduzida pelo Google TradutorComo traduzir conversas no Google Tradutor pelo celular1. Abra o app Google Tradutor no seu celular2. Toque no botão “Conversa” para iniciar a tradução de voz3. Defina os idiomas da conversa pelo Google Tradutor4. Fale a frase que será traduzida pelo Google TradutorDá para traduzir uma conversa pelo Google Tradutor no PC?Por que a tradução de áudio do Google Tradutor não funciona?Dá para traduzir ou transcrever um áudio no Google Tradutor sem internet?Existem outros aplicativos que permitem traduzir voz e áudio?

Como traduzir voz e áudio no Google Tradutor pelo celular

1. Acesse o Google Tradutor pelo navegador do celular

Use o navegador do seu celular Android ou iPhone para acessar translate.google.com, a página oficial do Google Tradutor.

Tela inicial do Google Tradutor pelo celular (Imagem: Reprodução/Google Tradutor)

2. Defina os idiomas da tradução por voz ou áudio

Toque no idioma no canto esquerdo da tela para selecionar o idioma original (“Traduzir de”). Depois, toque nas opções de idioma no canto direito da tela para escolher o idioma da tradução da conversa (“Traduzir Para”).

Selecionando os idiomas da tradução do Google Tradutor pelo celular (Imagem: Reprodução/Google Tradutor)

3. Toque no ícone de microfone para traduzir voz ou áudio

Toque no ícone de microfone, no canto esquerdo da tela, para habilitar o recurso de tradução de voz e áudio do Google Tradutor.

Importante: é necessário habilitar a permissão do uso do microfone pelo navegador do seu celular para usar a ferramenta do Google Tradutor.

Acessando o recurso “Tradução por voz” do Google Tradutor pelo celular (Imagem: Reprodução/Google Tradutor)

4. Fale a frase que você quer traduzir com o Google Tradutor

Diga a frase que você deseja traduzir no microfone do celular. Assim, o Google Tradutor mostrará a frase original na parte de cima da tela e a tradução na parte de baixo.

Falando a frase para ser traduzida por voz pelo Google Tradutor (Imagem: Reprodução/Google Tradutor)

Como traduzir voz e áudio no Google Tradutor pelo PC

1. Visite o site do Google Tradutor no PC

Acesse o site translate.google.com pelo navegador do seu PC.

Tela inicial do Google Tradutor no PC (Imagem: Reprodução/Google Tradutor)

2. Defina os idiomas da tradução de voz no Google Tradutor

Clique nas opções do Google Tradutor, no canto esquerdo da tela, para escolher o idioma original (“Traduzir de”). Em seguida, escolha o idioma da tradução (“Traduzir para”) no canto direito da página.

Selecionando os idiomas no Google Tradutor no PC (Imagem: Reprodução/Google Tradutor)

3. Clique no ícone “Traduzir por voz” do Google Tradutor

Clique no ícone de microfone, no canto esquerdo da tela, para habilitar a função “Traduzir por voz”. Se necessário, permita que o site do Google Tradutor use o microfone do seu PC.

Acessando a função “Traduzir por voz” no Google Tradutor no PC (Imagem: Reprodução/Google Tradutor)

4. Diga a frase que será traduzida pelo Google Tradutor

Fale ou grave a frase que você deseja traduzir usando o Google Tradutor e clique no ícone quadrado azul, no canto esquerdo, para concluir. Então, o site mostrará a frase original na parte esquerda da tela e a tradução na parte direita.

Usando a ferramenta “Traduzir por voz” no Google Tradutor no PC (Imagem: Reprodução/Google Tradutor)

Como traduzir conversas no Google Tradutor pelo celular

1. Abra o app Google Tradutor no seu celular

Acesse o aplicativo do Google Tradutor no seu celular Android ou iPhone.

Abrindo o aplicativo Google Tradutor (Imagem: Reprodução/Google Tradutor)

2. Toque no botão “Conversa” para iniciar a tradução de voz

Toque no botão “Conversa”, no canto inferior esquerdo, para usar a função para traduzir conversas pelo aplicativo do Google Tradutor.

Acessando o recurso “Conversas” do Google Tradutor (Imagem: Reprodução/Google Tradutor)

3. Defina os idiomas da conversa pelo Google Tradutor

Escolha os idiomas da conversa pelo Google Tradutor tocando em cima do idioma da esquerda ou da direita. Se desejar, toque no ícone de estrela, no centro entre as duas opções de idiomas, para habilitar a tradução automática.

Selecionando os idiomas ou a tradução automática no recurso “Conversas” do Google Tradutor (Imagem: Reprodução/Google Tradutor)

4. Fale a frase que será traduzida pelo Google Tradutor

Segure o toque em cima do ícone de microfone e fale ou peça para a outra pessoa dizer a frase para ser traduzida pelo Google Tradutor. Então, o aplicativo mostrará a frase original em cima e a tradução embaixo.

Usando o recurso “Conversas” do Google Tradutor pelo celular (Imagem: Reprodução/Google Tradutor)

Dá para traduzir uma conversa pelo Google Tradutor no PC?

O Google Tradutor para PC não traduz conversas. Para acessar essa função, você deve usar o aplicativo do Google Tradutor para celulares Android ou iPhone.

Por que a tradução de áudio do Google Tradutor não funciona?

Há algumas condições que impedem a tradução de áudio do Google Tradutor. As mais comuns são:

Microfone: verifique se o aplicativo ou o navegador tem permissão para usar o microfone do seu celular ou PC;

Idioma: veja se o idioma de entrada e saída estão corretos;

Ambiente com som alto: o aplicativo pode ter dificuldade de conseguir traduzir a conversa se você estiver em um local com muito barulho;

Conexão: você deve baixar o pacote de idiomas para conseguir usar o Google Tradutor sem acesso à internet ou com a conexão instável.

Dá para traduzir ou transcrever um áudio no Google Tradutor sem internet?

É possível usar o Google Tradutor sem internet, mas você deve fazer download do pacote de idiomas para que o aplicativo de celular Android e iPhone funcione offline.

Existem outros aplicativos que permitem traduzir voz e áudio?

Além do Google Tradutor, existem outros aplicativos que oferecem tradução de voz e áudio. Alguns deles são:

iTranslate (Android e iOS): aplicativo que realiza a tradução de voz e áudio em mais de 40 idiomas e inclui um guia para viagem com 250 frases predefinidas;

Instant Voice Translate (Android e iOS): aplicativo gratuito que usa a tecnologia do ChatGPT para a traduzir de voz e áudio;

Microsoft Translator (Android e iOS): aplicativo da Microsoft que pode traduzir voz e áudio em mais de 100 idiomas.

Como traduzir voz, áudios e conversas no Google Tradutor pelo celular ou PC

Como traduzir voz, áudios e conversas no Google Tradutor pelo celular ou PC
Fonte: Tecnoblog